UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

por aí – Work and Travel nos Estados Unidos

Você está em: Memória > Revista Giro > Edições Anteriores ''Informativo Giro'' > Giro 08 – Junho 2007 > por aí - Work and Travel nos Estados Unidos

Por Rafael Cooper de Almeida

Sou estudante do curso de turismo da Universidade Federal de Juiz de Fora, estou atualmente cursando o 4° período. Sabendo das dificuldades do mercado no Brasil, percebi que apenas a formação acadêmica não é mais suficiente para a nossa inserção e por conta disso optei por investir em conhecimento de línguas e culturas estrangeiras.
Antes de ingressar na UFJF, decidi fazer o programa High School, que consiste na total imersão do candidato na cultura do país de escolha, no caso os Estados Unidos. Essa experiência foi importantíssima no meu amadurecimento como pessoa e também no crescimento profissional, tendo em vista que consegui o domínio da língua inglesa, e obtive o diploma de formação do ensino médio nos Estados Unidos.
Após cursar três períodos no curso de turismo decidi que deveria voltar aos Estados Unidos, dessa vez com a visão de um turismólogo, por isso me inscrevi no programa Work and Travel, que nos da a oportunidade de trabalhar nas grandes cadeias hoteleiras do mundo.
Por diversos motivos não optei pela feira de contratação das grandes agencias, preferi tentar arrumar um emprego por conta própria. Escolhi a cidade de Reno, no estado de Nevada já que muitos amigos estavam indo para lá também. Ao chegar, consegui emprego em um dos restaurantes do Hilton trabalhando como caixa. Como trabalhava no mesmo lugar que meus companheiros de quarto acabei me adaptando facilmente ao trabalho. Cheguei a ter outros empregos, porem apenas temporários para juntar dinheiro para viagens e compras.
Sobre Reno, era nítida a dependência da cidade com o turismo, tendo em vista que ela vivia apenas dos cassinos e da universidade lá localizada. Por conta disso a infra-estrutura era ótima, com um aeroporto muito bem localizado e um excelente sistema de ônibus urbanos(o mais pontual que já vi!). Ao longo do ano, diversos eventos são realizados, como corridas de Monster trucks (caminhões gigantes e assustadores), série mundial de boliche, jogos de futebol americano e basquete e vários shows com bandas de prestigio mundial.
Alem desses aspectos, Reno conta com um grande diferencial no panorama turístico: sua proximidade com Lake Tahoe, localizada a apenas 40 minutos de distancia, Tahoe é famosa nos Estados Unidos pela grande quantidade de estações de esqui e por sua beleza que explica muito bem sua fama na Califórnia de “winter paradise” (paraíso de inverno).
Com isso, Reno acaba sendo um grande atrativo para os turistas americanos, em especial os da Califórnia onde não existem cassinos (com algumas exceções), transformando assim toda a região em um grande destino turístico.
Pelo lado profissional do programa, aprendi muito sobre hospitalidade e tratamentos para com os clientes, tive contato com uma filosofia de atendimento nova para mim , mas que vem crescendo por todo o mundo, caracterizada pela frase da cadeia hoteleira Ritz: “we are gentlemens serving gentleman’s” (Nos somos cavalheiros servindo cavalheiros). Tive o prazer de trabalhar para uma das cadeias hoteleiras de mais prestigio do mundo, a rede Hilton, onde conheci de perto o funcionamento de um mega cassino/hotel. Enfim, profissionalmente, sem duvida a melhor experiência que já tive.
Durante o intercambio ainda existia a possibilidade de viajar e conhecer lugares diferentes. Dos intercambistas que estavam em Reno, praticamente todos foram a Las Vegas e São Francisco, cidades bem próximas, alem é claro de Lake Tahoe, onde os brasileiros tinham uma espécie de passe livre nas estações de esqui devido aos outros brasileiros que lá trabalhavam, e na maioria das vezes era possível esquiar por um dia inteiro por apenas dez dólares.Ao final do programa de trabalho todos tinham um determinado tempo para viajar e gastar um pouco do dinheiro tão suado. Uns optaram por passear pela Califórnia, outros por viajar ao Havaí, e alguns até por conhecer a Europa, dentre outras escolhas. Eu optei por viajar para a Florida, reencontrar a família que eu havia morado em 2005 no programa de high school que fiz.
Na minha opinião esse programa é muito valido para os universitários, em especial os estudantes de turismo que tem uma chance única de entrar em contato com diversas culturas, línguas e conhecimentos, alem é claro das experiências profissionais e vivenciais que não só melhoram o currículo do candidato como também são vitais para o amadurecimento do mesmo.

Compartilhe:

    Graduação em Turismo


    Acessos desde 22/04/2015: