UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Plano de Ensino

Disciplina: CRE050 - PENTECOSTALISMO

Créditos: 4

Departamento: DEPTO DE CIENCIA DA RELIGIAO /ICH

Ementa A disciplina visa estudo introdutório ao cristianismo protestante pentecostal, analisando-o a partir de suas origens e fundamentações histórico-teológicas e enquanto fenômeno social. Buscar-se-á visualizar e compreender as várias tipologias ou variantes pentecostais, sobretudo no Brasil e América Latina. Além do estudo sobre as origens do pentecostalismo e suas variantes doutrinais e eclesiais, a disciplina visa à compreensão do impacto que os diversos tipos de pentecostalismo, em seus devidos momentos e contextos histórico-sociais, causaram e causam ao cristianismo não pentecostal, particularmente o católico e o protestante, e ao campo religioso em sua configuração mais ampla, observando as relações dinâmicas, trocas e trânsitos simbólicos, que operam as relações entre pentecostalismo, cristianismo não pentecostal e religiões não cristãs. Ademais, é visada a análise a respeito de como, em sua interação com a sociedade civil, o pentecostalismo impacta a mesma, particularmente em suas figuras política, econômica e legal. Perguntar-se-á, também, pelos sentidos e significados que o pentecostalismo apresenta e oferece aos seus aderentes, e como tais sentidos e significados são assimilados por estes. Enfatiza, portanto, a disciplina, o compreender o pentecostalismo - em suas diversas modalidades - em suas interfaces histórica, teológico-doutrinária e social, além de apresentar e problematizar teorias teológicas e histórico-sociológicas a respeito do surgimento, desenvolvimento, crescimento, sedimentação e afirmação dos modelos cristãos pentecostais nas sociedades em que se encontram, enfatizando a sociedade brasileira.
Conteúdo Questões histórico-teológicas e doutrinais:
. Bíblia e pentecostalismo: leituras e hermenêuticas no Antigo e Novo Testamentos
. Igreja antiga: movimentos quiliastas e montanismo
. Igreja medieval: joaquimismo e místicas medievais
. Reforma protestante: anabatistas e entusiastas
. Movimentos metodistas na Inglaterra e movimentos avivalistas nos Estados Unidos (séculos XVIII e XIX)
. Origens contemporâneas: reformas pentecostais norte-americanas no início do século XX e suas expansões (William Seymour e Charles Parham)
. Pentecostalismo no Brasil I: origens (Assembleias de Deus e Congregação Cristã no Brasil)
. Pentecostalismo no Brasil II: décadas de 50 e 60 (Igrejas autóctones e cruzadas norte-americanas)
. Pentecostalismo no Brasil III: décadas de 70 e 80 (pentecostalismo renovado, ou neopentecostal)
. Pentecostalismo no Brasil IV: décadas de 90 e século XXI (neopentecoslismo e suas reinvenções)
. Principais teologias, doutrinas e referenciais simbólicos e semânticos atinentes ao (neo) pentecostalismo
Questões sociais:
. (Neo) Pentecostalismo e camadas sociais excluídas
. (Neo) Pentecostalismo, espaço público e sociedade civil
. (Neo) Pentecostalismo e mídias
. (Neo) Pentecostalismo, campos semântico-simbólicos, dinâmicas sincréticas e trânsitos-itinerários religiosos
. Relações entre modernidade, pré-modernidade, pós-modernidade e (neo) pentecostalismo
. Relações entre (neo) pentecostalismo e demais igrejas e religiões do campo religioso, particularmente no Brasil
. (Neo) Pentecostalismo e novas formas de sociabilidade e de construção identitária
Bibliografia
CAMPOS, Bernardo. Da reforma protestante à pentecostalidade da Igreja: debate sobre o pentecostalismo na América Latina. São Leopoldo: Sinodal; Quito: CLAI, 2002.
CORTEN, André. Os pobres e o Espírito Santo: o pentecostalismo no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1996.
MARIANO, Ricardo. Neopentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. São Paulo: Loyola, 1999.
Bibliografia (continuação)
Bibliografia complementar ALMEIDA, Ronaldo de. A expansão pentecostal: circulação e flexibilidade. In: TEIXEIRA, Faustino; MENEZES, Renata. As religiões no Brasil: continuidades e rupturas. Petrópolis: Vozes, 2006. p. 111-122.
ANTONIAZZI, Alberto et all. Nem anjos, nem demônios: interpretações sociológicas do pentecostalismo. Petrópolis: Vozes, 1994.
BITTENCOURT FILHO, José. Do protestantismo sincrético: um ensaio teológico-pastoral sobre o pentencostalismo brasileiro. In: Curso de verão: ano VII. São Paulo: Paulus: CESEP, 1993. p.107-119.
CAMPOS JÚNIOR, Luís de. Pentecostalismo: sentidos da palavra divina. São Paulo: Ática, 1995.
CAMPOS, Leonildo Silveira. Teatro, templo e mercado: organização e marketing de um empreendimento neopentecostal. Petrópolis: Vozes, 1997.
CESAR, Waldo; SHAULL, Richard. Pentecostalismo e futuro das igrejas cristãs: promessas e desafios. Petrópolis: Vozes, 1999.
CORTEN, André; ORO, Ari Pedro; DOZON, Jean-Pierre. Igreja Universal do Reino de Deus: os novos conquistadores da fé. São Paulo: Paulinas, 2003.
FRESTON, Paul. Uma breve historia do pentecostalismo brasileiro: a Assembléia de Deus. In: Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, v.16, fas. 03, p.104-129, Maio 1994.
HOLLENWEGER, Walter J. De Azusa-Street ao fenômeno de Toronto: raízes históricas do movimento pentecostal. In: Concilium, Petrópolis, v.32, fas. 265, p.382-394, 1996.
HOLLENWEGER, Walter J. El pentecostalismo: historia y doctrinas. Buenos Aires: La Aurora, 1976.
LAND, STEVEN J. Orar no Espírito: perspectiva pentecostal. In: Concilium, Petrópolis, v.32, fas.265, p.480-489, 1996.
MARIANO, Ricardo. Sociologia do crescimento pentecostal no Brasil: um balanço. In: Perspectiva Teológica, Belo Horizonte, v.43, n.119, Jan./Abr 2011.
MARIZ, Cecília Loreto. O demônio e os pentecostais no Brasil. In: CIPRIANI, Roberto; ELETA, Paula; NESTI, Arnaldo. Identidade e mudança na religiosidade latino-americana. Petrópolis: Vozes, 2000. p. 251-264.
MCCREADY, William. Uma análise sociológica dos pentecostais. In: Concilium, Petrópolis, v.08, fas.72, p. 225-229, 1972.
MENDONÇA, Antonio Gouvêa. Evangélicos e pentecostais: um campo religioso em ebulição. In: TEIXEIRA, Faustino; MENEZES, Renata. As religiões no Brasil: continuidades e rupturas. Petrópolis: Vozes, 2006. p. 89-110.
MENDONÇA, Antonio Gouvêa. Protestantes, pentecostais e ecumênicos: o campo religioso e seus personagens. São Bernardo do Campo: Umesp, 1997.
MENDONÇA, Antonio Gouvêa; VELASQUES FILHO, Prócoro. Introdução ao protestantismo no Brasil. São Paulo: Loyola, 1990.
NOVAES, Regina Reyes. Os escolhidos de Deus: pentecostais, trabalhadores e cidadania. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1985.
PASSOS, João Décio (org.). Movimentos do Espírito: matrizes, afinidades e territórios pentecostais. São Paulo: Paulinas, 2005.
PASSOS, João Décio. Pentecostais: origens e começo. São Paulo: Paulinas, 2005.
PORTELLA, Rodrigo. Sob o signo do Espírito Santo: uma análise do pentecostalismo clássico a partir da perspectiva de sua contribuição ao fomento da auto-estima de pessoas excluídas. In: Litterarius, Santa Maria, v.4, n.2, jul./dez. 2005. p. 17-46.
QUADROS, Eduardo Gusmão de. O silêncio e a balbúria: sobre a experiência pentecostal. In: Fragmentos de Cultura, Goiânia, v.15, fas. 01, p. 145-156, Janeiro 2005.
ROCHA, Alessandro Rodrigues; TEPEDINO, Ana Maria de Azevedo Lopes. Vindo desde as margens do mundo: uma leitura do pentecostalismo a partir das teorias da marginalidade. In: Perspectiva Teológica, Belo Horizonte, v.43, n.119, p.37-53, Jan./Abr 2011.
SEPÚLVEDA, Juan. Nascidos de novo: batismo e Espírito - perspectiva pentecostal. In: Concilium, Petrópolis, v.32, fas.265, p. 496-502, 1996.
SOUZA, Beatriz Muniz de. A experiência da salvação: pentecostais em São Paulo. São Paulo: Duas Cidades, 1969.
VACCARO, Gabriel. Puntos fundamentales del pentecostalismo. Quito: CLAI, 1992.
Voltar

Departamento de Ciência da Religião