UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

5ª Semana do Turismo – Entrevista com ministrantes

Você está em: Memória > Revista Giro > Edições Anteriores ''Informativo Giro'' > Giro 06 - Dezembro 2006 > 5ª Semana do Turismo - Entrevista com ministrantes

Como estão os preparativos para os mini-cursos?

Carla Fraga: O mini-curso “Elaboração de roteiros para o desenvolvimento do Turismo Cultural Ferroviário no Brasil” contará com uma parte teórica e outra prática, subdividas em quatro itens: três teóricos – apresentação do histórico do Turismo Cultural Ferroviário no Brasil, apresentação e discussão da metodologia de elaboração de roteiros de acordo com orientações do Plano Nacional de Turismo 2003/2007 e a apresentação dos Trens e Bondes Turísticos brasileiros. A parte prática fica por conta da elaboração de um roteiro, visando o desenvolvimento do Turismo Cultural Ferroviário com trens em operação ou em vista de operar. Para tanto, estou recolhendo o maior número de material para consulta, pois quero estimular a construção de um novo olhar sobre os trens e bondes nacionais, enquanto produtos turísticos de destaque, na formulação de roteiros turísticos inovadores.

Gisele Mafra: Estou separando materiais que possam complementar e ilustrar o tema que irei abordar e montando a seqüência dos assuntos que serão apresentados. Pretendo complementar a apresentação com informações recentes sobre os projetos do Ministério do Turismo e da Secretaria de Turismo de Minas.

José Carlos Branco: A mil, estou juntando o máximo de material para poder apresentar coisas atuais e interessantes. Acredito que terei como transmitir coisas muito positivas. A área de vendas e a fidelização do cliente são as que mais gosto e envolvem diretamente o marketing.

Letícia Monteiro: A todo vapor, faltando menos de uma semana para o mini-curso, é hora de finalizar a apresentação e rever os últimos detalhes. Marcelo Acha: Tudo ok! Prontinho…

Marcelo Carmo Rodrigues: Estou me empenhando para fazer uma coisa bem legal. Acho que o papel do mini-curso é oxigenar o conhecimento, informar coisas novas, deixar dúvidas nos alunos, ampliar horizontes. É isso que vou tentar fazer.

Marcelo Mascarenhas: Estão indo muito bem. Muito trabalho tem sido feito, mas ainda há bastante coisa para fazer. O importante é que a preparação está no prazo que estabeleci.

Rita Guedes: O mini-curso que vou ministrar já está montado.

Rodrigo Tadini: Tudo está muito corrido, pois estou procurando emprego, sabe como é!

 

 

 

Como é para você participar da semana como professor de mini-curso da UFJF?

C.F.: Participar de qualquer iniciativa do Curso de Turismo da UFJF é sempre uma honra, pois retorno a minha casa formadora. Em especial, participar da Semana do Turismo é lembrar com saudades da 1ª e 2ª edições que participei ainda como aluna. Espero poder contribuir com o Curso e retribuir, minimamente, o quanto me foi oferecido em termos de formação acadêmica e profissional.

G.M.: É muito gratificante voltar à UFJF, especialmente na Semana do Turismo, afinal já estive neste evento como participante e como organizadora e agora como professora de um mini-curso. Espero colaborar com os novos estudantes com um pouco do que já aprendi nesses dois anos no mercado de trabalho. Tenho um carinho muito grande pela instituição UFJF, pelo curso de turismo e pelas pessoas envolvidas com ele e fiquei feliz com o convite para trabalhar com um mini-curso na Semana.

J.C.: Sempre gostei muito de transmitir o que aprendi durante estes anos de trabalho. Sou muito apaixonado pelo que faço, por isso quero que mais e mais pessoas tenham a oportunidade de compartilhar um pouco do meu trabalho e das minhas idéias.
Acredito que quanto mais ensinamos mais aprendemos e que trocar idéias e informações é o caminho para a melhoria constante em tudo que fazemos e queremos.

L.M.: É um prazer poder voltar à Universidade para passar um pouco do que estou aprendendo no mercado trabalho para os alunos que, na maior parte das vezes, estão meio perdidos sem saber o que esperar do mercado de trabalho (no meu caso em Operadoras de Turismo).

M.A.: É sempre bom ver os alunos motivados para esse tipo de evento, indo além dos conteúdos discutidos em sala de aula. Assim, espero poder contribuir para a formação de vocês, e estimular cada vez mais os alunos a uma visão interdisciplinar.

M.C.: É muito importante. Estar junto de uma equipe tão grande, tão empenhada (capitaneada pela profª. Alice). É a possibilidade dos alunos estarem envolvidos na produção de um evento tão grande. E, por outro lado, é a possibilidade única de o público estar participando de discussões tão atuais que nos envolvem.

M.M.: É uma experiência maravilhosa, assim como um grande orgulho. Tenho muito amor pelo curso e por minha formação. Espero sempre poder retribuir tudo que recebi ao longo dos quatro anos de graduação. Valorizo muito o que o Curso de Turismo da UFJF me deu, desde as dificuldades que me fizeram ser um profissional mais forte e competitivo, até as vantagens de ser graduado em uma instituição federal do porte e do nível da UFJF.

R.G.: Pra mim, é muito legal. Participei da organização da 1ª Semana do Turismo (tenho muito orgulho disso), ajudei no Cerimonial de outras, apresentei um artigo sobre meu TCC na 4ª Semana e agora irei ministrar o mini-curso, não é fantástico?

R.T.: Participar da semana é um motivo de orgulho pois significa retornar às origens, resgatar princípios, rever amigos.

 

 

 

Qual a sua expectativa para o evento?

C.F.: As melhores possíveis! Duas coisas que não deixo de fazer, mesmo morando em outra cidade, é ler um jornal da cidade e entrar no site do Curso de Turismo. Portanto, indiretamente, tenho acompanhado a preparação da 5ª Semana e o empenho dos organizadores, que estão de parabéns!

G.M.: Acho que será uma ótima oportunidade para troca de informações com os alunos, com meus antigos professores e com os demais profissionais do setor que estarão ministrando palestras e mini-cursos na Semana. Para os alunos que irão participar, acho que é o momento de interagir com o que está acontecendo no mercado turístico, através dos profissionais que já atuam no setor e também dos profissionais de outras áreas que trabalham temas que influenciam e/ou são influenciados pelo turismo.

J.C.: Será o meu primeiro em Juiz de Fora, pela capacidade dos profissionais da UFJF que conheço tenho certeza que será um sucesso.

L.M.: A programação está incrível. Cada ano mais abrangente e proporcionando aos participantes uma variedade de temas e de atividades cada vez maior, o que faz com que tenham uma formação ainda mais abrangente sobre os temas que lhes interessam. M.A.: A de que tudo seja bastante proveitoso para vocês, e que possamos ter todos a oportunidade de trocar idéias.

M.C.: A melhor possível. Não tenho dúvidas que um evento se faz ao longo dos anos. A 5º edição da Semana do Turismo chega com várias inovações, muitas modificações. Um crescimento visível aos alhos de todos. Tenho certeza que será a melhor semana dos cursos já realizada na UFJF.

M.M.: São muitas. Todas boas, a princípio. Espero que haja uma maior reflexão e enriquecimento sobre o tema (indicadores para avaliação de impactos do turismo), que é bastante rico, porém pouco discutido até o momento, principalmente no Brasil.

R.G.: Minha expectativa é que seja um sucesso. Percebemos um amadurecimento na organização do evento e na escolha dos temas à medida que os anos passam. E é essa evolução que garante a seriedade e o sucesso desta Semana do Turismo.

R.T.: Sucesso, oportunidade para reciclar e aprofundar idéias e ideais!

 

 

 

Como foi a escolha do tema do seu mini-curso?

C.F.: A escolha foi pela prática no mercado tanto com turismo ferroviário, quanto com elaboração de roteiros. Sempre achei que a elaboração de roteiros é uma ferramenta indispensável para o desenvolvimento desse nicho de mercado e, portanto, vislumbrei a possibilidade de usar esse instrumental para trabalhar a constituição do produto ferroviário turístico de uma forma mais planejada.

G.M.: A professora Miriane sugeriu que eu abordasse a minha experiência depois de formada. Portanto, resolvi apresentar as ações que desenvolvemos na Coordenação Regional de Qualificação do Serviço Turístico, do Ministério do Turismo em Minas e, como trabalhamos em parceria com a Secretaria de Estado de Turismo de MG e próximos aos demais projetos do Ministério do Turismo, vou apresentar também algumas outras ações de incentivo ao turismo desses dois órgãos. A principal função da Coordenação Regional é o cadastro, fiscalização e qualificação das empresas de turismo. No entanto, poucas pessoas, inclusive empresários do setor, têm informações corretas sobre nossa atuação. Portanto, será uma boa oportunidade para auxiliar a difundir essas informações.

J.C.: Escolheram por mim… Mas acertaram em cheio.

L.M.: O tema foi escolhido pois estou trabalhando em uma Operadora de Turismo e por este motivo espero poder passar aos participantes um pouco da realidade da atuação de turismólogos nas Operadoras.

M.A.: Entender o funcionamento de unidades de conservação fez parte da minha atividade profissional durante os últimos 10 anos, foi tema da minha dissertação de mestrado e é também parte dos conteúdos abordados nas disciplinas que ministro.

M.C.: Como sou responsável pela disciplina Alimentos & Bebidas, estudar gastronomia é um enorme prazer para mim. E sempre me inquietaram as várias vezes que a gastronomia foi discutida, apresentada pelo cinema. Quero apresentar essas várias angulações, esse universo rico e diversificado que o cinema magistralmente nos apresenta.

M.M.: Bastante simples. Optei por trabalhar o tema da minha dissertação de mestrado, que é um assunto com poucos estudos até o momento, principalmente em nosso país, assim como uma temática extremamente relevante e atual na pauta de gestão em turismo (seja pública ou privada).

R.G.: A escolha pelo tema “Prevenção à exploração sexual da criança e do adolescente” foi devido ao trabalho que está sendo realizado em todo o Brasil no segmento de bares e restaurantes, por iniciativa do Ministério do Turismo em parceria com a UnB, Sebrae e Abrasel. Aliás, esse projeto não está sendo desenvolvido apenas no Brasil, mas em todos os países onde há procura pelo sexo comercial. E, sob a influência da Abrasel/JF, o treinamento foi realizado também aqui. Por isso, achei que o corpo acadêmico de turismo deveria estar informado sobre a realização do projeto em nossa cidade, bem promover mobilização e sensibilização dos estudantes para o assunto.

R.T.: Muito simples, visto a flexibilidade da organização.

 

 

 

Qual a relação do mini-curso que você irá ministrar com as atividades e/ou pesquisas que você desenvolve?

C.F.: Minha monografia de conclusão do Curso de Turismo da UFJF em 2004 foi sobre Turismo Cultural Ferroviário, em especial a experiência de uso do Trem do Corcovado no Rio de Janeiro. Desde então, continuei minhas pesquisas na área e, atualmente, completo dois anos de experiência como Turismóloga, responsável pela ABOTTC – Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Também sou Coordenadora do Núcleo de Turismo Cultural Ferroviário do MPF – Movimento de Preservação Ferroviária, fatos que contribuem para meu amadurecimento sobre a temática. Já a experiência com Elaboração de Roteiros e Planejamento Turístico vem de pesquisas, exercício de monitoria e docência do Ensino Superior. Atualmente, também sou professora responsável pela disciplina de Transportes da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro e Universidade Estácio de Sá, espaços que me possibilitam refletir academicamente sobre essas temáticas.

G.M.: Os projetos que irei apresentar são desenvolvidos em Minas com o apoio da Coordenação Regional de Qualificação do Serviço Turístico do Ministério do Turismo, órgão em que trabalho.

J.C.: A relação é total, como Gerente Geral, cuido também do marketing do hotel, juntamente com os proprietários. Apesar do Victory ter uma agência contratada, os projetos e idéias são sempre nossos, pois só assim podemos manter nossa identidade. A administração do nosso CRM e do programa de fidelização também é toda interna, o que nos mantém alinhados com o que o cliente procura e deseja sem desvios ou atrasos.

L.M.: Na verdade, estou trabalhando em uma operadora. Por este motivo, vou falar da realidade do meu trabalho e de como os conhecimentos adquiridos na universidade tem sido úteis para ele.

M.A.: Atualmente, é parte dos conteúdos que desenvolvo nas disciplinas e também é importante para a minha área de interesse em pesquisa.

M.C.: Eu estudo gastronomia, eu pesquisa culinária. Eu sou um eterno amante do tema. Tenho total e irrestrita ligação com o tema.

M.M.: Total. É o meu tema de dissertação e, no momento, o meu maior interesse e campo de pesquisa no turismo.

R.G.: A relação está diretamente ligada com a atividade que estou exercendo em Juiz de Fora, na capacitação dos funcionários de Bares e Restaurantes. Uma maneira de impedir as ações de facilitadores, agenciadores e exploradores.

R.T.: Tem muita relação com minha dissertação de mestrado e outros trabalhos que tenho publicado.

 

 

 

Você já conhece o nosso site www.turismo.ufjf.br? O que acha dele?

C.F.: Sim, conheço, utilizo e recomendo consulta tanto para colegas, quanto para alunos. Parabéns aos mantenedores do site, pois é uma ferramenta de comunicação incrível não só entre os alunos, mas também entre os ex-alunos!

G.M.: Conheço, acho bem organizado e uma fonte interessante de notícias sobre o setor.

J.C.: Entrei só para copiar a logo para a minha palestra, desculpa. Prometo olhar com calma!

L.M.: Sim. Acho o site ótimo, uma forma de saber mais sobre o que acontece na universidade, sobre os ex-alunos, suas monografias, além de informações úteis sobre cursos de extensão, pós, etc…

Sim, conheço. Achei bastante interessante a programação visual da página. Além disso, está sempre atualizado e com informações relevantes.

M.C.: Conheço sim e o visito quase diariamente. Acho que é um site legal, um dos mais completos da UFJF, um dos mais completos inclusive de todos os sites de turismo do Brasil. Pena que seja tão pouco divulgado. Mas, ao mesmo tempo, estou ansioso para ver as modificações que ele está prestas a passar. Quem trabalha com turismo trabalha com comunicação. É fundamental que os usuários saibam do importante canal de comunicação que um site representa.

M.M.: Claro. Não só conheço, como divulgo, e acesso quase todos os dias. Às vezes, até mais de uma vez por dia. Obvio que não é perfeito e sempre existe algo para melhorar, mas digo para todos que conheço, que o site do curso de turismo da UFJF é um dos mais completos que já vi, se não o mais completo de todos (me refiro aos sites de cursos de turismo no Brasil). Considero ele uma referência nacional em termos de divulgação na área acadêmica de turismo, assim como na relação entre instituição e discentes ou egressos. Desde já, declaro publicamente meus parabéns a todos vocês que tornam viável o site, os jornais do curso de turismo, assim como todos os meios de comunicação que este curso têm e mantêm tão ativos. E também parabenizo, especialmente a professora e Coordenadora do Curso, Alice Arcuri, uma profissional que fez e faz uma excelente gestão no cargo que ocupa. Já entrou para a história do curso. Parabéns a todos!! Maravilhoso!!

R.G.: Conheço. Acho bastante interessante. Continuem assim!

R.T.: Conheço e o considero diferenciado

Compartilhe:

    Graduação em Turismo


    Acessos desde 22/04/2015: