UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

ISSN 1519-5759

Volume 1 – N° 1 – maio – jun. 1997

Você está em: Edições Anteriores > Volume 1 - N° 1 - maio - jun. 1997 > Volume 1 – N° 1 – maio – jun. 1997

Propaganda política e simulacro de cidadania

Carlos Fico

 

Resumo: A criação da AERP (Assessoria Especial de Relações Públicas foi uma vitória parcial dos setores que supunham a necessidade de propaganda política durante a ditadura militar brasileira. “Vitória”, porque isto significou o predomínio do ponto de vista doutrinário dos que eram contrários à idéia castelista de que “a verdade se impõe por si só”. “Parcial”, porque esta Agência foi criada como uma “Assessoria”, e não como um “Serviço Nacional”, nos moldes do SNI, tal como pretendiam Golbery do Couto e Silva e seus auxiliares. A propaganda da ditadura não foi inócua ou apenas técnica, como querem alguns: ela expressava a visão (política) que os militares tinham da sociedade brasileira: um povo a ser educado, doutrinado.

 

Abstract: The creation of AERP (Special Advisory of Public Relations) was a partial victory of groups who assumed the necessity of political propaganda during the Brazilian military dictatorship. “Victory” because this meant the predominance of a doctrinal point of view of those who were against the “castelista” (from Castelo Branco) idea that implied that “the truth imposes itself by itself”. “Partial”, because this agency was created as an “Advisory”, not as a “national service”, as Golbery do Couto e Silva and his assistants wanted. The dictatorship’s propaganda wasn’t harmless or only technical, as supposed by some: it expressed the military (political) view of the Brazilian society: a people to be educated, to be indoctrinated.

 

FICO, Carlos. Propaganda política e simulacro de cidadania. Revista Eletrônica de História do Brasil. Juiz de Fora, volume 1, número 1, maio-jun, 1997.

 

« voltar

Revista Eletrônica de História do Brasil – REHB