UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

ISSN 1519-5759

Volume 6 – N° 2 – jul. – dez. 2004

Você está em: Edições Anteriores > Volume 6 - N° 2 - jul. - dez. 2004 > Volume 6 – N° 2 – jul. – dez. 2004

Dinâmica produtiva em Minas Gerais: o sistema econômico em funcionamento no termo de Mariana (1750-1850)

Carla Maria Carvalho de Almeida

 

Resumo: Este trabalho se insere no bojo das indagações acerca do caráter da sociedade colonial e, mais especificamente, da economia mineira no período pós-auge minerador. Elegemos o termo de Mariana como espaço a ser trabalhado, devido às suas características privilegiadas de localização. O marco temporal de 1750 a 1850 foi escolhido por abarcar o momento de auge minerador e também o período considerado pela historiografia tradicional como de “decadência” e “estagnação” da economia mineira. Tendo os inventários post-mortem como fonte privilegiada, o objetivo central da pesquisa foi perceber, ao longo do período, as alterações das unidades produtivas da região.

Palavras-chave: 1. Minas Gerais; 2. Escravidão; 3. Economia Colonial.

 

Abstract : ThisThis paper is within the inquiries concerning the character of Brazilian colonial society; more specifically, the post-boom mining economy of Minas Gerais. The region of Mariana was chosen because of its privileged location. The time period of 1750-1850 was selected because it begins at the time of the economic boom and includes the years considered by tradicional historiography to cover the decline and stagnation of the economy of Minas Gerais. Using post-mortem inventories as a primary source of information, the objective this investigation was to observe the changes in the productive units.

Key words: 1. Minas Gerais; 2. Slavery; 3. Colonial Economy.

 

ALMEIDA, Carla Maria Carvalho de. Dinâmica produtiva em Minas Gerais: o sistema econômico em funcionamento no termo de Mariana (1750-1850). Revista Eletrônica de História do Brasil. Juiz de Fora, volume 6, número 2, jul-dez, 2004.

 

« voltar

Revista Eletrônica de História do Brasil – REHB