UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Gestão integrada em RRD e Resiliência

Você está em: ATIVIDADES ACADÊMICAS > Pesquisa > Gestão integrada em RRD e Resiliência

Sem título

Gestão integrada em RRD e Resiliência

Projeto: 2021-2022  

Desenvolvimento da gestão integrada de riscos de desastres no contexto de cidades resilientes

A proposta da pesquisa consiste na continuidade da pesquisa realizada em 2020 visando uma ampliação da análise integrada de sistemas e metodologias de gerenciamento e mapeamento de riscos de desastres que visam o desenvolvimento de cidades mais resilientes a partir de diretrizes e estratégias de organizações internacionais para auxiliar na aplicação de indicadores no âmbito nacional e regional.

As atividades estão alinhadas a Iniciativa Making Cities Resilient 2030 (MCR2030) visando contribuir, por meio das atividades científicas, no processo do conhecimento sobre o risco urbano, a planejamento estratégico para medidas que abordem as causas subjacentes do risco. As cidades devem adotar uma abordagem holística e sistêmica para resiliência e construir sistemas mais fortes e resilientes no futuro.

 

PROFESSORA ORIENTADORA:

Gislaine dos Santos (lattes)

PROFESSOR COLABORADOR:

Jordan Henrique de Souza (lattes)

DISCENTES:

Ane Aparecida da Silva Matos (lattes)

Pedro Moni Ribeiro Filho (lattes)

 

Projeto: 2020-2021 

Análise de sistemas e metodologias na gestão integrada de riscos de desastres no contexto de cidades resilientes

A proposta da pesquisa consiste na realização de uma análise integrada de sistemas de gerenciamento e mapeamento de riscos de desastres que visam o desenvolvimento de cidades mais resilientes a partir de diretrizes e estratégias de organizações internacionais para auxiliar na aplicação de indicadores no âmbito nacional e regional.

Os estudos de recursos nacionais bem como instruções internacionais possibilitam avaliar a atual conjectura que o Brasil apresenta na temática e a estrutura regional para as ações no que tange a proteção e defesa civil bem como no empenho de cidades para se tornarem cidades resilientes dentro da agenda 2015-2030 da United Nations Office for Disaster Risk Reduction (UNDRR). 

A UNDRR é responsável por liderar as deliberações temáticas, entre agências e pelos países e contribui para o desenvolvimento de ferramentas para a programação da Organização das Nações Unidas. A Redução do Risco de Desastres – RRD inclui temáticas como gerenciamento, mitigação e preparação para desastres, mas a RRD também faz parte do desenvolvimento sustentável (UNDRR, 2020). Para tornar as atividades de desenvolvimento sustentáveis, elas também devem reduzir o risco de desastres e consequentemente, a RRD inclui a participação de todos os segmentos da sociedade, todos os componentes do governo (UNDRR, 2020).

 

UNDRR, United Nations Office For Disaster Risk Reduction. Sendai Framework for Disaster Risk Reduction 2015 – 2030. Japão: United Nations, 2015. Disponível em: . Acesso em: 05 maio 2020.

PROFESSORA ORIENTADORA:

Gislaine dos Santos (lattes)

PROFESSOR COLABORADOR:

Jordan Henrique de Souza (lattes)

DISCENTES:

Rafaela De Mauro Tortorelli (lattes)

Raphaella de Souza Resende Moreira (lattes)

Seminário de Iniciação Científica – SEMIC 2020

(em elaboração…)

 

 

Projeto 2019/2020 

Estudo do aplicativo Álea na gestão dos riscos ambientais

 A problemática das áreas de risco já assola grande parte dos grandes centros urbanos, e são poucos os municípios que possuem um mapeamento e cadastramento territorial. Necessita-se complementar os estudos e atualizá-los, de modo a planejar o enfrentamento à problemática, definindo-se o aporte de recursos para atuar no equacionamento do problema. Como ferramenta auxiliar na gestão de riscos, foi produzido o aplicativo Álea, o qual permite ao usuário delimitar polígonos de risco sobre o mapa da região e cadastrar as informações previstas em fichas de caracterização de riscos geotécnicos e hidrológicos.

O Álea tem como objetivos principais reduzir o tempo de coleta e aumentar a precisão dos dados; expandir e aprimorar a ficha de caracterização das áreas de risco; fornecer dados históricos de atendimentos e das características das áreas de risco; aumentar a eficiência na prevenção e no atendimento aos desastres; contribuir para evitar a ocupação de áreas de risco e monitorar as já habitadas. A proposta da pesquisa consiste na caracterização da região predominante das cidades da Zona da Mata Mineira, abrangendo também dados parametrizados dos aspectos físicos, antrópicos e modelos de suscetibilidade de escorregamento de solo utilizando o aplicativo Álea em mapeamentos de áreas de risco, para posterior desenvolvimento de políticas públicas na gestão dos riscos ambientais. A pesquisa foi divida em duas etapas.

A primeira parte do projeto, desenvolvida em 2019, consistiu no estudo e cálculo dos parâmetros envolvidos numa simulação de rompimento hipotético de barragem por meio do software HEC-RAS e caracterização de uma barragem localizada no bairro Filgueiras, Juiz de Fora-MG, catalogada por um Projeto de Extensão da UFJF e que possuía histórico de ocorrências registradas pela Defesa Civil de Juiz de Fora. A metodologia adotada foi: escolha do caso, pesquisa bibliográfica, execução de levantamento de campo e voo com drone, obtenção de dados históricos junto à Defesa Civil de Juiz de Fora, cálculo dos parâmetros necessários para uso no software HEC-RAS, comparação da situação real com a situação projetada da barragem e discussões sobre a aplicabilidade das leis atuais ao empreendimento. Os dados gerados nesta etapa do estudo possibilitam o desenvolvimento de uma simulação de rompimento de barragem. 

Além disso, os mapas obtidos a partir do voo com drone foram inseridos na base de dados do Álea e a mancha de inundação a ser obtida pela simulação de rompimento poderá ser adicionada posteriormente. A segunda etapa, em 2020, iniciou-se um projeto intitulado Mapeamento de Áreas de Risco com o Aplicativo Álea, em conjunto com  Projeto de Extensão NEP o qual possui convênio institucional com o 3°COBMMG (3º Comando Operacional do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Minas Gerais) e tem como objetivo o mapeamento de áreas de riscos das cidades de Muriaé, Conselheiro Lafaiete e Ubá com o auxílio do aplicativo Álea. A metodologia consistiu em levantamento e análise de dados sobre ocorrências e mapeamentos anteriores, desenvolvimento de mapas por meio do processo de geocode e exportação dos dados para a plataforma Álea, para auxiliar no mapeamento feito pelos municípios. Foram oferecidos cursos capacitantes em modalidade EAD e presencial para gestores em proteção e defesa civil para facilitar o uso do aplicativo Álea e iniciou-se a elaboração de documento modelo para o diagnóstico das áreas de riscos de cada município, para garantir a replicabilidade da pesquisa.

Devido à pandemia do vírus COVID-19, houve alterações no planejamento e algumas etapas foram realizadas remotamente.  Ademais, ocorreu a estruturação, complementação, tradução e formatação do artigo “Análise Computacional de Condicionantes de Riscos Ambientais” para submissão em revista científica. Foi feito também um Arquivo Histórico do app Álea, compilando todos os dados referentes ao aplicativo, como fotos, artigos e reportagens.

 

Seminário de Iniciação Científica – SEMIC 2020

 

 

PROFESSORA ORIENTADORA:

Gislaine dos Santos (lattes)

PROFESSOR COLABORADOR:

Jordan Henrique de Souza (lattes)

DISCENTES:

Ana Carolina Marini Magalhães De Toledo (lattes)

Barbara Carla Coelho Batista (lattes)

 

Desenvolvimento da Resiliência de Comunidades em Áreas de Risco