UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

ISSN 1519-5759

Volume 9 – N° 2 – jul. – dez. 2007

Você está em: Edições Anteriores > Volume 9 - N° 2 - jul. - dez. 2007 > Volume 9 - N° 2 - jul. - dez. 2007

Mateus de Castro: um bispo “brâmane” em busca da promoção social no império asiático português (século XVII)

Patricia Souza de Faria

 

Resumo: Mateus de Castro nasceu de pais da casta brâmane na Índia, na última década do século XVI e suas ações reverberaram o desejo de superar a condição de subalternidade experimentada pelos nascidos na Índia Portuguesa que se converteram ao catolicismo. O filho de brâmanes e aspirante a sacerdote católico tentou suplantar as restrições sofridas pelos asiáticos, freqüentemente afastados dos cargos civis e eclesiásticos mais valorizados no Oriente Português, em favor dos nascidos em Portugal. A trajetória de Mateus de Castro insere-se no contexto das disputas entre os defensores da Coroa portuguesa (e do padroado régio) e os da Congregação da Propaganda Fide (que buscava o protagonismo de Roma nas missões do Oriente, em detrimento da Coroa), entre o clero nativo e o clero proveniente do Velho Mundo, adicionadas às contendas entre membros de castas rivais cristianizados. Acusado de conjurar contra a Coroa, Mateus de Castro inspirou suspeitas de ter explorado o fato da capital do Estado português da Índia (Goa) consistir em um território encravado entre reinos muçulmanos, além de atiçar os holandeses a invadir os domínios portugueses do Oriente. Mateus de Castro partiu do Oriente em direção à Roma em busca de uma inserção social menos subordinada e suas estratégias lhe renderam a ordenação sacerdotal em 1630, a condição de missionário da Propaganda Fide e conquista do título de bispo – in partibus infidelium – de Crisópolis em 1637.

Palavras-chave: Mateus de Castro, Domínios Portugueses do Oriente, Estratégias Sociais.

 

Abstract: Mateus de Castro, born in India in the last decade of the XVI century, was the son of Brahmans. His actions reverberated in the desire shared by those born in Portuguese India and converted to Catholicism to overcome the subaltern position they experienced. Aspiring to be ordained as a Catholic priest, he attempted to supplant the restrictions suffered by the Asians, frequently removed from the most valued civil and ecclesiastic posts in the Portuguese Orient, in favor of those born in Portugal. Mateus de Castro’s trajectory lies within the context of the disputes between the defenders of the Portuguese Patronage and the Propaganda Fide (that sought the protagonism of Rome in missions in the Orient, in detriment to the Crown), between the native clergy and that of the Old World, plus the contention taking place among members of the rival Christianized castes. Accused of conspiring against the Crown, Mateus de Castro aroused suspicions of having exploited the fact the capital of the Portuguese state in India (Goa) constituted an enclave territory hemmed in by Moslem sultanates, besides inciting the Dutch to invade the Portuguese domains in the Orient. Mateus de Castro set off from the Orient to Rome in search of less subordinate status, and, indeed, his strategies rendered him sacerdotal ordination in 1630, the condition of missionary of the Propaganda Fide, and was awarded the title of bishop – in partibus infidelium – of Crisópolis, in 1637.

Keywords: Mateus de Castro, Portuguese Domains in the Orient, Social Strategies.

 

FARIA, Patricia Souza. Mateus de Castro: um bispo “brâmane” em busca da promoção social no império asiático português (século XVII). Revista Eletrônica de História do Brasil. Juiz de Fora, volume 9, número 2, jul-dez, 2007.

 

 

« voltar

Revista Eletrônica de História do Brasil – REHB