Clipping UFJF – 08, 09 e 10 de Abril de 2014

08/04/2014

Veículo: G1
Editoria: Zona da Mata

Programa Boa Vizinhança da UFJF convoca excedentes

Alunos que foram contemplados na lista de excedentes para o curso de inglês do Programa Boa Vizinhança da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) tem até o sábado (12) para garantir a vaga. Foram 24 desistências, decorrentes do não comparecimento nas duas primeiras aulas do curso, ocorridas nos dias 22 e 29 de março.

O aluno que não compareceu à aula do dia 5, deve estar presente na aula do dia 12 para efetivar a vaga. É necessário apresentar documento de identidade ao professor bolsista responsável pela turma.

As aulas do Programa Boa Vizinhança são ministradas por estudantes do curso de Letras, orientados pela coordenadora do projeto, professora Marta Cristina da Silva, sempre aos sábados, das 8h às 12h, na Faculdade de Letras, no campus. O curso tem duração de três semestres e, ao final do terceiro módulo, os alunos aprovados receberão certificado de conclusão emitido pela Pró-reitoria de Extensão (Proex).

——————————————————————-

Veículo: G1

Editoria: Zona da Mata

Número de alunos estrangeiros na UFJF em 2014 é o maior da instituição

Em 2014, o número de estudantes estrangeiros que cursa graduação e pós-graduação na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) já é o maior da história da instituição, segundo a coordenadora institucional do projeto “Ciências Sem Fronteiras”, Rossana Melo. Nesta semana chegaram à cidade 15 estudantes latino-americanos que foram fazer uma pós-graducação na universidade. Para a UFJF, vários são os benefícios, sendo que o principal deles a visibilidade no exterior.

Dentre os 15 recém-chegados ao Brasil, a americana Natália de Menezes realiza uma antiga vontade. A estudante vai ficar por seis meses na UFJF estudando Política Brasileira. Ela é descendente de moçambicanos e resolveu aprimorar o português. Além de cursar a disciplina para estrangeiros, a americana também terá aulas de política nacional, movimentos sociais e pensamento social brasileiro. “Primeiro eu quero aprender um português melhor porque meu pai é moçambicano e minha avó, lá em Moçambique, não fala inglês, então queria aprender português para poder falar com ela”, ralatou a estudante.

Já para o estudante Oscar Marin, que saiu da Colômbia junto com outros colegas, o mestrado em Matemática que está sendo cursado em Juiz de Fora oferece o conhecimento de uma nova cultura que vai poder levar de volta para o país dele. “As pessoas sempre nos recebem com risadas, dão um jeito, ajudam, tudo certo, sempre. Eu gosto muito disso. A cidade é similar à que eu morava na Colômbia. Gosto do clima e de tudo”, comentou Oscar Marin.

De acordo com a Secretaria de Relações Internacionais da UFJF, atualmente são 60 alunos estrangeiros estudando na instituição, sendo a maioria da américa latina. Mas a expectativa é que até o fim deste ano o número cresça mais do que o dobro, com 150 alunos do mundo inteiro. “Nós temos, hoje, 125 convênios diretamente estabelecidos com instituições estrangeiras. Isso significa que, além de nós termos 125 destinos para os nossos estudantes lá fora, nós podemos receber também estudantes de 125 instituições estrangeiras. É a primeira vez na história da UFJF que nós recebemos os estudantes de todos os continentes. Então isso é um fato novo que demonstra que a visibilidade da UFJF vem crescendo no exterior”, concluiu a coordenadora institucional do “Ciências Sem Fronteiras”, Rossana Melo.

——————————————————————-

Veículo: Tribuna de Minas
Editoria: Esporte

Inscrições para Corrida da UFJF e Speed of Sound

Foram abertas as inscrições para a Speed of Sound, terceira prova do 28º Ranking Prefeitura de Juiz de Fora de Corridas de Rua, que este ano conta com 13 etapas. Com percurso praticamente plano, a largada da Speed of Sound acontece no Campus da UFJF, às 19h do dia 10 de maio, seguindo pela BR-440 até a Represa de São Pedro. A volta é feita pelo mesmo local, com chegada na universidade, encerrando o trajeto praticamente todo plano. A prova promete, como diferencial, uma grande estrutura de som e luz para não deixar os atletas desanimarem. A participação nas corridas de 4km e 10km custa R$ 40, até o dia 27 de abril. Maiores de 60 anos pagam a metade do valor. As inscrições podem ser feitas pessoalmente na Vidativa (Rua Morais e Castro, 724, Alto dos Passos) ou pelo site ativo.com. O evento é uma parceria da Vidativa Consultoria Esportiva com a Viva Eventos.

Corrida da UFJF

Já as inscrições para a 4ª Corrida e Caminhada da UFJF seguem com desconto até o próximo domingo (13). O primeiro lote custa R$ 40. A partir do dia 14, até o dia 21, as inscrições terão o valor de R$ 60. No kit de cada participante virão mochila-saco, squeeze ecológico, viseira e porta celular, além da camisa oficial em tecido link fresh. A prova principal, de 7km, acontece no dia 27 de abril, às 8h, com largada no Campus da UFJF. O percurso ainda não foi definido, mas, de acordo com a organização do evento, será totalmente plano. As inscrições podem ser feitas no restaurante Salsa Parilla (apenas o localizado no Campus da UFJF), na Terrabike (Rua Roberto de Barros, 200; e Ladeira Alexandre Leonel, Spazio Design), nas lojas Pra Correr (Rua Mister Moore, 75/153) e Camorra Tênis (Rua São João, 297). As provas infantis acontecem no sábado (26). Mais informações estão no site corridaufjf.com.br. A 4ª Corrida e Caminhada da UFJF é realizada pela própria universidade, com o apoio da Prefeitura de Juiz de Fora e da Fadepe.

——————————————————————-

09/04/2014

Veículo: Acessa

Editoria: Educação

Professores da UFJF e do IF Sudeste realizam paralisação nesta quinta-feira

Nesta quinta-feira, 10 de abril, os professores da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e do Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG) paralisarão suas atividades para se reunir às 9h, na Sede da Associação dos Professores do Ensino Superior de Juiz de Fora (Apes). O ato, que é realizado simultaneamente a uma reunião do Ministério da Educação (Mec), com membros da diretoria nacional do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), tem o objetivo de mostrar ao governo o desejo de uma negociação e, caso não seja oferecida, a deflagração de uma greve nacional.

Segundo o vice-presidente da Apes JF, Agostinho Beghelli Filho, o encontro servirá para mostrar as condições de trabalho da categoria para os professores. “Mostraremos algumas tabelas salariais e a defasagem do salário, além das condições precárias de atuação em alguns locais como o campus da UFJF em Governador Valadares”, conta. Segundo Filho, há dois anos várias entidades do serviço público assinaram um acordo de salário com o Governo Federal. No entanto, o Andes não o fez porque não tinha como prever se a perspectiva de inflação seria suprida pelos salários propostos. “Hoje, como previmos, os salários que foram acordados não são compatíveis com a inflação atual e muitos professores perderam com isso”, afirma. Além dessas questões, a autonomia universitária dos reitores também é uma das pautas, já que, segundo o vice-presidente, a maioria das ordens são indicadas pelo Mec.

Na sexta-feira, 11 de abril, representantes da Apes farão uma audiência com o reitor da UFJF, Henrique Duque, para a apresentação das pautas dos professores.

Greve dos servidores

Após 23 dias de greve e a adesão de 32 universidades, os Servidores Técnicos-administrativos em educação (TAEs) da UFJF decidiram nessa terça-feira, 8 de abril, pela manutenção da paralisação, que teve início no dia 14 de março. Segundo a assessoria do Sindicato dos Técnicos-Administrativos das Instituições Federais de Ensino de Juiz de Fora (Sintufejuf), nenhuma negociação foi satisfatória até o momento.

Nesta quinta-feira, 10 de abril, às 13h, será realizada uma ocupação no saguão da Reitoria para a discussão de assuntos relacionados à greve e às 16h o comando se reúne com a administração. Ainda segundo a assessoria, é possível que uma carta com as pautas da categoria seja entregue ao reitor. Na próxima terça-feira, 15 de abril, mais uma Assembleia Geral está marcada para as 9h no R.U. do Centro.

Até agora, serviços como bibliotecas central e setoriais, setor de transportes, restaurantes universitários, Coordenadoria de Assuntos e Registros Acadêmicos e almoxarifado continuam parados. 

UFJF

Em nota, a Administração Superior da Universidade Federal de Juiz de Fora afirma que “respeita a mobilização dos técnico-administrativos em educação (TAEs) e compreende que a greve interfere no cotidiano da universidade ao interromper a prestação de determinados serviços, como Restaurante Universitário, bibliotecas e Central de Atendimento” e ainda afirma que “acompanha, com atenção, as negociações entre servidores e órgãos do governo federal, esperando que se alcance um acordo o mais breve possível.”

——————————————————————-

Veículo: Ecaderno

Editoria: Universitário

Calendário de eleição para reitor da UFJF segue indefinido

Ainda sem data definida para acontecer, o processo eleitoral para reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) já foi deflagrado pelo Conselho Superior (Consu) da UFJF. A comissão eleitoral é formada por três entidades da UFJF: A Associação de Docentes de Ensino Superior de Juiz de Fora (Apes), o Diretório Central dos Estudantes da UFJF (DCE) e o Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das instituições Federais de Ensino de Juiz de Fora (Sintufejuf).

De acordo com o presidente da Apes Paulo César de Souza Ignácio, as três instituições já indicaram seus representantes, sendo dois titulares e um suplente, pertencentes a cada entidade. Neste ano, a Apes é a responsável pela presidência da comissão eleitoral e irá conduzir o processo e estabelecer o calendário eleitoral.

Paulo César afirma que, em decorrência da greve dos técnico-administrativos, há dificuldades na condução das eleições. “Por este motivo, ainda não pudemos divulgar o calendário, mas acredito que em breve iremos defini-lo”.

O coordenador geral do Sintufejuf Paulo Dimas completa que foi decidido, em comum acordo entre as três categorias, que, enquanto uma delas estiver em greve, não ocorrerá processo eleitoral e, em virtude disso, não haverá nenhuma inscrição de chapa. Por este motivo, as eleições previstas para junho seguem sem data definida e sem nomes de possíveis candidatos à reitoria da UFJF.Caso os prazos eleitorais não possam ser cumpridos, a decisão sobre quem assumirá o comando da instituição a partir de setembro poderá ficar a cargo do Ministério da Educação (MEC).

O mandato tem duração de quatro anos e o atual reitor, Henrique Duque, não poderá pleitar o cargo novamente, por ter sido reeleito na última edição eleitoral. Com mais de 20 mil eleitores, a eleição não será limitada às fronteiras da cidade mineira. Assim como em 2010, alunos inscritos no Centro de Educação a Distância (Cead) poderão votar em algumas outras cidades próximas, ainda não confirmadas.

O regulamento eleitoral não deve ser alterado. O eleitorado deve ser dividido em três grupos: estudantes, professores (incluindo substitutos) e funcionários técnico-administrativos.

——————————————————————-

Veículo: Ecaderno
Editoria: Universitário

Continua greve dos servidores da UFJF

Nesta terça-feira, dia 8, os técnico-administrativos da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) decidiram manter a greve da categoria, que já chega a 24 dias. Em assembleia, os servidores decidiram participar do ato que será realizado na tarde de quinta-feira, 10, no campus da UFJF. No mesmo dia, os professores da universidade e do Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG) paralisam suas atividades.

O Diretório Central dos Estudantes (DCE) convocou a ação com o objetivo de ocupar o saguão da Reitoria para discutir questões pertinentes à instituição. De acordo com o coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das instituições Federais de Ensino de Juiz de Fora (Sintufejuf) Paulo Dimas, a ação pretende esclarecer aos demais segmentos da comunidade acadêmica as razões da greve, que motivou o fechamento de várias unidades da UFJF.

Segundo o sindicato, a adesão ao movimento grevista dos técnico-administrativos chega a 80% da categoria. Os servidores reivindicam o pleno cumprimento do acordo firmado com a categoria em 2012, prevendo progressão na carreira e maior isonomia em relação aos vencimentos de outros técnicos que integram o quadro do funcionalismo federal. Eles buscam, ainda, a restituição de uma data-base para os profissionais.

Já o movimento dos docentes tem por objetivo lutar pela reestruturação de carreira, pela valorização salarial, por melhores condições de trabalho e por uma maior autonomia das instituições universitárias.

A UFJF diz, em nota, que “respeita a mobilização dos técnico-administrativos em educação e compreende que a greve interfere no cotidiano da universidade ao interromper a prestação de determinados serviços, como Restaurante Universitário, bibliotecas e Central de Atendimento. A Administração Superior acompanha, com atenção, as negociações entre os servidores e o Governo Federal, esperando que se chegue a um acordo em espaço de tempo mais breve possível”.

——————————————————————-

Veículo: Tribuna de Minas
Editoria: Política

Servidor da UFJF mantém greve, e professor para nesta quinta

Os técnico-administrativos da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) decidiram nesta terça-feira (8) pela manutenção da greve da categoria. Iniciada no dia 14 de março, a mobilização chega a 23 dias. Reunidos em assembleia, os grevistas deliberaram pela participação dos servidores em um ato que será realizado na tarde de quinta-feira, Campus da UFJF, mesmo dia em que os professores da universidade e do Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG) paralisam suas atividades.

A ação foi convocada pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) e tem por objetivo ocupar o saguão da Reitoria para discutir questões pertinentes à instituição. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das instituições Federais de Ensino de Juiz de Fora (Sintufejuf) e o DCE, o grupo espera ainda a adesão dos docentes ao protesto. Coordenador-geral do Sintufejuf, Paulo Dimas afirma que a ação desta quinta tem por objetivo esclarecer aos demais segmentos da comunidade acadêmica as razões da greve, que motivou o fechamento de várias unidades da UFJF. Desde o início da paralisação, serviços como os dos restaurantes universitários, da Biblioteca Central, do Museu de Arte Murilo Mendes (MAMM) e de transporte interno estão comprometidos. Segundo o sindicato, a adesão ao movimento grevista dos técnico-administrativos chega a 80% da categoria. Os grevistas reivindicam o pleno cumprimento de acordo firmado com a categoria em 2012, prevendo progressão na carreira e maior isonomia em relação aos vencimentos de outros técnicos que integram o quadro do funcionalismo federal. Os servidores lutam ainda pela restituição de uma data-base para os profissionais.

Em nota, a UFJF afirma que “respeita a mobilização dos técnico-administrativos em educação e compreende que a greve interfere no cotidiano da Universidade ao interromper a prestação de determinados serviços, como Restaurante Universitário, bibliotecas e Central de Atendimento. A Administração Superior acompanha, com atenção, as negociações entre os servidores e o Governo federal, esperando que se chegue a um acordo em espaço de tempo mais breve possível”.

Conscientização

Assim como os servidores prometem fazer amanhã, professores ligados à UFJF e ao IF Sudeste realizaram ações de conscientização no campus nesta terça. Os docentes distribuíram kits com informações da mobilização nacional capitaneada pelo  Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN), além de questões pertinentes à realidade local. O principal objetivo do ato, que será repetido nesta quarta, é o de mobilizar a categoria para a paralisação programada para amanhã. 

“A paralisação é um dos processos de mobilização. O desdobramento disso dependerá da postura do Governo (federal) e da disposição geral dos professores em todo o país. A greve segue no horizonte”, explica o presidente da Associação de Docentes de Ensino Superior de Juiz de Fora (Apes), Paulo César de Souza Ignácio. O movimento dos docentes aponta três frentes de luta: reestruturação de carreira, valorização salarial, melhores condições de trabalho e maior autonomia das instituições universitárias.

——————————————————————-

10/04/2014

Veículo: Acessa
Editoria: Cultura

Melhor cover de Elvis Presley faz show no Cine-Theatro Central

Nesta sexta-feira, 11 de abril, o Cine-Theatro Central recebe a The Taking Care Elvis Band, com o inglês Ben Portsmouth, que encarna o eterno Rei do Rock em The King is Back. No palco, o artista interpreta grandes clássicos de Elvis Presley, passando por todas as fases de sua carreira, com inúmeras trocas de vestuários para caracterizar a vida de um dos maiores cantores de todos os tempos.

Entre as canções mais famosas de Elvis estão Love me Tender, It’s Now or Never, Kiss Me Quick, Falling In Love e diversas outras. A The Taking Care Elvis Band é formada por Ben Portsmouth (guitarra acústica e voz), David Portsmouth (bateria), Richard Gibson (teclados), Ryan Quartermaine (guitarra e vocais), Dan Caney (baixo e vocais), Alison Povey, Colleen Rowe e Natalie Vale (vocais).

O cantor Ben Portsmouth, que encarna Elvis Presley no show, venceu em 2012 o Worldwide Ultimate Elvis Tribute Artist Contest 2012, concurso que reúne, em Memphis (EUA), centenas de artistas de todo o mundo que fazem tributos a Elvis. Ben desbancou dez artistas na final e foi o primeiro não americano a vencer o concurso desde seu início em 2007.

——————————————————————-

Veículo: Tribuna de Minas
Editoria: Política

Cenário eleitoral na UFJF segue indefinido

A greve dos servidores da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), que completa 24 dias nesta quarta-feira (9), traz um cenário de dúvidas acerca da sucessão do reitor Henrique Duque. De responsabilidade das entidades que representam docentes, discentes e servidores da instituição, a comissão eleitoral responsável pelo processo trabalha para definir a metodologia do pleito, que segue sem data para ser realizado.

“A comissão está instaurada e é composta por representantes das entidades que representam os três segmentos da comunidade acadêmica – Associação de Docentes de Ensino Superior de Juiz de Fora (Apes), Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das Instituições Federais (Sintufejuf) e Diretório Central dos Estudantes (DCE). Estamos na etapa de elaboração do regimento da comissão e do regimento eleitoral, pelo qual será definido o calendário”, explica Joacir de Melo, presidente da comissão, ligado a Apes.

Apesar de os trabalhos já terem sido iniciados, representantes do Sintufejuf defendem que o pleito não seja realizado enquanto os servidores da instituição estiverem em greve. Neste cenário, há o temor de que o processo – desde as eleições até os trâmites necessários para que o Conselho Superior (Consu) da UFJF encaminhe a lista tríplice com os nomes dos vencedores ao Ministério da Educação (MEC) – não possa ser finalizado em tempo suficiente para que o reitor eleito assuma tão logo o mandato de Duque se encerre, no final de agosto.

Caso os prazos não possam ser cumpridos, a decisão sobre quem assumirá o comando da instituição a partir de setembro poderá ficar a cargo do MEC, que poderia, até mesmo, optar pela prorrogação do mandato de Duque. Segundo a Secretaria de Comunicação da UFJF, em fevereiro, o Consu reiterou o objetivo de respeitar os nomes indicados pela comunidade acadêmica, por meio de consulta realizada pela comissão eleitoral, para a elaboração da lista tríplice. O entendimento segue o adotado nos últimos pleitos, já que o regimento da universidade não prevê eleição direta para o cargo de reitor.