UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Dúvidas Frequentes

Você está em: SiSU > Dúvidas Frequentes

Dúvidas frequentes gerais

Dúvidas frequentes sobre análise de renda (Grupos de vagas A, A1, B e B1)

 

Não. O certificado de conclusão, emitido em conjunto com o histórico, é válido.

Não. Todas as cópias são simples. No entanto, recomendamos que o candidato, ou seu procurador, leve os documentos originais para que seja possível providenciar novas cópias no momento da solicitação de matrícula, caso alguma cópia não esteja devidamente legível.

Deverá constar a data e o local referentes ao momento em que os formulários foram preenchidos. Dessa forma, data e local não coincidirão, necessariamente, com a data de realização do requerimento de matrícula. 

Todas as datas de lançamento dos editais de reclassificação, bem como o período de pré-matrícula on-line e requerimento de matrícula presencial, estão descriminadas na aba “cronograma de reclassificações”

Se estiver no prazo para realização da pré-matrícula on-line, referente ao Edital de Reclassificação para o qual foi convocado, e não estiver conseguindo realizar o procedimento, deve enviar e-mail para cdara@ufjf.edu.br durante o prazo de realização da confirmação, uma vez que a matrícula não poderá ser requerida após o prazo estabelecido para o respectivo edital.

Sim, você pode manter o vínculo com a outra instituição no primeiro semestre letivo e cancelar este vínculo no segundo semestre letivo, quando iniciará o seu vínculo com a UFJF (lembrando que, segundo a legislação, não é possível manter dois vínculos simultâneos com instituições públicas ou através do PROUNI).

No entanto, a sua matrícula (se deferida) pode ser antecipada para o primeiro semestre, caso ocorram desistências ou indeferimento dos candidatos convocados. Neste caso, você terá que cancelar a matrícula na outra instituição ainda no primeiro semestre letivo.

O(a) candidato(a) deve consultar o link “documentação, datas e horários” e ler atentamente a Portaria que regulamenta a matrícula em sua modalidade de ingresso (SISU ou PISM). Nela estão listados os documentos necessários. No mesmo link também estão as datas e horários da matrícula presencial.

Sim. Conforme a Portaria que regulamenta a matrícula, item 2.4: “a matrícula deverá ser feita pelo próprio candidato ou por seu procurador legalmente constituído, devendo este apresentar uma procuração simples com outorga de poderes específicos”.

 

DÚVIDAS FREQUENTES NA ANÁLISE DE RENDA (Grupos A, A1, B e B1)

 

Plantão tira-dúvidas sobre matrícula dos cotistas de renda

Pensando em auxiliar os(as) candidatos(as) na organização dos documentos necessários para a realização das matrículas, a Comissão de Análise de Documentos de Matrícula responderá as dúvidas dos (as) candidatos dos grupos A, A1, B e B1 quanto a documentação do anexo II do Regulamento de Matrícula através do e-mail duvidas.sisuab@ufjf.edu.br e pelo telefone (32) 2102-3341, que atende de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h.

 

Confira algumas das dúvidas mais comuns sobre os documentos de renda a serem entregues nos dias de matrícula presencial:

 

Não. Nenhum documento precisa ser autenticado.

 

Caso opte pela comprovação de renda através do CadÚnico, o(a) candidato(a) deve observar atentamente o item 7.1 do Regulamento de Matrícula para ver em qual situação a família se encaixa e assim enviar a documentação solicitada. Ressaltando que, caso o grupo familiar do (a) candidato (a) seja beneficiário do Programa Bolsa-Família, o procedimento de apuração da renda familiar será realizado no ato da matrícula presencial.

 

Não. Os documentos solicitados no Anexo I e Anexo II devem ser apresentados em envelopes separados com as respectivas cópias. Atenção: o envelope com os documentos do anexo II não deverá ser lacrado.

 

Não. O Formulário socioeconômico é documento indispensável para viabilizar a análise de renda, inclusive por quem opta pela comprovação de renda por Cadúnico.

 

As cópias dos documentos de renda deverão ser separadas por pessoa do grupo familiar e organizadas segundo a ordem em que aparecem no regulamento de matrícula.

 

Não. A documentação deve ser entregue pessoalmente pelo candidato ou seu procurador respeitando os prazos, locais e datas divulgados na página da CDARA.

 

Nesse caso será necessário encaminhar o comprovante de residência do pai ou mãe que não reside no mesmo domicílio que o candidato – para um dos meses de referência indicados na Portaria que regulamenta a matrícula.

 

Não. Toda a documentação de renda, bem como as informações prestadas no formulário de informações socioeconômicas devem ter como referência os meses previstos em Portaria que regulamenta a matrícula, disponível na página da CDARA (localizada logo abaixo do anexo da resolução de matrícula no link “Documentação, datas e horários).

 

Os(as) candidatos(as) devem consultar a Portaria que regulamenta a matrícula (localizada logo abaixo do anexo da resolução de matrícula no link “Documentação, datas e horários) para verificar os meses de referência do seu processo seletivo.

 

Os documentos podem ser retirados em qualquer agência do Instituto Nacional de Serviço Social (INSS), bem como pelo site “Meu INSS” (confira o passo-a-passo). Também é possível acessar esses documentos pelo celular, por meio do aplicativo Meu INSS – Central de Serviços, nas plataformas IOS (App Store) e Android (Play Store). Lembre-se que, em relação ao CNIS, não basta enviar apenas os dados cadastrais ou as relações previdenciárias, é fundamental apresentar o CNIS completo com o detalhamento das remunerações.

 

Todos os modelos de declarações estão disponíveis na página da Coordenadoria Assuntos e Registros Acadêmicos (CDARA).

 

No cálculo de renda são considerados os valores brutos. Mais informações sobre como é realizado o cálculo estão na Portaria Normativa do MEC nº 18, de 11 de outubro de 2012.

 

Sim. Ambos são documentos obrigatórios para todos(as) os maiores de 18 anos, candidato(a) e membros do grupo familiar. Caso a pessoa não possua Carteira de Trabalho, será necessário solicitá-la junto ao órgão emissor e enviar cópia do protocolo recebido na ocasião da solicitação, caso ela não fique pronta até a data da matrícula.

 

Não. Devem ser enviadas as cópias dos documentos de todo o grupo familiar informado no formulário socioeconômico, incluindo o candidato.

 

De acordo com a Portaria Normativa nº 18, do Ministério da Educação, é considerado como grupo familiar:

III – […] a unidade nuclear composta por uma ou mais pessoas, eventualmente ampliada por outras pessoas que contribuam para o rendimento ou tenham suas despesas atendidas por aquela unidade familiar, todas moradoras em um mesmo domicílio.

 

Não. Na Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos (Decore) eletrônica deve constar o pró-labore e os lucros auferidos no período especificado na portaria que regulamenta a matrícula.

 

Não. A CDARA tratará o ato formal de entrega dos documentos como Requerimento de Matrícula, estando o deferimento condicionado ao atendimento de todos os requisitos estabelecidos no Regulamento e na legislação aplicável.

 

O candidato cujo requerimento de matrícula foi indeferido em razão de apuração de renda familiar bruta mensal per capita superior a 1,5 salário mínimo e/ou do não preenchimento dos requisitos exigidos no regulamento de matrícula, poderá interpor recurso contra o resultado em formulário próprio disponibilizado no site da CDARA, respeitando o prazo determinado, locais e horários para entrega da documentação.

 

Reunir documentação comprobatória obrigatória e/ou complementar, além de prestar esclarecimentos que sejam pertinentes, não sendo permitida a alteração do grupo familiar declarado pelo candidato.

 

A CDARA disponibilizará em sua página os resultados da análise de renda e do recurso, podendo também encaminhar o resultado ao e-mail do candidato cadastrado no SIGA. Dessa forma, é muito importante que o candidato acompanhe e mantenha atualizado esse meio de comunicação.