Exposição sobre sonoridade e artes visuais segue em cartaz até 10 de janeiro

Afonso Rodrigues_Floresta_Assamblage_

‘Assemblage de Objetos”, de Afonso Rodrigues, é uma das 16 obras expostas no Pró-Música

O espírito musical do 26º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga, encerrado em novembro, permanece como inspiração para 16 obras de diferentes artistas que participam da exposição “O que vejo é música”, em cartaz na galeria Renato de Almeida do Centro Cultural Pró-Música/UFJF.  A exposição se estende até 10 de janeiro.

O conceito central da mostra é explorar a possível permuta de formas e conteúdos entre os diferentes gêneros das artes, no caso específico a música e as artes visuais. Como afirma o curador da exposição, Ricardo Cristofaro, “a relação entre a música e a visualidade pode ocorrer não mais pelos dados sensoriais que nos podem causar impressões similares ou complementares, mas pelo emprego de procedimentos criativos similares; uma forma de expressão artística pode retirar de outra o emprego de métodos, mesmo os mais particulares, para aplicá-los em seguida, de acordo com seus princípios exclusivos”.

Prova disso é diversidade de natureza dos trabalhos apresentados em O que vejo é música. A exposição abrange variados gêneros, desde a pintura nos quadros “Espaço Básico”, de Priscilla de Paula, “Sincronismo II”, de Fernanda Cruzick, e “Ensaio da banda”, de Ramón Brandão, passando pela escultura, “em Sofia”, de Maurillio Souza, e pela fotografia “em Visita”, de Letícia Bertagna.

Também integram a mostra obras de estilo mais contemporâneo, como os objetos artísticos “Paisagem é a palavra”, de Paulo Alvarez, “O canto do serrote”, de Ricardo Cristofaro, “Assemblage de objetos”, de Afonso Rodrigues, e “Toque de recolher”, de Valéria Faria. Há ainda trabalhos em audiovisual das artistas Paula Scamparini e Adriana Gomes e outros que se utilizam de variadas técnicas mistas, envolvendo desde elementos concretos até recursos digitais, nas obras de Adauto Venturi, Sandra Sato, Tonil Braz, Petrillo e Fabrício Carvalho.   

A soma de diferentes fatores resulta em diversas sugestões de leituras para visitante, tanto no sentido de repensar a percepção musical, que ganha na expressão imagética, quanto na incitação à busca de qualidades sonoras nas artes visuais.

Serviço
Exposição O que vejo é música
Até 10 de janeiro
Visitação: de segunda a sexta, das 9h às 18h
Local: Galeria Renato de Almeida, Av. Rio Branco 2.329, Centro – Centro Cultural Pró-Música/UFJF
Artistas: Adauto Venturi, Adriana Gomes, Afonso Rodrigues, Fabrício Carvalho, Fernanda Cruzick, Letícia Bertagna, Maurilio Souza, Paula Scamparini, Paulo Alvarez, Petrillo,Priscilla de Paula, Ramon Brandão, Ricardo Cristofaro Sandra Sato, Tonil Braz, Valéria Faria

Outras informações: (32) 2102-3964  (Pró-reitoria de Cultura)

Compartilhe: