UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

ATIVIDADES DOS GRUPOS DE PESQUISA DO PPGCOM DURANTE A PANDEMIA

Data: 21 de maio de 2020

Diante da impossibilidade do trabalho presencial, que está suspenso na Universidade Federal de Juiz de Fora desde o dia 18 de março, o PPGCOM da UFJF também suspendeu as aulas. No entanto, as atividades ligadas aos oito grupos de pesquisa, continuam em movimentação. Adequando-se ao novo contexto de distanciamento físico, os coordenadores e membros dos grupos buscam realizar ações que fortaleçam o trabalho já realizado e ecoem o simbolismo da pesquisa e da ciência. Apresentamos, portanto, um breve resumo das atividades realizadas por cada um dos grupos de pesquisa durante a quarentena.

 

O Núcleo de Jornalismo e Audiovisual atua como um espaço de investigação, estudo, experimentação e análise de materiais audiovisuais e outras narrativas jornalísticas. Sob a coordenação da professora Iluska Coutinho, o núcleo se associa a um grupo de estudos/pesquisas e um laboratório de desenvolvimento de projetos de extensão, treinamento profissional e monitoria. Nesse período de quarentena, as reuniões continuam acontecendo virtualmente, todas as quartas-feiras, às 15h. Além das reuniões semanais, o grupo também tem promovido o Ciclo de Estudos Remoto, que acontece todas as terças-feiras, às 21h30, em seu Instagram @nucleoj.a. Além disso, os integrantes do NJA continuam fazendo apontamentos e discutindo assuntos relacionados à mídia e à cobertura da pandemia do Coronavírus, em uma proposta de análise das coberturas realizadas nos últimos sete dias pela mídia brasileira, todos os sábados em suas redes sociais: Facebook e Instagram

 

O Grupo de Pesquisa Comunicação, Arte e Literacia Midiática possui uma dinâmica online mesmo antes da pandemia, visto que continuou a desenvolver normalmente as suas pesquisas durante o afastamento da professora Gabriela Borges, coordenadora do grupo, para realização de pós-doutorado no exterior. Desde o ano passado as reuniões ocorrem pelo virtualmente nas sextas-feiras das 14h às 17h. Vinculado ao grupo existe o Observatório da Qualidade no Audiovisual que tem o intuito de operar como um espaço de debate e de produção de conteúdo de caráter experimental a partir da curadoria, análise e crítica da produção audiovisual contemporânea, especialmente brasileira, para televisão, internet e outras plataformas de convergência. Mesmo com a suspensão do calendário acadêmico têm sido publicados vários resultados de projetos de pesquisa e extensão semanalmente, como as novas análises do projeto de fanfic, divulgação dos capítulos do livro “Competências midiáticas em cenários brasileiros: interfaces entre comunicação, educação e artes”, os vídeos do manifesto em defesa da pesquisa em comunicação audiovisual e as análises do MediaBox. Além disso, foi criado por iniciativa do grupo a ação #FiqueEmCasa, que divulga semanalmente no Instagram do Observatório dicas de maratona dos projetos do #Observatório, que engloba a Série, o Podcast, o Remix, o Espelhos e o MiniDocs, e uma curadoria dos conteúdos audiovisuais dos serviços de streaming que estão gratuitos durante a pandemia. 

  

O Grupo de Pesquisa Laboratório de Mídia Digital agrega estudos relacionados às áreas da Comunicação, Computação e outras, como as Artes e a Educação. Privilegia as interseções entre as produções audiovisuais, o aparato tecnológico, sem se esquecer de sua inclusão nas culturas moderna e contemporânea. Com a coordenação dos professores Carlos Pernisa Júnior (Facom) e Marcelo Moreno (DCC), tem a participação dos também docentes Eduardo Barrére (DCC) e Cristiano Rodrigues (Facom), além do pesquisador Stanley Teixeira, como convidado. As atividades consistem na realização de reuniões com os orientandos e professores todas segundas feiras às 14h, utilizando plataforma digital. O grupo inaugurou uma série chamada LMD Lives em seu perfil do Instagram para discutir assuntos referentes à comunicação, novas tecnologias, e os desafios do exercício da profissão em meio ao enfrentamento à Covid-19, preparando projetos como estratégias de ação. Organizaram e lançaram também, um evento online para debater como as tecnologias digitais podem proporcionar novas experiências narrativas e revolucionar o mercado brasileiro de HQs. O HQ Week, que acontecerá entre os dias 25 e 29 de maio. Os membros do grupo em nível de mestrado e doutorado seguem desenvolvendo seus projetos, utilizando das tecnologias disponíveis para ampliar suas pesquisas bibliográficas e estreitar relações pessoais com colegas acadêmicos.

  

O grupo Sensus: Discursos em Comunicação e Saúde, coordenado pelo professor Wedencley Alves Santana, mantém seus encontros de forma online durante a pandemia, através da plataforma virtual, sempre às quintas-feiras, de 13h às 14h. Atualmente os integrantes mobilizam as discussões voltadas para o VIII Ciclo de Leitura Sensus – Análise do Discurso e seus diálogos: biopolíticas, desejo e materialidades. Além das reuniões semanais, o grupo está em processo de organização da Revista Sensus, edição Covid-19, que irá trazer entrevistas com pensadores das diversas áreas das humanidades – como comunicadores e cientistas sociais – para falar sobre a pandemia. 

 

O Grupo Conexões Expandidas coordenado pela professora Soraya Ferreira, tem o propósito de unir e expandir as diversas pesquisas realizadas pelos seus integrantes ao criar uma rede de diálogo e discussões acerca das diferentes linguagens e dinâmicas comunicacionais. Os membros buscam entender os fenômenos contemporâneos sob a perspectiva de um ecossistema conectivo e digital que marca os estudos recentes da área da comunicação. Dentro dessas perspectivas o grupo mantém seus encontros online duas vezes na semana, às terças e quintas-feira, às 18h. Deste modo, as atividades de pesquisa, debates, orientações e análises seguem resultando na produção de textos acadêmicos. Além das atividades de pesquisa, que cada um dos membros protagoniza de forma individual, o grupo produziu um evento que apresentou 1000 minutos em Conexões Expandidas totalmente online e gratuíto através das suas redes sociais, no qual os conteúdos das lives está disponível através do Instagram. As atividades seguem com postagens semanais em seus canais de comunicação com abordagens que se aproximam das pesquisas vinculadas ao grupo. Além disso, no final do mês de maio será lançado um podcast. Para os próximos meses, com início em junho, temos como objetivo realizar reuniões abertas com convidados da comunicação para abordar temáticas pertinentes ao mundo digital e suas aspirações. 

 

O Grupo Namídia: Narrativas Midiáticas e Dialogias, com a coordenação da professora Cláudia Thomé (Facom/UFJF) e do professor Marco Aurelio Reis (Unesa-RJ), pesquisa as mudanças na narrativa jornalística, buscando detectar e analisar os deslizamentos entre os gêneros e as plataformas midiáticas, e as estratégias de uma hibridização que é anterior à convergência midiática. Durante o período de quarentena, mantém ativas as atividades de pesquisa, com reuniões periódicas remotas de debate, orientação, análises no campo da Comunicação e consolidação de resultados em textos acadêmicos. Em atendimento à chamada da UFJF para registro de ações de prevenção e enfrentamento à COVID-19, o Namídia criou o projeto “Oficinas informativas sobre a Covid 19: ação educacional de prevenção e contra fake news durante a pandemia”. Nesse sentido, o Namídia fechou parceria com pesquisadores de outras instituições e está analisando, em pesquisa integrada, as transformações ocorridas nos telejornais da Região Sudeste, diante da pandemia do Covid-19. O grupo mantém ainda nesse período suas redes sociais ativas, com divulgação das pesquisas, de forma leve e acessível, trazendo ainda atividades interativas no Instagram e divulgando conteúdos sobre curiosidades.

  

O grupo COMCIME: Comunicação, Cidade e Memória, que possui a coordenação da professora Christina Ferraz Musse, discute assuntos relacionados à memória, à história oral, à construção de narrativas e à representação da mídia em geral. As reuniões continuam sendo as segundas-feiras, às 14h, virtualmente. Atualmente, estamos discutindo assuntos permeantes da nostalgia. Textos produzidos pelos alunos tem sido postados no blog do Comcime semanalmente, também abastecendo o blog próprio do grupo, o “Memórias da Imprensa”, com impressos que circularam em Juiz de Fora. Nas redes sociais o COMCIME está presente no  Instagram  e no Facebook abastecidos diariamente. No Instagram, estão trabalhando uma série com os perfis dos integrantes do grupo e eles tem contado um pouco sobre a produção durante a quarentena. O projeto “Cinemas de Rua de Juiz de Fora” foi aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura – Murilo Mendes (Funalfa). Além disso, os integrantes continuam fazendo leituras e desenvolvendo suas pesquisas individuais.

 

O grupo Comunicação, Identidade e Cidadania surgiu em 2004 com a preocupação central nos impactos da mídia sobre a produção de saberes e identidades e suas conexões com os debates relativos às culturas locais e/ou globais e às questões contemporâneas da política. Liderado pelos professores Paulo Figueira e Leal e Luiz Ademir de Oliveira o grupo busca resgatar exatamente os potenciais diálogos entre os fenômenos da comunicação e os aspectos identitários e de vida cidadã – com especial ênfase nos estudos da Comunicação Política. Nesse momento de quarentena a equipe do grupo tem atuado em parceria com o grupo de pesquisa Meios e Mídias no contexto da pós verdade, da UNIP. Quinzenalmente, às quartas-feiras, são realizadas lives no Facebook, com grupos, convidados e espectadores sobre temas importantes que nos ajudam a compreender o contexto político que estamos inseridos: a própria pandemia, a disseminação de notícias falsas, entre outros temas que envolvam a comunicação e a política. Semanalmente, às segundas-feiras, o grupo se organiza para produzir podcasts, de modo a tornar público temas que são caros às nossas pesquisas e de interesse público, também. Além desses projetos, as orientações de mestrandos e doutorandos continuam virtualmente, com realização de ciclos de leituras remoto e também reuniões quinzenais por teleconferência. 

 

 

Para saber mais detalhes e acompanhar as produções textuais, visuais e artísticas de cada grupo, basta acessar as redes sociais e seus portais informativos que estão disponíveis no site do PPGCOM da UFJF. Enquanto não é possível continuar trabalhando no desenvolvimento da ciência, de modo particular na áreas de Comunicação Social presencialmente, os grupos de pesquisa se esforçam para fazer parte do cotidiano dos  pesquisadores e da população com atividades essenciais para a manutenção da pesquisa no atual cenário de distanciamento. 

 

É importante ressaltar que mesmo nesse período o PPGCOM permanece com suas comissões – administrativas e de apoio – ativas. Permanecem sendo realizadas reuniões de estudo e trabalho, entre outras atividades, como eventos remotos e ações de investigação e produção científica como forma de enfrentamento da pandemia. As atividades de secretaria também permanecem sendo realizadas de forma não presencial, e em caso de necessidade pode ser remetida mensagem para o endereço eletrônico secretariappg.facom@ufjf.edu.br. Como forma de orientar suas ações, o Programa segue acompanhando as determinações do Comitê Técnico de Enfrentamento da Pandemia na UFJF.

Compartilhe:

    Programa de Pós-Graduação em Comunicação