O Museu

O Museu de Arte Murilo Mendes (MAMM) é um órgão suplementar da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), vinculado à Pró-Reitoria de Cultura da UFJF e cadastrado no Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM).

No MAMM se encontra significativo patrimônio cultural constituído pelo acervo bibliográfico, documental e de artes plásticas relacionado à obra literária do poeta Murilo Mendes e com sua atividade como crítico de arte. O acervo de artes plásticas, adquirido pela UFJF em 1994, é considerado o maior ingresso de arte internacional no país desde as doações de Pietro Maria Bardi e Assis Chateaubriandt. É, portanto, a maior coleção de arte moderna do estado de Minas Gerais, bem como de extrema relevância nos contextos nacional e internacional.

Na coleção de arte brasileira, destacam-se nomes como: Ismael Nery, Guignard, Lívio Abramo, Cândido Portinari, Flávio de Carvalho, Jorge de Lima, Athos Bulcão e Geraldo de Barros. Na arte estrangeira há nomes de notória importância na história da arte e no contexto do Modernismo como: Pablo Picasso, Georges Braque, Joan Miró, Max Ernst, Hans Arp, Vieira da Silva, Arpad Szenes, Alberto Magnelli, Giorgio de Chirico e James Ensor.

Planejamento

A UFJF tem demonstrado, em especial ao longo da última década, efetiva preocupação em tornar-se um instrumento a serviço da sociedade. Nesse contexto, o MAMM empenha-se em ocupar seu papel tanto como divulgador do seu significativo acerto quanto como um núcleo dinâmico de literatura, das artes plásticas e de outras formas de manifestação artística.

Na missão de ampliar o acesso da sociedade às artes plásticas, estimulando e desenvolvendo pesquisas e outras atividades científico-culturais para preservar e difundir o pensamento muriliano, o museu estabelece pontos centrais de seu planejamento. São eles:

  • Preservar, conservar e divulgar os acervos: bibliográfico, arquivístico e museológico que constituem estoques informacionais – adquiridos e/ou doados à UFJF;
  • Proceder às pesquisas e aos estudos sistemáticos sobre a obra de Murilo Mendes;
  • Promover o intercâmbio com instituições congêneres no âmbito da missão do museu.
  • Produzir e publicar estudos resultantes de suas pesquisas;
  • Promover ações culturais prioritariamente no âmbito da literatura e das artes visuais, de acordo com a missão do museu;
  • Acolher projetos, internos e externos, adequados ao perfil do MAMM;
  • Estabelecer políticas de aquisição e descarte, a título oneroso ou gratuito, de acervos representativos relacionados à memória artística, literária e cultural de Juiz de Fora e região.

Patrimônio do Museu

  • Coleção de Arte

A coleção do Museu de Arte Murilo Mendes espelha o poeta, evidenciando suas relações afetivas, suas reflexões sobre a escrita, bem como a sua atividade de crítico de arte. De olhar aguçado para as manifestações artísticas, Murilo, participa ativamente da cultura de sua época deixando um acervo de obras, algumas oferecidas e outras adquiridas por admiração. O acervo de artes visuais do poeta, transferido para a UFJF em 1994, constitui o maior ingresso de arte internacional no país desde as doações de Assis Chateaubriand e Pietro Maria Bardi, sendo considerado, portanto, a maior coleção internacional de arte moderna no Estado de Minas Gerais. Na coleção de arte brasileira destacam-se: Ismael Nery, Guignard, Lívio Abramo, Portinari, Flávio de Carvalho, Jorge de Lima, Athos Bulcão, Geraldo de Barros e outros. Na coleção estrangeira, figuram nomes de notória importância na história da arte e no contexto do Modernismo como: Picasso, Braque, Miró, Max Ernst, Arp, Vieira da Silva, Arpad Szenes, Magnelli, Rouault, Severini, Chirico e James Ensor. A coleção traduz a capacidade do poeta de perceber o mundo a sua volta, atributo que o identifica possuidor de um olho armado.

  • Acervo Bibliográfico

A biblioteca do poeta Murilo Mendes, doada à Universidade Federal de Juiz de Fora, em 1977, por sua viúva Maria da Saudade Cortesão Mendes, compõe-se de 2.886 títulos e 3.008 exemplares que versam sobre literatura, religião, arte, história, filosofia, entre outros.

Alocada inicialmente no Centro de Documentação e Difusão Cultural da UFJF, a biblioteca foi removida, em 1994, para o Centro de Estudos Murilo Mendes, e posteriormente transferida, em 2005, para o Museu de Arte Murilo Mendes, compondo o Setor de Biblioteca e Informação.

Outros acervos bibliográficos (João Guimarães Vieira [Guima], Arthur Arcuri, Gilberto e Cosette de Alencar, Dormevilly Nóbrega, Cleonice Rainho) também integram o setor mediante um projeto de preservação da memória literária e cultural de Juiz de Fora.

  • Edifício

O prédio do Museu de Arte Murilo Mendes, projetado pelo arquiteto Décio Bracher, com ampla fachada de vidro e linhas modernas que o tornam referência da arquitetura dos anos 60, abrigou, até 2005, a Reitoria da UFJF. Situado no centro da cidade em uma área constituída de aproximadamente 2.200m², utiliza-se do princípio da planta livre, valorizando os elementos estruturais da obra, com vastos ambientes demarcados por iluminação natural que harmoniza o espaço interno com o espaço externo do museu, definido por amplo jardim e elementos de estilo próprios da arquitetura da época de sua inauguração (1966).

Serviços oferecidos

  • Secretaria

Compete à secretaria do Museu de Arte Murilo Mendes (MAMM) contribuir para execução do Plano museológico, coordenar e supervisionar as ações culturais do MAMM, promover a comunicação interna do Museu, bem com o atendimento ao público.

  • Biblioteca e Informação

O Setor de Biblioteca e Informação reúne expressivo acervo nas áreas de literatura e artes. Este acervo é constituído de aproximadamente 12.000 volumes, incluindo obras raras, periódicos e obras de referência. Além disso, abriga outras bibliotecas de intelectuais renomados no cenário cultural e artístico juiz-forano, que servem de arcabouço complementar à biblioteca de Murilo Mendes: do artista plástico e professor João Guimarães Vieira (Guima), do engenheiro e professor Arthur Arcuri, do escritor Gilberto Alencar e de sua filha Cosette Alencar, da escritora Cleonice Rainho, como também da biblioteca Poliedro, que reúne obras de referência do poeta e títulos de temática literária e artística. O Setor possui ainda um arquivo composto por documentos – entre eles correspondências e fotografias – do poeta Murilo Mendes e dos demais titulares que compõe o acervo bibliográfico.

  • Difusão Cultural

Compete ao Setor de Difusão Cultural: implementar projetos culturais que confiram visibilidade ao acervo do MAMM; promover e gerenciar intercâmbios junto a outras instituições, na perspectiva da ação educativa; contribuir para a obtenção de recursos destinados às ações culturais idealizadas pelo museu; auxiliar na produção, planejamento e organização de eventos culturais promovidos e/ou apoiados pelo museu; promover ações educativas por meios de cursos, palestras, seminários, oficinas, mostras e visitas orientadas.

  • Divisão Educativa

A Divisão Educativa compreende o Museu de Arte Murilo Mendes (MAMM) como agente formador de público crítico e consumidor de cultura e artes e ambiente de estímulo à produção artística e à pesquisa. Cabe à divisão apresentar o MAMM como espaço destinado não apenas à visitação, mas também ao aprendizado e difusão de conhecimento que não se restringe a literatura e artes plásticas, principais alicerces conceituais do museu. Desta forma, o atendimento especializado ao público, com visitas mediadas, cursos e ações culturais educativas é o principal foco da divisão.

  • Museologia

O Setor de Museologia é constituído pelas divisões de Acervo Museológico e Expografia. A divisão de Acervo Museológico tem como uma de suas principais atribuições a gestão das coleções museológicas, realizando o registro, a catalogação, o inventário e a guarda, por meio de procedimentos técnicos específicos. Esta divisão atua também na pesquisa das coleções e no controle de empréstimos do acervo a outras Instituições. A divisão de Expografia é responsável pela avaliação, concepção e montagem de exposições concebidas pelo MAMM e das propostas expositivas apresentadas por artistas, colecionadores e instituições congêneres, adequando-as ao espaço expositivo do museu.

  • Preservação

O Laboratório de Conservação e Restauração de Papel e o Laboratório de Conservação e Restauração de Pintura e Escultura têm como objetivo principal a formulação de políticas de preservação do acervo bibliográfico, documental e de artes plásticas alocado no Museu de Arte Murilo Mendes. Utilizando-se de procedimentos técnicos e de metodologia científica, os Laboratórios promovem medidas que visam à estabilização do processo de deterioração das coleções, prolongando a vida útil e a qualidade de acesso às informações inerentes aos bens culturais da instituição. Os Laboratórios possuem instalações e equipamentos técnicos aplicados aos processos de conservação e restauração como: diagnóstico, higienização, tratamento químico, reconstituição de suporte, reintegração estética e acondicionamento técnico. Realizam ações de Conservação Preventiva por meio da melhoria das condições de manuseio, utilização, técnicas de exibição das coleções e armazenagem do acervo em Reserva Técnica. Desenvolvem programas de treinamento profissional com oferta de estágios supervisionados aos acadêmicos da UFJF, além da prestação de serviços para coleções públicas e particulares. A equipe profissional dos Laboratórios vem mantendo-se atualizada quanto aos critérios éticos, estéticos e científicos assinalados no campo da Ciência da Conservação e Restauração de Bens Culturais, por meio de desenvolvimento de trabalhos, pesquisas, participação em cursos, congressos e demais eventos da área técnica.

Museu de Arte Murilo Mendes
Rua Benjamin Constant, 790 – Centro
(32) 3229-9070

Funcionamento:
De terça a sexta, das 9h às 18h. Sábados e domingos, das 13h às 18h.
Entrada gratuita. Espaço acessível.