UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Plano de Ensino

Disciplina: 216063 - TÓPICOS ESPECIAIS EM ANTROPOLOGIA I

Créditos: 4

Departamento: DEPTO DE CIENCIAS SOCIAIS/ICH

Ementa Apresentação da crítica pós-estruturalista desenvolvida no ocidente, começando pelo pensamento de Gilles Deleuze e passando à antropologia. Análise de três perspectivas que vêm marcando o debate teórico na antropologia contemporânea: a antropologia da ciência tal qual desenvolvida por Bruno Latour, a antropologia ecológica, conforme formulada por Tim Ingold, e o Perspectivismo Ameríndio ou a ¿virada ontológica¿ que o pensamento ameríndio produz na disciplina, levando-nos à perspectiva da antropologia como ¿ontografia comparativa¿ (Holbraad, 2003).
Conteúdo ...
Bibliografia Bateson, Gregory. Steps to na ecology of mind. Nortvale, New Jersey, London: Jason Aronson Inc. 1972.
BONET, O. Itinerações e malhas para pensar os itinerários de cuidado: a propósito de Tim Ingold. (parte 1). Sociologia & Antropologia, v.04/02: 327-350. 2014.
Deleuze, G. e Guatarri, F. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Editora 34. 1995. (partes selecionadas).
Latour, Bruno. Por uma antropologia do centro. Mana 10 (2): 397-413. 2004.
Latour, Bruno. Reflexão sobre o culto modernos dos deuses fe(i)tiches. Bauru, São Paulo: Edusc, 2002. Capítulos: 1, 2 e 3 (p. 15-36).
Latour, Bruno. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. Rio de Janeiro: ed. 34, 1994. Capítulo 1. Crise (p. 7-18); Capítulo 2. Constituição (p. 19-52).
Latour, Bruno. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. São Paulo: Editora Unesp, 2000. Introdução (p. 11-38)
Latour, Bruno. A esperança de pandora. Ensaios sobre a realidade dos estudos científicos. Bauru, São Paulo: Edusc, 2001. Capítulo 4. ¿Da fabricação à realidade¿ (p. 133-168).
CID, IN A. IA CTIC-A. Os objetos têm história? Encontro de Pasteur com Whitehead num banho de ácido láctico. História, Ciências, Saúde¿Manguinhos, v. 2, n. 1, p. 7-26, 1995.
Latour, Bruno. Reagregando o social. Uma introdução à teoria do ator-rede. Salvador: Edufba; Bauru, São Paulo: Edusc, 2012. Introdução (p. 17-41); Introdução à Parte II (p. 229-238). Como manter o social plano (p. 239-250).
MAFRA, Clara et al. A Antropologia como participante de uma grande conversa para moldar o mundo. Entrevista com Tim Ingold. Sociologia & Antropologia, v. 4, n. 2, p. 303, 2014.
INGOLD, T. Humanidade e Animalidade. Revista Brasileira de Ciências Sociais, n.28, p. 39-53. 1995.
INGOLD, Tim. The perception of the environment. Essays in livelihood, dwelling and skill. Lodon/New York, 2000. INGOLD, Tim. Lines: a brief history. Routledge, 2007.
Ingold, Tim. Trazendo as coisas de volta à vida: emaranhados criativos num mundo de materiais. Horizontes Antropológicos 18.37 (2012): 25-44.
Ingold, Tim. O dédalo e o labirinto. Caminhar, imaginar e educar a atenção. Horizontes Antropológicos 44 (2015): 21-36.
Ingold, Tim. Estar vivo. Ensaios sobre movimento, conhecimento, descrição. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015. Cap. 1. A antropologia ganha vida. (p. 25-42). Cap. 6. Ponto, linha, contraponto: do meio ambiente ao espaço fluído (p. 127-143). Outros capítulos a selecionar.
INGOLD, Tim. It`s enough about ethnography. HAU: Journal of Ethnography Theory, ano 4, n. 1, p. 383-395.
Steil, Carlos e Carvalho, Isabel. Diferentes aportes no âmbito da antropologia fenomenológica: diálogos com Tim Ingold. In Steil, Carlos e Carvalho, Isabel (orgs.) Cultura, percepção e ambiente. Diálogos com Tim Ingold. São Paulo, Editora Terceiro Nome, 2012.
STEIL, Carlos Alberto; CARVALHO, Isabel Cristina de Moura (Org.). Cultura, percepção e ambiente: diálogos com Tim Ingold. São Paulo: Terceiro Nome, 2012. (capítulos a selecionar).
STEIL, Carlos Alberto; CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Epistemologias ecológicas: delimitando um conceito. Mana 20.1 (2014): 163-183.
VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Perspectivismo e multinaturalismo na América indígena. In: _____. A inconstância da alma selvagem: e outros ensaios de antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2002, p.347-399.
VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Filiação intensiva e aliança demoníaca. Novos Estudos CEBRAP, 77.
VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Perspectival Anthropology and the method of controlled equivocation. Tipití: Journal of the Society for the Anthropology of Lowland South America, v.2, n.1, p. 3-22. 2004.
VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Metafísicas Canibais. Elementos para uma antropologia pós-estrutural. São Paulo: Cosac Naify. 2015 (partes selecionadas).
KOHN, Eduardo. How forests think: Toward an anthropology beyond the human. Univ of California Press, 2013 (partes selecionadas).
Bibliografia (continuação)
Bibliografia complementar
Voltar

Postgraduate Program in Social Sciences