UFJF sedia 1ª etapa do Festival Tropixel de experimentação em arte e pesquisa em meio ambiente

tropixel
Com o objetivo de reunir arte, ciência, tecnologia e meio-ambiente será realizado na cidade de Juiz de Fora (MG) e Ubatuba (SP) o Festival Tropixel, que reunirá artistas, cientistas, pesquisadores e ativistas de diversos lugares do Brasil e do mundo, entre os dias 17 e 25 de outubro. O festival faz parte da rede Pixelache, plataforma de experimentação em arte e pesquisa sobre o meio ambiente, realizado em diversos lugares do mundo. A primeira etapa do evento será realizada na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), nas Faculdades de Engenharia e no Instituto de Artes e Design (IAD) nos dias 17, 18 e 19 de outubro. 

Tropixel é um festival internacional que irá discutir as fronteiras entre arte, ciência, tecnologia e sociedade. No Brasil, é organizado por um grupo de pesquisadores interessados pela maneira com que essas áreas podem trazer contribuições para a construção de futuros mais justos, humanos e participativos. A iniciativa tem como público-alvo estudantes e pesquisadores das áreas de artes, ecologia, biologia, antropologia, informática, engenharia, além de artistas, “oficineiros” e a comunidade em geral.

A primeira etapa do evento será realizada na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), nas Faculdades de Engenharia e no Instituto de Artes e Design (IAD) nos dias 17, 18 e 19 de outubro. Para a coordenadora da iniciativa, professora do IAD, Raquel Rennó, essa etapa dará ênfase ao caráter acadêmico. “A fase de Juiz de Fora deverá atrair um público ligado ao mundo da arte eletrônica, pessoas ligadas aos temas tratados no Mestrado em Artes, Cultura e Linguagens do IAD e também pesquisadores do programa de Pós-Graduação em Ecologia da própria UFJF, por meio de apresentações e palestras.” Já a segunda fase, ocorrerá em Ubatuba entre 20 e 25 de outubro. Essa fase contará com apresentações, oficinas performances e outras experiências.

Para Raquel, a área artística ainda é bastante elitizada, mas o festival irá quebrar estas barreiras e mostrar como a tecnologia pode ser aliada ao meio-ambiente. “Os projetos visam articular, criticamente, soluções para o contexto local. Os convidados estrangeiros também deverão desenvolver projetos para o contexto brasileiro. O que nos interessa é a sociedade brasileira e como podemos mudá-la para melhor.”

O festival contará com a presença de cientistas políticos, engenheiros, artistas, pesquisadores, entre outros expoentes das áreas temáticas. O festival é aberto a toda a sociedade. Confira a programação completa no site http://tropixel.ubalab.org/pt-br

 

Compartilhe: