O Fórum da Cultura é um espaço cultural da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), que abrange diversos segmentos de manifestações artísticas. Criado em 1971 pelo reitor Prof. Gilson Salomão, ao longo de quase quatro décadas tem oportunizado à comunidade acadêmica e juiz-forana o contato com mostras em artes plásticas, espetáculos teatrais, difusão de cultura popular e música. Cumprindo a função universitária de, através da cultura, unir ensino, pesquisa e extensão, a casa é um exemplo vivo da arquitetura da primeira metade do século XX. Resguardando a memória da Universidade, por lá ter abrigado a primeira sala de reitor da UFJF, o prédio é um marco arquitetônico que possibilita às novas gerações um mergulho na identidade de Juiz de Fora.

Serviços oferecidos

  • Museu de Cultura Popular

O Museu de Cultura Popular tem sua origem na obra do Prof. Wilson de Lima Bastos, criador do Centro de Estudos Sociológicos. Neste centro foi fundado o Departamento de Folclore que criou o Museu do Folclore, em 12 de março de 1965, data do centenário do folclorista Lindolfo Gomes, patrono do Museu. Em 1973, o Museu transferiu-se para o Fórum da Cultura, com exposição permanente do acervo. Em 1987 o museu foi doado à UFJF.

O trabalho desenvolvido no Museu do Folclore, a partir de 1997, integrou de forma holística outras atividades realizadas no Fórum da Cultura. A ação possibilitou um aumento substancial de visitas às exposições. A política de difusão cultural motivada pela extensão aprofundou relações com escolas, com a comunidade juiz-forana e de cidades vizinhas, despertando o interesse do público.

A programação anual segue a inspiração dos meses do ano e as manifestações de cultura popular celebradas topicamente. Assim, cada comemoração ritual é relembrada através das exposições e das obras expostas, permitindo ao visitante um contato com o fazer popular. Celebrando divindades, santos ou folguedos, o Museu aviva a memória de Minas Gerais e do Brasil.

– Acervo: contando com mais de três mil peças, o Museu oferece aos visitantes e pesquisadores uma eclética coleção de objetos de cultura popular, em coleções nacionais e estrangeiras, tendo destaque especial as cerâmicas portuguesa, nordestina e mineira que figuram ao lado de coleções de brinquedos populares mineiros, imagens religiosas, trançados, tecidos, e presépios. A cultura nacional é representada em seus ofícios, crenças e saberes.

  • Galeria de Arte

A Galeria de Arte, localizada no segundo pavimento do Fórum da Cultura, é o espaço onde o público aguarda a abertura do Salão do Teatro. Instalada num local privilegiado, a Galeria abriga uma produção eclética com exposições de artes plásticas, documentais e pedagógicas, que chegam a ter mais de mil visitantes por mostra.

Criado em 1981, no reitorado do prof. Márcio Leite Vaz, o espaço foi muito utilizado pelas promoções do circuito cultural das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) mineiras. Importantes nomes da pintura mineira e juiz-forana tiveram suas obras expostas no local.

Num espaço acolhedor, a galeria tem três linhas de ação. A primeira dedica-se ao resgate da pintura clássica juiz-forana; a segunda, a novos talentos abrindo espaço para carreiras iniciantes, e a terceira volta-se para a iconografia das artes cênicas.

  • Pinacoteca do Fórum da Cultura

A Pinacoteca do Fórum da Cultura foi iniciada nos anos 90 e congrega, em exposição permanente, obras de artistas juiz-foranos e mineiros. São óleos, gravuras, serigrafias, esculturas e maquetes que podem ser visitados durante todo o ano. Todo o legado foi formado através de uma campanha capitaneada pela jornalista Delma Rocha, então programadora cultural da UFJF, e de Solange Starling Brandão, supervisora do Fórum da Cultura, que conseguiram doações de artistas. Mais tarde, ao acervo foram incorporadas obras cedidas por diversos setores da UFJF.

Uma das salas abriga a memória da UFJF. São telas tendo como tema os antigos prédios da Universidade, entre os quais se destaca o Fórum.

  • Teatro – Centro de Estudos Teatrais (CET) – Grupo Divulgação

O Centro de Estudos Teatrais (CET) – Grupo Divulgação é um núcleo de ensino, pesquisa e extensão em artes cênicas, que se iniciou como um grupo de teatro universitário, nascido em 1966, na antiga Faculdade de Filosofia e Letras. Atuando desde então junto à UFJF, o Grupo Divulgação organiza-se em três núcleos básicos de produção de espetáculos: o de universitários, o de secundaristas e o da terceira idade.

Formado por professores e acadêmicos, o CET se organiza como um grupo de pesquisa em artes cênicas, possibilitando, através do ensino, a difusão de conhecimentos e a extensão de uma vasta produção teatral junto a comunidades, buscando a inclusão social e a construção de cidadania.

Projetos desenvolvidos pelo CET – Grupo Divulgação

Cursos e Oficinas: Durante o ano acadêmico, é realizada uma vasta programação extensionista de cursos e oficinas, tendo como objeto a formação cultural e prática de atores e técnicos. Em turmas divididas por faixa etária, os cursos são ministrados abordando a história do teatro, a linguagem corporal, o aprimoramento da expressão vocal e diversas técnicas de interpretação. Os cursos são anuais para o núcleo de adolescentes e as oficinas são desenvolvidas em mergulhões teatrais, semestrais, buscando a iniciação de universitários nas diversas modalidades da cartografia cênica e a participação nos espetáculos montados pelo Grupo Divulgação.

Escola do espectador: o projeto de extensão “Escola de Espectador” é considerado modelar como instrumentalização de inclusão social e cidadania. Realizado há 25 anos, oferece a alunos de escolas públicos de grupos comunitários de Juiz de Fora e região entradas gratuitas aos espetáculos teatrais do Grupo Divulgação. Hoje, são mais de 200 núcleos cadastrados, de origem diversificada no município de Juiz de Fora e circunvizinhança.

Anualmente, o projeto “Escola de Espectador” possibilita ao público cadastrado o acesso à vasta programação de espetáculos e mostras realizadas no Fórum da Cultura. Repercutindo junto aos espectadores, torna-se um modelo guia que difunde a arte teatral como agente de mutação comportamental. Uma vasta rede de professores e líderes comunitários interage com a coordenação e possibilita o treinamento de bolsistas de extensão em atividades sociais. O universo cultural se desdobra como oportunidade de crescimento dos espectadores, dos atores e dos bolsistas que se tornam agentes culturais, enriquecendo seus currículos.

Interpretação para a 3ª Idade: o projeto surgiu em 1994 por uma imposição de alunos emergentes do programa “Universidade com a 3ª Idade” e, desde então, o Grupo Divulgação, num projeto de extensão da Faculdade de Comunicação (Facom) da UFJF, tem ampliado seu trabalho e envolvido um número maior de pessoas em atividades dramáticas.

Contatos e localização

Interessados em participar de atividades de extensão desenvolvidas no Fórum da Cultura ou comparecer às mostras, apresentações e exposições realizadas pelo espaço cultural devem comparecer ao Fórum ou entrar em contato por telefone.

Fórum da Cultura – UFJF
Rua Santo Antônio, 1112  – Centro
CEP: 36016-210
Juiz de Fora, MG
Telefone: (32) 3215-3850/ 3217-1035