Novos produtos da UFJF se destacam em competição internacional

Professores e alunos que participaram da competição (Foto: Divulgação)

A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) obteve seis premiações na disputa internacional de produtos inovadores que têm demanda do mercado e usam novas tecnologias, o “Idea to Product Competition – Latin America 2011” (I2P), em São Paulo, neste mês.

Nesta edição, o segundo e o terceiro lugares na competição geral foram respectivamente dos produtos Bioderm, fitoterápico de uso veterinário contra micoses, e do protetor solar Natusun. As duas tecnologias também obtiveram a primeira e a segunda posições no grupo Boticário Challenge, que classifica os produtos para a fase final.

O primeiro e o segundo lugares na disputa do grupo 3M Challenge também foram de tecnologias locais. O New Resveratrol, um antioxidante que pode retardar o envelhecimento, conseguiu a primeira posição. A segunda ficou com o produto Inova, capaz de isolar células-tronco de diversas partes do corpo, como da polpa do dente. Esse tipo de célula origina outros tecidos e pode combater doenças.

Na disputa, alunos e professores precisam apresentar um produto inovador ou uma tecnologia inovadora e única. Em dois dias apresentaram e justificaram cada detalhe de suas tecnologias, desde a pesquisa ao plano de negócios. Após a sabatina de especialistas, as inovações são classificadas e premiadas no terceiro dia.

“São dois dias de crítica ao seu trabalho. Esmiúçam o projeto, sem meio termo, pensam em todos os aspectos. Querem saber como a matéria-prima será obtida, os resíduos que o produto pode gerar, o espaço no mercado, a originalidade, estratégias. Aí aprendemos a construir com a crítica, o que é importantíssimo”, acrescenta a professora Maria das Graças Duque, que está à frente do grupo Odonto, classificado entre os doze apresentados no I2P.

Este é o segundo ano consecutivo em que a UFJF foi a instituição que mais apresentou inovações: oito das 12, em 2011, e seis das 15 em 2010. Os oito deste ano foram: Natusun, Skin Whitening NanoComplex, New Resveratrol, Nail Care, Bioderm, Odonto, TEI e Inova.

Produtos premiados

Células-tronco são foco da pesquisa do produto Inova (Foto: Wikimedia Commons)

O Bioderm é uma nova formulação de origem fitoterápica com atividade antifúngica comprovada para dermatofitoses, que são micoses superficiais que ocorrem principalmente nas unhas, pelos e pele, como a frieira. O Bioderm apresenta-se de maneira eficiente e segura para o uso veterinário, sem os efeitos colaterais comuns à terapia alopática convencional. Outra vantagem do novo produto é a sua embalagem prática que facilita a aplicação e consequentemente traz melhor adesão ao tratamento, fator primordial nas doenças fúngicas. Foi desenvolvido pelos alunos: Edilene Bolutari, Annelisa Farah da Silva, Danielle Zimmermann, Pedro Soldati e Tiago Gomes, sob a orientação dos professores doutores: Nádia Raposo, Maria das Graças Chaves e Marcus Brandão

O Natusun se insere no mercado de cosméticos como uma linha de produtos com proteção solar natural, destinada à prevenção do câncer de pele e do envelhecimento precoce. Protege contra as radiações solares ultravioleta UVA, que causa envelhecimento da pele e pode levar ao câncer desse tecido, e UVB, que provoca vermelhidão, queimadura e predispõe ao câncer de pele. O produto foi atestado por experimentos em voluntários humanos, conforme as normas legais vigentes da Associação de Cosméticos Europeia. O projeto foi desenvolvido pelos alunos: Edilene Bolutari, Annelisa Farah da Silva, Danielle Zimmermann, Pedro Soldati e Thiago Gomes, sob a orientação dos professores doutores: Maria das Graças Chaves, Marcos A. Fernandes Brandão e Nádia Raposo.

O projeto New Resveratrol é um composto análogo ao resveratrol, substância presente no vinho tinto, sementes de uva e em outras plantas, que pode retardar o envelhecimento, a partir de seu efeito antioxidante, e combater doenças do coração. A nova versão, em estudo na UFJF, possui propriedades antioxidantes melhores que o composto original e pode ser obtido em condições mais brandas, além de ter um custo de produção menor. Essa tecnologia auxilia ainda na preservação ambiental, ao reciclar e reutilizar os solventes orgânicos provenientes da obtenção dos insumos. A tecnologia foi orientada pelos professores doutores: Adilson David da Silva e Nádia Raposo e desenvolvida pelos estudantes: Raissa A Rustichelli Teixeira, Gustavo Senra e Natália Oliveira Calil.

Um dos desafios do Inova é a possibilidade de isolar e armazenar células-tronco de diversas fontes do corpo humano, tais como tecido adiposo (formado por células de gordura, abaixo da pele e ao redor de alguns órgãos), tecido do cordão umbilical e polpa dentária humana (estrutura interna do dente, cheia de vasos sanguíneos e nervos). As células-tronco são grupos de células presentes em partes do corpo – algumas em áreas ainda desconhecidas – que guardam as características originais da formação dos tecidos, como ossos e músculos. Elas poderiam ser implantadas em determinada área e estimuladas a iniciar sua multiplicação, reconstruindo um órgão perdido, até mesmo, teoricamente, um braço ou coração.

Posição da UFJF no Idea to Product da América Latina 2011

Geral

Grupo Boticário

Grupo 3M

2º – Bioderm (UFJF)

1º – Bioderm (UFJF)

1º – New Resveratrol (UFJF)

3º – Natusun (UFJF)

2º – Natusun (UFJF)

2º – Inova (UFJF)

No projeto que a professora Maria das Graças levou à competição, a equipe produziu uma placa para evitar o ronco, a apneia do sono e adicionalmente o bruxismo, que é o ranger de dentes involuntário. A nova peça é mais flexível, confortável e anatômica. “Os outros aparelhos são grandes, incomodam e se quebram. Vários pacientes reclamavam dos modelos existentes. Às vezes compravam e não usavam”, relata.

A apneia é a parada súbita e passageira da respiração durante o sono ou mesmo no chochilo e enquanto o indivíduo está acordado. “A pessoa não tem um sono reparador. Aí é o caso de motoristas que dormem ao volante do carro e sofrem acidente. Há outras várias consequências da apneia, como irritação e gordura localizada.” Dez pacientes, que participam da pesquisa clínica, estão em tratamento com o protótipo da placa há cerca de dois meses. “Já deu para constatar muita satisfação do cliente”, afirma a professora.

Pesquisa empreendedora

Segundo Nádia Raposo, que participa de cinco projetos, a experiência oferecida aos estudantes pelo concurso é transformadora. “Eles voltam com outro olhar, pois percebem que a pesquisa acadêmica pode beneficiar a sociedade”, enfatiza.

O professor Adilson David da Silva, orientador do grupo New Resveratrol, conta que, após o resultado da etapa semifinal, uma de suas alunas foi convidada para estagiar na empresa 3M. “É importante iniciarmos ou disseminarmos entre os pesquisadores da UFJF uma cultura de empreendedorismo. Isso proporcionará um momento crucial para a Universidade”.

Para o professor, o destaque obtido na competição é o marco de um novo momento para a UFJF: o de envolvimento dos pesquisadores com a inovação tecnológica, o que possibilita a concretização das novas ideias em produtos.

De acordo com a professora Maria das Graças, a participação constante da UFJF na competição demonstra os benefícios do trabalho multiprofissional. “Estamos rompendo muros de dentro da Universidade. São todos torcendo por todos. Nos sentimos unidos na vitória”, ressalta.

Disputa global

O primeiro colocado geral do I2P América Latina foi o Bio-Fiend da UFMG, um supressor de poeira para aplicação no manejo do minério de ferro. O grupo de Belo Horizonte competirá na fase global, de 17 a 19 de novembro, em Estocolmo, na Suécia.

Em 2008, a UFJF foi a segunda colocada nessa disputa mundial com o produto chamado, na época, de Kit Estéril, que permite identificar, com 99% de precisão, lesões na mama indicativas de câncer, evitando mutilações. O produto foi autorizado para comercialização pela Anvisa em janeiro.

A competição, fundada pela Universidade do Texas (EUA), foi organizada pelo Centro de Empreendedorismo e Novos Negócios da Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo, neste mês. Em 2011, a 4° edição do Idea to Product Latin America ocorreu de 1º a 3 de setembro. Além da UFJF, foram classificadas tecnologias da FGV e da Universidade Federal do Pernambuco (UFPE).

Os trabalhos enviados pela Universidade receberam apoio do Programa de Incentivo à Inovação (PII), que é gerenciado na UFJF pelo Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt).

Outras informações:

ideatoproductla.org

www.ufjf.br/critt

(32) 2102-3435 – Critt

(32) 2102-3802: Faculdade de Farmácia

 

Com a colaboração da Assessoria de Comunicação do Critt e de Laís Machado, estudante de Comunicação Social


Curta a UFJF nas redes sociais na internet

www.facebook.com/souUFJF

@ufjfnoticias

@ufjfvestibular

www.youtube.com/TVUFJF