UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

PJF realiza ação de conscientização e preservação dos recursos hídricos

Data: 25 de maio de 2017

Precisamos de uma aproximação com o meio ambiente e se envolver com o problema FOTO: Jéssica pereira

      O “Dia Mundial da Água” foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 22 de março de 1992 para reforçar a importância desse recurso para nossa sobrevivência e a conscientização sobre a necessidade de mantê-lo disponível.

     A água é um recurso essencial para a sobrevivência de todos os seres vivos. Ela é a responsável por manter o corpo humano funcionando. Apesar de o nosso planeta ser repleto dela, estima-se que apenas 0,77% estejam disponíveis para o consumo humano e essa quantidade não está distribuída igualmente por todo o território.

     De acordo com a Professora do Programa de Pós-Graduação em Ecologia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Simone Jaqueline Cardoso, os desafios para preservação da água em nossa sociedade são muito e em escalas diferentes. “Temos o desafio em nível individual que consiste em como o ser humano pode adaptar seu dia a dia, a sua rotina para preservar o recurso. E tem o desafio a nível coletivo, que seria para a sociedade em forma conjunta”, comentou.

     A professora reforçou, também, que a sociedade deve adotar um pensamento mais crítico com relação aos bens de consumo e o uso consciente do recurso, além de se programar para que o desabastecimento da água não aconteça.

     “Às vezes, não temos a compreensão de que ao se preservar florestas, nascentes, estamos preservando o recurso água que está disponível para consumo. Só pensamos no problema quando ele ocorre”, salientou. “Temos que adotar um pensamento crítico e estratégico em longo prazo. É necessário ter regras e leis que garantam a preservação do recurso, além da conscientização do cidadão em diminuir o uso”, completou.
A especialista destacou, ainda, a importância de uma aproximação entre o ser humano e a natureza e que é possível reduzir os impactos e recuperar os ecossistemas hídricos. “Antigamente, as pessoas tinham um rio passando perto de suas casas, elas pescavam. Hoje em dia, perdemos a intimidade com a natureza. Estamos muito distante, o que dificulta ter a sensação de que é preciso fazer alguma coisa. O primeiro passo para recuperar é a conscientização ambiental”, finalizou.

 

Conscientização

     Nessa quarta-feira, 22, será realizada palestra no Centro de Educação Ambiental do Parque da Lajinha, que abordará o tema “Gestão de Bacias”, com o geógrafo da SMA, Alex Campos, com a participação de estudantes e profissionais da área. Não será necessária a realização de inscrições.

     O geógrafo comentou sobre a relevância de traçar um planejamento de gestão para obter boa qualidade e quantidade da água. “A ideia é abordar a gestão para criação de determinados planos que venham trazer benefícios para o meio ambiente e especificamente tratar a questão da água como um dos bens mais importantes do mundo”, explicou.

     O Secretário de Meio Ambiente, Luiz Cláudio Santos, reforçou a importância de conscientizar a população sobre os recursos hídricos. “Essa é uma questão primordial, a conscientização. Essa é uma ação necessária para que a população se atente ao tema. Precisamos reduzir o consumo, preservar áreas verdes para que se possa ter área de recarga e aumento nas nascentes”, disse o secretário.

     De acordo com Santos, a Prefeitura realizará mais ações para promover a melhora na utilização do recurso e garantir que não fique escasso. “Estamos executando o projeto de reflorestamento em área urbana que influência na recarga de água nas nascentes. Essa é uma atividade essencial para que se tenha o recurso e não dependa exclusivamente da chuva. Outro trabalho que estamos organizando em parceria com Cesama, é o programa “produtor de água”, que visa aumentar e melhorar a qualidade. Além disso, tanto a Cesama quanto a secretaria de meio ambiente, ministra palestras em escolas e outros estabelecimentos com o objetivo de educar e conscientizar”, finalizou.

 

22.03.2017 no Diário Regional