Ex-jogador Petkovic e outros gestores iniciam incubação de empresas na UFJF

Cinco novas empresas de base tecnológica foram apresentadas nesta quinta-feira (Foto: Alexandre Dornelas)

A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) anunciou nesta quinta-feira, 21, parceria com cinco novas empresas que ficarão incubadas no Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt). O evento contou com a presença do vice-reitor José Luiz Rezende Pereira, do secretário de Desenvolvimento Tecnológico, Paulo Nepomuceno, do diretor do Critt, Luiz Carlos Tonelli, além dos empresários representantes de cada empresa.

Durante a apresentação, o diretor Tonelli comentou sobre a importância de ter essas empresas vinculadas à UFJF, pois são empresas que, em sua maioria, têm domínio tecnológico, mas pecam no que diz respeito à gestão. Frisou, ainda, que a instituição passa por um novo momento. “Em um país em desenvolvimento precisamos ter tecnologia própria para ter autonomia e gerar expectativas e riqueza. Por isso, a Universidade mudou. Antes era baseada apenas no ensino, há pouco tempo passou a ser no ensino, pesquisa e extensão. Agora podemos acrescentar também o empreendedorismo”, afirmou.

A Incubadora de Base Tecnológica do Critt (IBT) trabalha com apoio aos empreendedores que pretendem iniciar uma empresa ou desenvolver produtos, processos ou serviços que apresentem grau de tecnologia e inovação. As empresas incubadas recebem apoio gerencial no acompanhamento dos planos de negócios, estratégias e ações, além de se beneficiarem pelo processo de aprendizado.

As cinco empresas incubadas são a Bemmelhor Soluções Inteligentes, que desenvolve softwares de telefonia voltados para empresas; Gestiva Gestão de Projetos, que oferece produtos e serviços para o gerenciamento de projetos públicos e privados; Smart Inove, que desenvolve e comercializa sistemas Power Line Communications (PLC) inovadores e sustentáveis; Imovi Sistemas, voltada para tecnologia e soluções criativas que tem como principal produto um sistema de gerenciamento para imobiliárias integrado a um portal centralizador de imóveis; e a Infoteste, que desenvolve um software com tecnologia inovadora para a realização de avaliação preliminar de risco e tem como um dos sócios o ex-jogador de futebol Dejan Petkovic.

Segundo o ex-jogador Petkovic, a UFJF tem recursos e produções acadêmicas de impacto internacional que podem contribuir com o projeto da Infotese (Foto: Alexandre Dornelas)

A Infoteste

Com 27 anos de existência, a empresa foi a precursora em implementação de serviços especializados em mapeamentos de competências humanas. A proposta que está incubada no Critt e contará com o suporte da Universidade para o aperfeiçoamento busca avaliar as condições operacionais de funcionários que desenvolvem funções de alto risco nas empresas.

Através do software é possível realizar a avaliação minutos antes do início das atividades, e o gestor da empresa terá acesso ao resultado em tempo real em qualquer dispositivo com acesso à internet.

“A indústria tem crescido muito, mas as pessoas que trabalham nela são humanas e, como são humanas, podem ter uma noite mal dormida ou exagerar na bebida numa noite de festa, mas no dia seguinte ela tem que trabalhar e o risco de ela provocar alguma acidente no trabalho é grande. Pesquisas apontam que 60% dos acidentes acontecem por fadiga ou sono. Isso pode diminuir. O teste dura menos de um minuto e nós conseguimos ver o tempo de reação da pessoa. Se for muito lento, ele está com algum problema”, explica o empresário e ex-jogador Petkovic.

Questionado sobre como a sua experiência como atleta poderia ajudar no trabalho de empresário, Pet conta que percebeu que o talento é importante, mas o treino também. “Eu sempre tive sorte de ter pessoas competentes ao meu lado, tanto no futebol, como no mundo empresarial. E isso me ajudou a entender que eu era capaz de fazer aquilo que eu tinha treinado e levei para as outras áreas da vida”.

O doutor Luiz Scipião, sócio de Petkovic, revela que a escolha da cidade de Juiz de Fora para desenvolver o projeto se deu pelo fato de a Universidade ser um centro de excelência. Ele acredita que a parceria tem tudo para fazer com que o impacto do produto alcance todo o país. “O mineiro é exigente. Se der certo aqui, vai dar certo em qualquer lugar. A UFJF tem recursos e produções acadêmicas de impacto internacional que podem contribuir muito com o nosso projeto. Juiz de Fora tem tudo a oferecer”, afirma.

O secretário de Desenvolvimento Tecnológico, Paulo Nepomuceno, acredita que o projeto é útil até mesmo para a Universidade, principalmente levando em consideração o sistema de transportes a manutenção do campus. “Nosso sistema de transporte é grande e complexo e esse programa poderia ser usado na avaliação dos motoristas. Além disso, a pró-reitoria de Infraestrutura é responsável por toda a manutenção do campus e isso engloba manutenção de equipamento elétrico em locais de difícil acesso. Esse tipo de serviço demanda um certo preparo para que a pessoa exerça o seu trabalho”, explica.

Outras informações: (32) 2102-3435 – Critt

Acompanhe a UFJF nas mídias sociais
Facebook | Twitter | Youtube | Instagram (#UFJF)