Liga do Trauma realiza workshop sobre urgência e emergência

Para presidente da Liga, congresso é uma experiência científica única na cidade e região (Foto: Stefânia Sangi)

A palestra do fundador da Liga Acadêmica do Trauma e Emergência da Universidade Federal de Juiz de Fora (Late/UFJF), Gustavo Ferreira da Mata, é um dos destaques da programação que encerra, neste sábado, 31, no Ritz Plaza Hotel, em Juiz de Fora, o 8º Congresso do Trauma, Urgência e Emergência da Zona da Mata mineira, organizado pelo Late. O evento reúne 700 alunos e profissionais das áreas de medicina e enfermagem.

Na quinta, 29, a Late/UFJF realizou um workshop com acadêmicos de Medicina e de Enfermagem sobre como agir em situações de risco. Com participação limitada a 120 estudantes, as atividades foram realizadas em uma tenda montada no Parque Halfeld. Foram feitas cinco simulações de situações de risco que demandam precisão na hora do atendimento de urgência e emergência.

“No Brasil, existe uma carência muito grande nos cuidados e ações corretas na abordagem dos casos de urgência e emergência. Nosso trabalho é mostrar a conduta correta e, principalmente, ensinar o que não deve ser feito nesses casos”, afirma o organizador do workshop, Leonardo Cardoso, estudante do sexto período de medicina.  

No exercício chamado de “ABCDE do Trauma”, os alunos aprenderam a reconhecer um trauma, uma situação de emergência, e como se portarem diante do problema, checando vias aéreas, respiração, circulação, sinais neurológicos e exposição corporal. Na “Intubação Orotraqueal”, o objetivo foi ensinar a como garantir a ventilação, ou seja, como fazer com que o ar chegue aos pulmões em caso de alguma lesão que atrapalhe a respiração do paciente.

O terceiro exercício esteve voltado para a retirada de vítima de acidente automobilístico. “Nesta etapa, os alunos aprendem a se portar diante das prováveis lesões de um acidente. Se a batida for frontal, é mais provável que haja lesões nos pulmões, se for lateral, podem ocorrer lesões na coluna cervical por chicoteio, por exemplo. Uma das técnicas realizadas ensina como imobilizar a vítima dentro do automóvel, evitando maiores ‘complicações”, explica Cardoso.

As duas últimas atividades compreenderam a “imobilização em prancha longa” e a “reanimação cardiopulmonar”. A imobilização é a prática mais comum em casos de acidentes, quando o paciente precisa ser imobilizado corretamente na prancha antes de ser colocado na ambulância. Já a reanimação implica em como identificar uma parada cardiorespiratória e quais são as manobras de resgate.

Na “Intubação Orotraqueal”, o objetivo foi ensinar a como garantir a ventilação (Foto: Stefânia Sangi)

Dentre o total de inscritos, 126 são estudantes de Medicina da UFJF/Campus Governador Valadares. Responsável pela organização da comitiva que veio a Juiz de Fora, Rafael Lobão, aluno do terceiro período de medicina, ressalta a integração entre os alunos de Juiz de Fora e de Governador Valadares. “Mais do que manobras técnicas, aprendemos a forma de tratar o paciente no caso de um acidente. Além disso, o Congresso promove a interação entre as duas faculdades, aproximando os conhecimentos, acrescentando informações novas e antecipando o que vamos aprender na teoria no decorrer do curso.”

Enfermeira e uma das instrutoras do evento, Quenfins Almeida destaca a importância das atividades para a escolha do caminho que os estudantes vão querer seguir. “Todo profissional de saúde deve passar por eventos como este para aprender noções básicas de atendimento em casos graves. Afinal, quem nasce para urgência e emergência, descobre aqui”.

Para o presidente da Liga, Felipe Arthur, o Congresso é uma experiência científica única na cidade e região, além de ser extremamente importante para os profissionais de saúde. “Qualquer profissional ligado à saúde pode ser requisitado em uma situação extrema e precisa estar ciente do que fazer, para quem ligar e quais decisões tomar”. Já a diretora de Projetos de Extensão da Liga, Rayssa Reis, acrescenta o caráter multidisciplinar do Congresso. “Na Liga do Trauma e no Congresso, aprendemos a trabalhar em equipe. Médico, enfermeiro, técnico, e acadêmicos são igualmente importantes.”

Outras informações:

www.lateujfj.com.br

Comissão organizadora:

Felipe Arthur: (32) 9128-2227

Leonardo Cardoso: (32) 9195 – 0310

Michelle Nakahara: (32) 8832 – 5636

Página do Congresso no Facebook