UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

por aí – Uma experiência para a vida toda

Você está em: Memória > Revista Giro > Edições Anteriores ''Informativo Giro'' > Giro 16 – Abril 2008 > por aí - Uma experiência para a vida toda

Por Bruna Pontes da Silveira, aluna do 6º período do curso de Turismo da UFJF.

 

Precisava começar esse depoimento com essa frase, já que é a mais pura verdade. Realizei um intercâmbio de trabalho nos EUA, durante um período de 4 meses. A princípio, recebi uma oferta de trabalho interessantíssima para a tão famosa Las Vegas – NV e a aceitei de imediato.A temporada em Las Vegas durou apenas um mês, mas foi o bastante para que a minha vida virasse de cabeça para baixo: Vôos perdidos e cancelados em Nova York, pagar US$ 180 por uma noite, dividir casa com 12 meninas, baixo salário, ausência de horários para comer, dormir e/ou ir ao banheiro, ser esquecida no trabalho em meio ao frio desértico da cidade… Tudo isso acrescido da saudade de todos e a sensação de que não precisava passar por aquilo.

 

No dia 30 de Dezembro, resolvi reverter a situação. Ou voltava ao Brasil, ou mudava de cidade. Saí em busca de quem me ajudasse e no dia seguinte, encontrei a pessoa que mudaria a minha história de intercâmbio. No dia seguinte ao meu aniversário, me mudei para o outro lado do país, a cidade de Kearny -NJ e lá conheci pessoalmente a minha nova “Mãe”. Mesmo sem conhecê-la pessoalmente, ela havia me arranjado casa, trabalho e me deu uma segunda família. Fui super bem recebida, a cidade era linda e ainda tive a surpresa da chegada inesperada do meu namorado. Arranjei um emprego de 4 dias, em que consegui juntar o dinheiro do meu aluguel. Em seguida, passei a trabalhar em um café italiano, numa cidade próxima. O meu chefe era maravilhoso e me tratava como filha.

 

Assim, me reestabeleci e dei um descanso para os meus pais, que mesmo me dando todo o suporte, estavam começando a se arrepender de terem me mandado para o intercâmbio. Passei a aproveitar as coisas boas do intercâmbio: a fluência de idiomas ( inglês, espanhol e italiano), as inúmeras viagens, a diversidade cultural e a sensação de conseguir ultrapassar as dificuldades.

 

Como turismóloga, ampliei o meu campo de visão e a minha flexibilidade em meio à mudanças. Passei a ter muito mais gás de estudar e produzir trabalhos acadêmicos, além de resgatar a vontade de aprender novas línguas. Com certeza, o intercâmbio cultural é uma experiência ímpar para quem estuda Turismo.

 

E quanto à Las Vegas? Bom, a experiência me permitiu produzir dois artigos sobre a cidade, além de um aprendizado incrível e uma vontade louca de retornar. Para passear, é lógico.

 

Compartilhe:

    Graduação em Turismo


    Acessos desde 22/04/2015: