UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Projetos

Você está em: Projetos

Projetos de pesquisa recentes dos colaboradores do Laboratório de Análises Territoriais e Setoriais – LATES.

 

Título: Expansões logísticas, competitividade e efeitos regionais: os casos dos setores ferroviário e portuário na política comercial brasileira.

Integrantes: Prof. Dr. Admir Antônio Betarelli Junior (Coord.); Prof. Dr. Fernando Salgueiro Perobelli; Prof. Dr. Weslem Rodrigues Faria; Inácio Fernandes de Araújo Junior; Marcus Vinicius Amaral e Silva; Ramon Goulart Cunha; Vinicius de Almeida Vale.

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) – Ciências Sociais Aplicadas.

Início(Período de vigência): Dezembro de 2015 (24 meses).

Descrição: O objetivo principal deste projeto será analisar os desdobramentos econômicos dos ganhos de produtividade dos sistemas ferroviários e portuários sobre as atividades exportadoras, as Unidades Federativas e a economia brasileira como um todo entre 2015 e 2025. O imperativo de conciliação entre teoria econômica aplicada e estudos empíricos com relevância para os formuladores de política coloca os modelos de Equilíbrio Geral Computável (EGC) como forte candidato a preencher esta lacuna. 

– – – –

Título: Hierarquia urbana e invenções no Brasil

Integrantes: Prof. Dr. Eduardo Gonçalves (Coord.); Sara Monteiro dos Santos; Rodrigo Siqueira Rodriguez.

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) – Ciências Sociais Aplicadas.

Início(Período de vigência): Dezembro de 2015 (24 meses).

Descrição: O projeto busca contribuir para a literatura de Economia da Inovação investigando a distribuição espacial da atividade tecnológica brasileira, medida por dados de depósitos de patentes, referentes ao período 2000-2011, segundo a localização dos seus inventores. Objetiva-se usar não somente os depósitos de patentes como medidas de invenção, como também os diversos códigos (classes tecnológicas) presentes nos registros de depósitos de patentes a fim de se identificar a posição relativa de cada região brasileira segundo sua especialidade tecnológica. Em termos de unidade espacial de análise, pretende-se usar as cidades brasileiras agregadas por suas regiões de influência, com base no conceito do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de Região de Influências das Cidades – REGIC-2007 (IBGE, 2008). Em termos metodológicos, são investigadas questões relativas à hierarquia, concentração e padrões de dependência espacial das invenções urbanas por meio de, respectivamente, Lei de Zipf, coeficiente de Gini e I de Moran local.

– – – –

Título: Avaliação de questões inerentes ao comércio internacional e impactos ambientais (emissões): uma modelagem de equilíbrio geral computável.

Integrantes: Prof. Dr. Weslem Rodrigues Faria (Coord.); Prof. Dr. Fernando Salgueiro Perobelli; Vinicius de Almeida Vale.

Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) – Demanda Universal.

Início(Período de vigência): Agosto de 2015 (24 meses).

Descrição: Dado as mudanças da economia mundial ao longo do anos, como por exemplo dos níveis de atividade econômica, população, renda per capita e a maior integração econômica com significativos avanços tecnológicos nos ramos de comunicação e informação, redução de barreiras comerciais e investimento estrangeiro, os custos de transações de comércio internacional reduziram substancialmente, levando a um aumento de 14 vezes no comércio desde 1950. Entretanto, apesar de uma aparente evolução e crescimento da economia mundial, questão inerentes aos impactos ambientais surgem nas discussões, i.e. discussões em torno do comércio internacional e os efeitos das políticas ambientais têm sido realizadas pela comunidade ambientalista. Diante desse contexto, o presente projeto de pesquisa tem como objetivo avaliar os impactos da estrutura de comércio brasileiro sobre as emissões, i.e. avaliar as perdas e/ou ganhos ambientais do Brasil ao se envolver no comércio internacional. Para atingir os objetivos propostos, utilizar-se-á um modelo de Equilíbrio Geral Computável para o Brasil.

– – – –

Título: Efeitos econômicos de longo prazo da recente política de revisão tarifária do setor ferroviário no estado de Minas Gerais.

Integrantes: Prof. Dr. Admir Antonio Betarelli Junior (Coord.); Prof. Dr. Fernando Salgueiro Perobelli; Prof. Dr. Suzana Quinet Andrade Bastos; Prof. Dr. Eduardo Gonçalves; Prof. Dr. Weslem Rodrigues Faria; Prof. Dr. Eduardo Almeida.

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) – Demanda Universal.

Início(Período de vigência): Novembro de 2014 (36 meses).

Descrição: O objetivo principal deste projeto é analisar os desdobramentos da política de revisão do teto tarifário do setor ferroviário de carga entre 2013 a 2025 sobre as atividades econômicas mais intensivas no uso deste modal e sobre a economia mineira como um todo. Para tanto é necessária a utilização de um instrumental metodológico, capaz de lidar de maneira sistêmica e consistente com as várias interações dos agentes econômicos em vários níveis institucionais (setoriais, microrregionais, famílias, etc.), assim como o detalhamento dos serviços de transporte de carga no Estado. O imperativo de conciliação entre teoria econômica aplicada e estudos empíricos com relevância para os formuladores de política coloca os modelos de equilíbrio geral computável (EGC) como forte candidato a preencher esta lacuna.

– – – –

Título: Desdobramentos da recente política de revisão tarifária do setor ferroviário na economia mineira.

Integrantes: Prof. Dr. Fernando Salgueiro Perobelli (Coord.); Prof. Dr. Admir Antonio Betarelli Junior; Prof. Dr. Suzana Quinet Andrade Bastos; Prof. Dr. Eduardo Gonçalves; Prof. Dr. Weslem Rodrigues Faria; Prof. Dr. Eduardo Almeida.

Financiador(es): Pró-Reitoria de Pesquisa (PROPESQ) da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Início(Período de vigência): Maio de 2014 (24 meses).

Descrição: O projeto tem por objetivo Analisar os desdobramentos da política de revisão do teto tarifário do setor ferroviário de carga entre 2013 a 2025 sobre as atividades econômicas mais intensivas no uso deste modal e sobre a economia mineira como um todo. Essa política de revisão tarifária altera a estrutura de preços relativos na economia e, consequentemente, há uma realocação dos recursos nas interdependências setoriais no Estado mineiro. A distribuição e intensidade destes efeitos no sistema produtivo dependem das relações diretas e indiretas relacionadas ao uso do transporte ferroviário de carga. Desse modo, a análise dos impactos decorrentes dos choques desta política requer uma grande atenção sobre o próprio transporte ferroviário de carga e seus principais demandantes.

Laboratório de Análises Territoriais e Setoriais – LATES