Professora apresenta pesquisa sobre pão de canela e identidade, na Suécia

Projeto apresentado na Suécia procura investigar a produção e a comercialização do pão de canela na vila de Conceição de Ibitipoca e arredores (Foto: Leonardo Costa/Ibitipoca.tur)

A docente Rogéria Dutra, do Instituto de Ciências Humanas (ICH) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), está participando da “19th International Ethnological Food Research Conference”, com apresentação do trabalho “Pão de canela brasileiro: de comida tradicional para souvenir turístico”. A apresentação será feita em Lund, na Suécia, no período de 15 a 18 de agosto.

A docente aponta que a escolha deste tema deve-se ao desenvolvimento do projeto de pesquisa financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), “Pão de Canela: memória e identidade na Serra da Mantiqueira”. Trata-se de um projeto que procura investigar a produção e a comercialização do pão de canela na vila de Conceição de Ibitipoca e em seus arredores. “O objetivo da apresentação é contribuir para as discussões a respeito dos saberes e práticas alimentares tradicionais que ocorrem neste congresso, e visa congregar experiências de diferentes locais em uma dimensão internacional”, afirma a docente.

Rogéria diz que seu interesse na interface entre alimentação e cultura iniciou-se no momento de execução do mestrado, cuja dissertação defendida tratava da cozinha mineira. Já o projeto de pesquisa, em particular, iniciou-se em julho de 2011.

A docente Rogéria Dutra possui graduação em Ciências Sociais pela UFJF e mestrado e doutorado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente é professora adjunta de Antropologia do Departamento de Ciências Sociais da UFJF e atua como coordenadora do Projeto de Extensão Universitária “Ciências Sociais e Ciências da Saúde: uma proposta de diálogo para a educação permanente”, junto à Faculdade de Medicina da Universidade.

Além disso, possui experiência na área de Antropologia, com ênfase em antropologia urbana, atuando com enfoque nos temas: consumo, níveis de cultura, família, economia informal, identidade, práticas alimentares e saúde coletiva. Também trabalhou nos grupos de pesquisa “O setor informal e a ocupação do espaço urbano pelos camelôs no centro de Juiz de Fora: práticas cotidianas e trajetórias” e “Comida de rua: o comércio informal de alimentos no centro de Juiz de Fora”.

Outras informações: (32) 2102-3101 (ICH)
www.ufjf.br/ppgcso

Compartilhe: