04 de agosto

Veículo: Ecaderno

Prorrogada inscrição para Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Os graduados e estudantes que não tenham vínculo com secretarias e escolas públicas poderão se inscrever até dia 14

Foram prorrogadas até o próximo dia 14 as inscrições para o curso de Mestrado Profissional do Programa de Pós-Graduação Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública (PPGP) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Conforme informações do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (Caed), poderão se inscrever os graduados e estudantes que não tenham vínculo com secretarias e escolas públicas. Para as outras cem vagas o período de inscrição será divulgado posteriormente no site www.mestrado.caedufjf.net, porque depende ainda da divulgação de normais adicionais, que serão publicadas em editais específicos para cada estado e município conveniado.

As inscrições devem ser feitas no site do Caed. O candidato deve preencher o formulário eletrônico, imprimir o boleto e efetuar o pagamento da taxa de R$ 100 até o dia 14. Além do boleto, deve ser impressa a ficha de inscrição que deverá ser enviada pelo correio juntamente com cópia autenticada do diploma ou comprovante de graduação; CPF; carteira de identidade; uma foto 3×4; comprovante do pagamento da taxa de inscrição; declaração de disponibilidade para a realização das atividades presenciais e a distância; e currículo. O comprovante definitivo de inscrição poderá ser emitido a partir do dia 21 de agosto, pela internet.

O processo de seleção constará de provas de múltipla escolha e dissertativa que serão realizadas no dia 29 de agosto, às 9h, em Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Juiz de Fora, Porto Alegre, Rio Branco, Rio de Janeiro e São Paulo. Após a correção das provas serão analisados os currículos dos candidatos que forem aprovados na etapa eliminatória. Serão avaliadas graduação e experiência profissional e a análise curricular terá efeito classificatório.

O resultado da seleção será divulgado no dia 13 de setembro, no site do mestrado. O período de matrícula para os candidatos selecionados será entre 20 e 30 de setembro.

No total serão oferecidas 120 vagas, sendo cem para pessoas lotadas em secretarias municipais e estaduais de educação conveniadas, e 20 para graduados que tenham interesse em exercer futuramente a profissão.

O curso terá a duração de dois anos, com atividades organizadas em bases modulares, totalizando 38 créditos, e propõe um conjunto de temas de estudo e objetos de investigação empírica com ênfase na produção de conhecimento e na formação de profissionais para a reforma da educação pública brasileira.

O Programa foi criado pelo Conselho de Pós-Graduação da UFJF, em fevereiro de 2009, por iniciativa do (Caed) e recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em reunião de seu Conselho Técnico-Científico de novembro de 2009.

Outras informações: (32) 4009-9318/4009-9319 (PPGP)

————————————————————————-

Veículo: Portal Click

Fadepe demite 33 funcionários em Juiz de Fora

Trinta e três funcionários da Fundação de Apoio e Desenvolvimento ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Fadepe) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) estão cumprindo aviso prévio. Segundo o presidente da Fadepe, Hélio Antônio da Silva, a demissão dos profissionais atende exigência do Tribunal de Contas da União (TCU).

O TCU determinou a extinção da conta de fundo de apoio, mantida pela Fadepe e era através deste meio que os funcionários eram pagos. Ainda de acordo com o presidente da Fadepe, os 33 trabalhadores eram contratados para projetos específicos, que vão ficar comprometidos.

————————————————————————-

Veículo: G1

Editoria: Vestibular e Educação

Reitores de federais de MG discutem criação de consórcio

Pela proposta, aluno poderá usar estrutura das sete instituições.
Juntas, universidades têm cerca de 41 mil alunos em 17 campi.

Reitores das universidades federais mineiras de Viçosa, São João Del Rei, Ouro Preto, Alfenas, Itajubá, Juiz de Fora e Lavras participaram nesta terça-feira (3) da primeira reunião para discutir a criação de um consórcio entre as instituições.

O encontro ocorreu em Belo Horizonte no escritório da Universidade Federal de Viçosa (UFV).

Pela proposta, o consórcio terá um único plano de desenvolvimento institucional para todas as universidades, mas cada uma delas manterá a autonomia. As sete instituições pretendem oferecer cursos, disciplinas e formação de pós-graduandos em conjunto.

De acordo com o reitor da UFV, Luiz Cláudio Costa, os maiores beneficiados serão os alunos. “Os alunos terão um grande ganho. Eles serão muito mais qualificados. Um estudante de um determinado curso terá mais disciplinas para cursar. Ele vai ganhar mais mobilidade para escolher em qual universidade vai querer cursar seu semestre. O aluno vai poder utilizar a estrutura das outras faculdades. Nós não temos dúvida que dessa união vai sair um ‘super resultado’, afirmou Luiz Cláudio Costa.

Juntas, as universidades atendem aproximadamente 41 mil alunos em 17 municípios no sudeste de Minas Gerais. Em 260 cursos presenciais, essas instituições oferecem 15,6 mil vagas de ingresso anual, além de 111 cursos de mestrado e 59 de doutorado.

De acordo com o reitor da Universidade Federal de São João Del Rei, Helvécio Luiz dos Reis, a mobilidade estudantil no Brasil é muito burocrática e essa união irá desburocratizar o sistema. Uma das discussões que serão feitas também é a possibilidade de unificação dos vestibulares.

O Ministério da Educação (MEC) aprovou a criação do consórcio. O Coordenador Geral de Legislação e Normas da Educação Superior do MEC, Samuel Martins Feliciano, afirmou que a instituição “vê a união com entusiasmo”.

“Vamos acompanhar todo o processo. Este possível consórcio, se constituído, só vai trazer ganhos. Estas sete universidades têm a proximidade geográfica que permite este processo”, afirmou Samuel Feliciano.

Os reitores têm até 15 de outubro para entregar o projeto ao MEC. O consórcio é um projeto pioneiro no país. As mudanças com a criação da nova universidade devem começar em 2011.

————————————————————————-

Veículo: Correio Braziliense

Reitores definem protocolo de intenções para criar a superuniversidade mineira

Avamçam as discussões para criação de um consórcio reunindo sete instituições federais de ensino superior de Minas Gerais. Hoje (3), os reitores das universidades federais de Alfenas, Itajubá, Juiz de Fora, Lavras, São João del-Rei, Ouro Preto e Viçosa se reuniram e definiram um protocolo de intenções para a criação da superuniversidade.

Segundo o reitor da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Luiz Cláudio Costa, o documento será assinado ainda neste mês pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, e pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Juntas, as sete instituições atendem a 41 mil alunos de graduação em 260 cursos presenciais, além de 5,3 mil de pós-graduação em 111 programas de mestrado e 59 de doutorado. “O consórcio nasceu de forma natural porque essa é a única região do Brasil e talvez do mundo que reúne sete universidades com excelência comprovada em um raio de 200 quilômetros”, afirma Costa.

Segundo o reitor, o consórcio vai permitir uma ação mais integrada das instituições no planejamento acadêmico para atender às necessidades da região. Uma das vantagens, na avaliação do grupo, será a otimização dos custos.

“Um estudante de qualquer curso passará a ter um elenco de disciplinas muito maior à sua disposição. Ele poderá cursar uma disciplina em sua instituição ou em outras seis universidades, usar os laboratórios, os equipamentos. Isso otimiza recursos e dá mais resultados para a sociedade”, explica Costa.

O próximo passo é a elaboração de um plano de desenvolvimento institucional conjunto, que, segundo Costa, ficará pronto em outubro. Esse documento incluirá os planos e estratégias comuns de ação das sete universidades para os próximos anos.

Juntas, as instituições oferecem anualmente 15,6 mil vagas de ingresso. Nos cursos de graduação, todas têm  bons indicadores de qualidade, com índice geral de cursos (IGC) entre 4 e 5. Na pós-graduação, 15 programas têm nível 5, cinco têm nível 6 e dois nível 7, o mais alto.

De acordo com Costa, o Ministério da Educação (MEC) está estudando qual é a alternativa mais adequada, do ponto de vista jurídico e administrativo, para a criação do consórcio.

—————————————————————————-

Veículo: Megaminas

Editoria: Educação

UFJF divulga lista de selecionados para programa Boa Vizinhança

A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) divulgou a lista com os selecionados para aulas de inglês e espanhol de graça, do programa Boa Vizinhança. As aulas vão começar no dia 21 de agosto, sempre aos sábados, das 8h às 12h, na Faculdade de Letras.

Não haverá procedimento de matrícula, porém, o candidato selecionado deverá comparecer obrigatoriamente nas duas primeiras semanas de aula levando o documento de identidade. A lista com os aprovados está no site da UFJF.

—————————————————————————-

Veículo: JF Hoje

Editoria: Capa

Tribunal de contas notifica reitor e ex-reitora

——————————————————————————

Veículo: JF Hoje

Editoria Cidade

Superuniversidade: protocolo é fechado

Mais um passo foi dado para a criação do consórcio das universidades federais do Sul-Sudeste de Minas Gerais, que deverá funcionar, na prática, a partir de 2011. Com a medida, os custos serão otimizados e os estudantes, por exemplo, terão um elenco de disciplinas muito maior à sua disposição.

O protocolo de intenções para a implementação da superuniversidade foi fechado, ontem, em Belo Horizonte, pelos reitores das universidades federais de Viçosa, Alfenas, Itajubá, Lavras, São João Del Rei e Ouro Preto, e pelo vice-reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), José Luiz Resende Pereira, que substituiu o reitor Henrique Duque.

Na próxima terça-feira, no Campus da Universidade Federal de São João del Rei, em

Divinópolis, será assinado o protocolo de intenções, pelos sete reitores, pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, e pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Com a formalização, o MEC vai formatar juridicamente o documento de criação do consórcio que será o primeiro do Brasil envolvendo universidades federais. Até o dia 15 de outubro, os reitores trabalharão no projeto de um Plano de Desenvolvimento Integrado para as universidades participantes.

O reitor da Universidade Federal de Viçosa, Luiz Cláudio Costa, informa que as instituições são complementares e o projeto respeita as características e autonomia de cada uma. Segundo ele, o consórcio vai permitir ações estratégicas das instituições para o Estado e o País, além de possibilitar uma forte visibilidade e inserção internacional.

O vice-reitor da UFJF, José Luiz Resende Pereira, destaca que o consórcio irá intensificar sua relação com os Governos federal, estadual e municipal, além de agências de fomento, visando ao fortalecimento do ensino, da pesquisa e da extensão universitária.

— As universidades também ficarão mais fortes para atender às demandas da sociedade.

 

NÚMEROS

As sete universidades federais possuem 3.500 professores, 4 mil técnicos administrativos, 41 mil alunos de graduação e 5.300 de pós-graduação.

Em 260 cursos presenciais, essas instituições oferecem 15.600 vagas de ingresso anual, além de 111 cursos de mestrado e 59 de doutorado. Nos cursos de graduação, todas têm bons indicadores de qualidade, com índice geral de cursos (IGC) entre 4 e 5. Na pós-graduação, 15 programas têm nível 5; cinco apresentam nível 6 e dois nível 7, o mais alto.

———————————————————————————

Veículo: JF Hoje

Editoria: Cidade

Ouvidoria da UFJF funciona em novo horário

A ouvidoria da UFJF funciona em novo horário a partir da próxima segunda-feira, quando recomeçam as aulas. O atendimento presencial e por telefone, que era feito às sextas-feiras, passa para quinta. Porém, o setor continua funcionando às segundas e terças-feiras, para receber reclamações, denúncias, solicitações, sugestões e elogios. O contato com a ouvidoria pode ainda ser feito por e-mail, carta, pelo site do setor ou por meio de uma urna disponível na Central de Atendimento (CAT), no prédio da Reitoria, no Campus. Criada há 14 anos, a ouvidoria está aberta às comunidades interna e externa. O endereço é Campus Universitário, Rua José Lourenço Kelmer s/nº, São Pedro. O telefone é o (32) 2102-3380 e o endereço de e-mail, ouvidoria@ufjf.edu.br.

Horários de atendimento

- Segunda-feira: das 8h às 12h;

- Terça-feira: das 14h às 18h;

- Quinta-feira: das 8h às 12h e das 14h às 18h

———————————————————————————-

Veículo: JF Hoje

Editoria: Cidade

HU promove treinamento para transplantes

Pelo menos 200 pessoas são esperadas nas palestras “Manutenção e diagnóstico em morte encefálica” e “Abordagem familiar para doação de córnea”, nos dias 9 e 10, no Hospital Universitário (HU) da UFJF. Voltada para funcionários, alunos e residentes, a capacitação é uma atividade da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT).

— As palestras são importantes por fornecer informações necessárias para os profissionais. Com isso, espera-se aumento, não só de notificações de óbitos, mas também de doações aqui no HU — avalia a enfermeira e coordenadora da CIHDOTT, Kelli Borges dos Santos.

Segundo Kelli, a doação de órgãos é assunto muito divulgado, mas as pessoas têm pouco conhecimento a respeito. Ela esclarece que atualmente, no HU, o perfil dos óbitos favorece principalmente a doação de córneas, e, depois que a CIHDOTT foi reativada, em outubro de 2009, o hospital registrou o primeiro doador. Ela observa que a comissão é obrigatória para hospitais com mais de 80 leitos, assim como a capacitação. Mas, desde a reativação, foi preciso escolher os integrantes e integrar seu funcionamento ao cotidiano do HU.

A coordenadora da CIHDOTT observa que a notificação de óbito é o primeiro passo para a doação de órgãos, com algumas exceções, como é o caso dos transplantes de medula óssea e rins. Para órgãos como coração, fígado e pulmão, depois de confirmada a morte encefálica e obtida a autorização dos familiares, uma sequência de exames é feita para testar a viabilidade de cada órgão, e sua compatibilidade com o receptor.

— No HU, fazemos apenas o transplante de medula óssea, mas obtemos os órgãos para que outras instituições possam realizar os procedimentos — esclarece a enfermeira.

 

ESPERA REDUZIDA

As palestras serão realizadas no Auditório Gilson Salomão, unidade Santa Catarina, às 13h30min e às 19h. Não é necessário se inscrever para participar. Os palestrantes foram indicados pela Central Nacional de Captação e Distribuição de Órgãos da Zona da Mata (CNCDO). A cardiologista Fernanda Keller vai falar sobre manutenção e diagnóstico em morte encefálica, enquanto a assistente social Mônica Daibert trata do tema abordagem familiar para doação de córnea.

— O consentimento familiar é fundamental. Quem decide agora é a família, mesmo que o futuro doador deixe a autorização por escrito — explica Kelli.

A CIHDOTT trabalha para diminuir as filas de espera por doações. Entre as funções estão, por exemplo, a identificação do possível doador, a abordagem familiar e o treinamento dos profissionais.

A coordenadora da comissão revela que, para doação de córnea não é preciso esperar a confirmação da morte encefálica, sendo suficiente a parada cardíaca, depois da qual é necessário aguardar seis horas. Para os outros órgãos, além desta notificação, o paciente deve estar numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O tempo máximo de espera para o transplante varia conforme o órgão. Para o transplante de coração, deve-se esperar, no máximo, quatro horas. O prazo de até seis horas é o previsto para o procedimento, no caso do pulmão ou fígado. Quando o órgão é o rim, pode-se aguardar até 24 horas.

—————————————————————————-

Veículo: JF Hoje

Irregularidade nas contas da Fadepe

Tribunal de Contas notifica ex-reitora Margarida Salomão e reitor Henrique Duque, da UFJF

Todos sabem que na Fundação de Apoio ao Desenvolvimento sempre funcionou uma “caixa preta”, recheada de ilegalidades e de suspeitas quanto a verbas da UFJF. Até mesmo, segundo se comenta nos meios da instituição, foi, em algumas oportunidades, fonte financiadora de campanhas políticas.

A Fadepe não prestava contas ao governo federal, mas à própria administração da UFJF, cujos membros dirigentes são cargos de confiança do reitor. O resultado desse desvio de conduta, com ilegais práticas contábeis de recursos públicos, gerou suspeitas de corrupção, patrocínio de projetos sem nenhum benefício para a Universidade, além de nepotismo, e verdadeiro cabide de empregos na Fundação, mas sempre para “amigos do rei”(tores).

Resultado: a Procuradoria da República, em Juiz de Fora representou contra Margarida Salomão e Henrique Duque, para saber quais os mistérios contábeis e financeiros, e, por esse motivo, ou seja a prática de irregularidades com recursos públicos, o Tribunal de Contas, determinou o fechamento de todas as contas da Fadepe, dentre outras medidas saneadoras e moralizadoras, na agora suspeita Universidade Federal de Juiz de Fora.

Comenta-se que os procuradores ainda irão analisar, com lupa, a compra do terreno para a implantação do Jardim Botânico de Juiz de Fora.

Provocados, e certamente com provas nas mãos, os ministros do Tribunal de Contas da União, reunidos em Brasília, determinaram as graves decisões abaixo:

Acordão n. 3040/2010 – TCU – 2a Câmara

1) processo TC 012.794/2003 -2 (Representação)

2) Apensos : 011.427/2005- 5 ( Representação)

3) Responsáveis: Henrique Duque de Miranda Chaves Filho (112.796.566-20); Maria Margarida Martins Salomão (135.210.396-68)

4) Interessado: Procuradoria da República

5) Entidade: Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF

 

Determinações:

1) Que no prazo de 60 dias, comprove perante o Tribunal de Contas da União:

1.1 – A formalização, com fundamento na lei 8.958/1994, para cada projeto consorciado com suas fundações de apoio, do respectivo termo de contrato/ convênio (leia-se, mostrar todos os contratos assinados pela Fadepe, sob a responsabilidade da professora Margarida Salomão durante seus oito anos de reitoria e, Henrique duque , os últimos quatro anos). Também chamada aos autos do processo como responsável, a funcionária Maria Margarida Antunes Aguiar;

1.2 – A adoção de sistemática de recolhimento rotineiro dos recursos próprios excedentes movimentados no âmbito da fundação de apoio à conta única da UFJF (que extrapolem os valores destinados ao custeio dos respectivos projetos), dentro do marco jurisprudencial estabelecido pelo acórdão 2.731/2008 – TCU – plenário (leia-se retornar com os recursos desviados e repassados ilegalmente para a Fadepe);

1.3 – O recolhimento imediato à conta única da UFJF dos saldos porventura existentes no fundo de apoio ao desenvolvimento da UFJF e nos fundos de unidades acadêmicas mantidos em contas correntes da Fadepe, tendo em vista o princípio da unidade de tesouraria (leia-se, encerramento de todas as contas da Fadepe junto a qualquer banco!)

1.4 – A extinção, por ausência de previsão legal, dos fundos de apoio institucional (leia-se os apoios absurdos a exposições de agropecuária, patrocínio de shows no Teatro Central e dezenas de outras atividades ilegais patrocinadas pela Fadepe).

O Tribunal de Contas determinou também que sejam demitidos todos os apadrinhados da suspeitíssima Fundação, os que obviamente entraram pela janela. Já foram exonerados mais de 50 funcionários.

Parabéns aos procuradores da República. Belo trabalho. Menos uma fonte de corrupção nesta cidade.

————————————————————————–

Veículo: Andifes

Reitores de sete federais de MG discutem ‘megauniversidade’

Caso seja aprovado pelo MEC, consórcio reunirá 91 mil alunos de cursos de graduação e pós-graduação

BELO HORIZONTE – Reitores de sete universidades federais em Minas Gerais – de Alfenas (Unifal), Itajubá (Unifei), Lavras (Ufla), São João del-Rei (UFSJ), Ouro Preto (Ufop), Juiz de Fora (UFJF) e Viçosa(UFV) – se reúnem nesta terça-feira, 3, em Belo Horizonte, para discutir detalhes finais de um consórcio que unirá as instituições em uma espécie de megauniversidade.

Segundo o Ministério da Educação, não há impedimento legal para a iniciativa, mas o projeto que deve sair do encontro ainda terá que ser aprovado pelo ministro Fernando Haddad. Ele já se reuniu com os reitores no mês passado, em Brasília, e, de acordo com a assessoria do ministério, o ministro se interessou pela ideia, mas precisa analisar o projeto final, pois se trata de uma proposta inédita no País.

Caso o consórcio seja aprovado, a megauniversidade reunirá aproximadamente 91 mil alunos de cursos presenciais de graduação e pós-graduação que funcionam em 17 cidades do sul e sudeste de Minas, além cursos a distância em 55 municípios. Segundo o MEC, as instituições, juntas, oferecem 15,6 mil vagas a cada vestibular. A megauniversidade terá 260 cursos presenciais de graduação, além de 111 cursos de mestrado e 59 de doutorado.

A proposta é que cada universidade mantenha a autonomia, com reitor e conselho superior próprios, mas unifiquem o plano de desenvolvimento institucional. Com isso, as unidades terão estratégia conjunta para captação de recursos, projetos integrados de ensino e pesquisa e a possibilidade de transferência de equipamentos e tecnologia entre si.

As universidades foram escolhidas pela qualidade do ensino, além da proximidade geográfica. De acordo com o MEC, todas apresentam, na graduação, índice geral de cursos com nota 4 e 5, que são as maiores para esse tipo de educação. Já na pós-graduação, 15 programas têm nível 5, cinco têm nível 6 e dois alcançam nível 7, o mais alto da escala de avaliação desse tipo de ensino.

——————————————————————————

Veículo: Minas Vestibular

Relação mente-cérebro

A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) em parceria com a Universidade de São Paulo (USP), realiza entre os dias 24 e 26 de setembro, o I Simpósio Internacional “Explorando as Fronteiras da Relação Mente-Cérebro”. O evento será no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo (SP).

O principal objetivo é discutir as relações entre mente e cérebro sobre duas perspectivas: científica e filosófica. Serão analisadas também as implicações de tópicos relevantes, normalmente negligenciados no debate acadêmico sobre a questão.

O simpósio é fruto da parceria entre o Núcleo de Pesquisa em Espiritualidade e Saúde da Faculdade de Medicina da UFJF e a Disciplina de Emergências Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. “Temos certeza de que este evento será um excelente espaço para debate, em alto nível, de tópicos controversos e desafiadores, na busca da compreensão da mente humana”, afirma Alexander Moreira Almeida, professor adjunto de psiquiatria e semiologia da Faculdade de Medicina e diretor do Núcleo de Pesquisas em Espiritualidade e Saúde (Nupes) da UFJF.

Segundo o professor, os temas das palestras resultarão em um suplemento especial da Revista de Psiquiatria Clínica, publicada pelo Departamento e Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP.

O evento terá todas as apresentações bilíngues, em português e inglês, e também será transmitido pela internet. As inscrições devem ser feitas pelo site.

Outras informações no site do Simpósio, ou pelo telefone: (32) 2102-3829 (Departamento de Clínica Médica, UFJF)

————————————————————————

Veículo: Minas Vestibular

Mestrado Profissional

A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) prorrogou as inscrições para o curso de Mestrado Profissional do Programa de Pós-Graduação Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública (PPGP). Elas agora vão até dia 14 de agosto. Podem se inscrever os graduados e estudantes que não tenham vínculo com secretarias e escolas públicas. As inscrições devem ser feitas no site do Caed .

No total serão oferecidas 120 vagas, sendo cem para pessoas lotadas em secretarias municipais e estaduais de educação conveniadas, e 20 para graduados que tenham interesse em exercer futuramente a profissão. Para as outras cem vagas o período de inscrição será divulgado posteriormente no site  porque depende ainda da divulgação de normais adicionais, que serão publicadas em editais específicos para cada estado e município conveniado.

O processo de seleção constará de provas de múltipla escolha e dissertativa que serão realizadas no dia 29 de agosto (às 9h), em Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Juiz de Fora, Porto Alegre, Rio Branco, Rio de Janeiro e São Paulo. Após a correção das provas serão analisados os currículos dos candidatos que forem aprovados na etapa eliminatória. Serão avaliadas graduação e experiência profissional e a análise curricular terá efeito classificatório. O resultado da seleção será divulgado no dia 13 de setembro, no site do mestrado. O período de matrícula para os candidatos selecionados será entre 20 e 30 de setembro.

O curso terá a duração de dois anos, com atividades organizadas em bases modulares, totalizando 38 créditos, e propõe um conjunto de temas de estudo e objetos de investigação empírica com ênfase na produção de conhecimento e na formação de profissionais para a reforma da educação pública brasileira.

O Programa foi criado pelo Conselho de Pós-Graduação da UFJF, em fevereiro de 2009, por iniciativa do (Caed) e recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em reunião de seu Conselho Técnico-Científico de novembro de 2009.

Outras informações, no site ou pelos telefones (32) 4009-9318/4009-9319 (PPGP)

Compartilhe: