UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

ISSN 1519-5759

Volume 10 – N° 1 e 2 – jan. – dez. 2008

Você está em: Edições Anteriores > Volume 10 - N° 1 e 2 - jan. - dez. 2008 > Volume 10 - N° 1 e 2 - jan. - dez. 2008

Em busca de prestígio: a ordem terceira de São Francisco de Assis de Vila Rica

Cristiano Oliveira de Sousa

 

Resumo: Ser membro de uma “Ordem Terceira” era, para além da questão religiosa, um símbolo de prestígio numa sociedade aos moldes do Antigo Regime como a sociedade colonial mineira. O pertencimento à uma Ordem Terceira é visto como sendo mais um dos critérios que definiam a organização social naquela complexa sociedade.Dessa forma, do mesmo modo como era importante para aqueles homens obterem mercês de hábitos das ordem militares, ou serem eleitos para assumirem um cargo no Senado da Câmara, ou ainda possuir uma patente dos corpos de ordenança, pretendemos mostrar que o pertencimento à Ordem Terceira era também um símbolo de prestígio social e de poder.

Palavras-chave: Séc. XVIII, Minas Gerais, Prestígio. Poder, Ordem Terceira, Irmandade.

 

Abstract: Being a member of a “Third Order” was, in addition to the religious question, a symbol of prestige in a society governed by the values of the old regime, like the one we found in Minas Gerais Colonial. Be a member of that religious organization, is seen as one of the criteria that defined the social organizations in a complex society like that. So, just as it was important to be part of the military orders, or be elected to take a position in the Senate Chamber, or even have a patent of the “ordenanças”, we want to show that belonging to the Third Order was also a symbol of social prestige and power.

Keywords: XVIII Century, Minas Gerais, Prestige, Power, Third Order, Brotherhood.

 

SOUSA, Cristiano Oliveira de. Em busca de prestígio: a ordem terceira de São Francisco de Assis de Vila Rica. Revista Eletrônica de História do Brasil. Juiz de Fora, volume 10, número 1 e 2, jan-dez, 2008.

 

 

« voltar

Revista Eletrônica de História do Brasil – REHB