UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Doação de fetos/embriões de maternidades ou hospitais de Juiz de Fora e região

Você está em: Extensão > Doação de fetos/embriões de maternidades ou hospitais de Juiz de Fora e região

Título do Projeto: Doação de fetos/embriões de maternidades ou hospitais de Juiz de Fora e região para o acervo (Museu de Anatomia Hildegard Rodrigues) da Universidade Federal de Juiz de Fora.

 

Coordenadora: Profa. Maria Inês da Cruz Campos 

 

Discentes: 

Luíza Miranda e Silva

Geisa Maria Lourenço Silva

Ivana Rodrigues Marina Ramalho

Samara Moraes Santos          

 

Duração: 12 meses

 

Resumo

O projeto em questão visa a doação de fetos ou embriões por gestantes que tenham sofrido abortamento espontâneo. Os alunos participantes do projeto serão treinados a participar das salas de espera de hospitais e maternidades da cidade e região, onde são realizados os cursos de pré-natal para estas pacientes. Estes alunos farão palestras no intuito de sensibilizar as gestantes para que, no caso de abortamento, as mesmas doem seus fetos para o acervo da UFJF de modo a servirem de material de estudo para os acadêmicos dos cursos de saúde desta instituição.

Fundamentação: A montagem de um museu de Ciências Morfológicas com enfoque na área humana deve integrar áreas do conhecimento fundamentais ao entendimento da estrutura e funcionamento dos organismos, como a Embriologia, que focaliza o desenvolvimento embrionário e fetal do indivíduo, desde a fertilização até o nascimento; a Anatomia, que estuda aspectos como forma, dimensão, constituição e localização dos diferentes órgãos e sistemas; a Citologia e Histologia, que abordam a intimidade microscópica e ultramicroscópica dos organismos, possibilitando o conhecimento de sua organização molecular, organelas, células e tecidos, bem como de suas interações morfofuncionais (MOORE, PERSAUD, 2008). O estudo das Ciências Morfológicas é básico para os cursos das áreas biológicas e da saúde e é fundamental para todo cidadão que busca conhecer o seu próprio organismo (ARAÚJO, 2011).

Objetivos: habilitar acadêmicos das áreas de saúde a participarem de cursos pré-natal para gestantes através de ministração de palestras sobre saúde das gestantes, saúde do feto e possíveis causas de abortamento (traumas, alcoolismo, tabagismo, uso de drogas, etc); coletar os fetos que são desprezados por aborto espontâneo nos hospitais/maternidades da cidade de Juiz de Fora e região; recolher, através do processo de doação, os fetos que são desprezados e, posteriormente, avaliar segundo o sexo, tamanho e possível causa da interrupção da gestação; armazenar em frascos etiquetados cada um dos fetos de modo a possibilitar sua apresentação ao público acadêmico; criar um acervo de fetos abortados pelas diversas causas para serem apresentados à comunidade.

Métodos: O projeto seria parte integrante do Programa Sempre Vivo pertencente ao Departamento de Anatomia. Este programa já funciona há anos na Universidade com o intuito de captação de corpos para o anatômico da mesma instituição. Hospitais e maternidades de Juiz de Fora serão visitados de modo a conhecerem o projeto que visa a doação de fetos. Estas peças doadas serão trazidas para o Departamento de Anatomia, localizado no ICB, da UFJF e, após serem avaliados, serão catalogados e separados por sexo, tamanho e tipo de patologia que levou à interrupção da gestação.

 

Local de realização: Departamento de Morfologia/Museu de Anatomia prof. Hildegard Rodrigues (Departamento de Anatomia).