UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Plano de Ensino

Disciplina: ESA085 - TRATAMENTO DE LODO DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESCOTOS E DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA

Créditos: 4

Departamento: DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA SANITARIA AMBIENTAL

Ementa Lodo de ETE: Composição do lodo de esgoto. Tecnologias de adensamento de lodo. Tecnologias de digestão de lodo. Tecnologias de desaguamento de lodo. Tecnologias de higienização do lodo. Disposição final e/ou aproveitamento. Lodo de ETA: Composição do lodo de ETA. Variação das características. Destino final e recuperação de coagulante.
Conteúdo PROGRAMA DA DISCIPLINA:
1. Geração e composição do lodo de esgoto:
1.1. Relação entre tecnologias de tratamento de esgoto e fluxogramas de tratamento da fase sólida (lodo).
1.2. Geração e caracterização de lodo primário e secundário.
1.3. Gerenciamento de lodo (custo, produção, gestão, legislação, etc).
1.4. Características do lodo, tais como teor de sólidos, massa volume, tanto de lodo líquido a ser tratado como de lodo seco.
1.5. Conceito de captura de sólidos.
1.6. Aspectos legais.
1.7. Conhecimento da NBR 12.209/2011 - Elaboração de Projetos Hidráulico-Sanitários de Estações de Tratamento de Esgoto.

2. Tecnologias de adensamento de lodo:
2.1. Conceito.
2.2. Características do lodo na etapa de adensamento.
2.3. Adensamento por gravidade e por flotação.
2.4. Adensamento por esteiras, centrífugas e tambores rotativos.
2.5. Dimensionamento das tecnologias e controle operacional.

3. Tecnologias de digestão de lodo:
3.1. Conceito.
3.2. Características do lodo na etapa de digestão.
3.3. Digestão anaeróbia e aeróbia.
3.4. Estabilização química.
3.5. Dimensionamento das tecnologias e controle operacional.

4. Tecnologias de desaguamento de lodo:
4.1. Conceito.
4.2. Características do lodo na etapa de desaguamento.
4.3. Leitos de secagem.
4.4. Filtros prensa e de esteira.
4.5. Centrífugas.
4.6. Secagem térmica como forma de desaguamento e de higienização de lodo.
4.7. Contentores geotêxteis.

5. Disposição final e/ou aproveitamento de lodo:
5.1. Aplicação no solo (aterro sanitário, recuperação de áreas degradadas, reuso agrícola - CONAMA 375).
5.2. Reuso industrial (agregado para construção civil, incorporação à tijolos cerâmicos, produção de fertilizantes/compostagem e incineração.

6. Revisão sobre Revisão sobre etapas do tratamento de água:
6.1. Filtração lenta, filtração em múltiplas etapas, filtração direta, filtração com floculação, dupla filtração, tratamento convencional. Desinfecção, correção de pH e fluoretação.

7. Características do lodo gerado em ETA:
7.1. Variação em função da água bruta, das técnicas de tratamento, da quantidade e dos tipos de produtos químicos utilizados, dos locais onde foram gerados e do intervalo de limpeza de decantadores e filtros.
7.2. Características do lodo dos decantadores, das água de lavagem dos filtros e da limpeza de floculadores.

8. Disposição final de lodo de ETA:
8.1. Aterro sanitário, aplicação no solo, lançamento em ETEs, recuperação do coagulante.




Bibliografia BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
1. BLUCHER, E. "Tratamento de Lodos de Estações de Tratamento de Água". 1ª ed. 2001. 112p.
2. JORDÃO, E.P.; PESSOA, C.A. "Tratamento de Esgotos Domésticos". 6ª Edição. Rio de Janeiro: ABES, 2011. 940 p.
3. von SPERLING, M. "Princípios do Tratamento Biológico de Águas Residuárias Lodo de Esgotos: Tratamento e Disposição Final". Vol. 6. 1ª edição. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001. 484 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
1. Artigos técnicos (periódicos CAPES).
2. Guia do ReCESA (Rede Nacional de Extensão e Capacitação Tecnológica em Saneamento Ambiental) - "Lodo Gerado Durante o Tratamento de Água e Esgoto" - Belo Horizonte/MG. 2007- distribuído em PDF pela professora.
3. Livros do PROSAB (Programa de Pesquisa em Saneamento Básico e Ambiental): disponível em: .
4. METCALF & EDDY. Wastewater Engineering: Treatment, Disposal and Reuse. 4a ed. New York: McGraw Hill, 2003. 1815p.
5. VIANA, M.R. "Hidráulica Aplicada às Estações de Tratamento de Água". 3ª Edição. Belo Horizonte: Imprimatur, 1997.
6. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 12.209 (2011). "Projetos de Estação de Tratamento de Esgotos". Rio de Janeiro: ABNT, 2011.
7. BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA n° 375 de 29 de agosto de 2006. Define critérios e procedimentos para o uso agrícola de lodos de esgoto gerados em estações de tratamento de esgoto sanitário e seus produtos derivados e dá outras providências. Brasília/DF, agosto de 2006.
Bibliografia (continuação)
Bibliografia complementar
Voltar

Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental