UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Sobre o nosso Ramo

Você está em: Nosso Ramo > Sobre o nosso Ramo

Pode-se dizer que a ideia da criação do ramo estudantil do IEEE na UFJF foi um produto decorrente do maior envolvimento com atividades de pesquisa científica e pós-graduação, por parte do corpo docente do Curso de Engenharia Elétrica da UFJF, ao final da década de 90.
Até a década de 80, os professores do referido curso se restringiam, basicamente, a lecionar as disciplinas da grade curricular do curso de graduação, sendo que não havia atividades de pós-graduação. As atividades de pesquisa eram limitadas a grupos isolados, porém já se estimulava que o corpo docente se qualificasse em nível de mestrado e doutorado. Já no início da década de 90, as atividades de pesquisa e consultoria eram mais comuns, seja vinculada a iniciativas próprias e locais, ou relacionadas com os projetos dos docentes que se encontravam em conclusão do mestrado ou doutorado.
Com a necessidade de se consultar a literatura técnico-científica de apoio às pesquisas, o que não era disponível nas bibliotecas da UFJF até então, houve uma conscientização de que a criação do ramo estudantil do IEEE viabilizava a aquisição de toda a publicação daquele órgão por um preço muito acessível (cerca de quinze a vinte vezes menor que o valor pago regularmente). Deve-se comentar, que é bem conhecido na área de Engenharia Elétrica, Eletrônica e Informática, o fato de ser quase impossível produzir pesquisa de qualidade sem o acesso aos periódicos publicados pelo IEEE. Este material constituiria a “Student Branch Library”, que poderia ser consultada localmente. Outros atrativos importantes eram a possibilidade de suporte financeiro em atividades relacionadas ao IEEE e a viabilidade de participação no programa DLT (Distinguished Lecturer Tour) do IEEE, que previa a visita de pesquisadores renomados para oferecimento de cursos e palestras na universidade.
Estavam, assim, estabelecidas as bases para estimular professores e alunos no projeto de criação do ramo. De fato, em meados de 1991, com o apoio do Presidente da Seção Rio de Janeiro do IEEE (já que ainda não havia a Seção Minas Gerais), o Eng. Carlos Augusto Leite Brandão – CEMIG/BH, foi criado o ramo estudantil do IEEE na UFJF. O acadêmico, Francisco Leite, em 1990, foi o primeiro Presidente do ramo e o Prof. Henrique Braga atuou como primeiro Conselheiro. O ramo contou também com os apoios significativos do Prof. José Luiz Rezende Pereira e do Prof. Francisco José Gomes, responsável pelo PET – Programa Especial de Treinamento (hoje o nome é definido como Programa de Educação Tutorial), já que para reunir o número mínimo de membros necessários para a sua formação, uma condição para que alunos integrassem como bolsistas no PET era de se tornarem membros do IEEE.
Há que se destacar que os periódicos que foram adquiridos, em função da criação do ramo, foram elementos fundamentais no credenciamento concedido pela CAPES para instalação do Curso de Mestrado em Engenharia Elétrica da UFJF, em 1998.

Fundação do Ramo Estudantil IEEE UFJF.

 

No período inicial, o Ramo quase não movimentou grandes atividades entre os alunos. Um fato a destacar é a assinatura para a biblioteca setorial de todas as revistas do IEEE utilizando o chamado IEEE Student Branch Library, através do Ramo existente. O não conhecimento do IEEE e a falta de apoio para desenvolvimento de eventos resultaram na inativação do Ramo, pouco tempo depois de sua abertura.

Assim o ramo foi desativado.

 

Em agosto de 1995, o professor Henrique Braga resolve reabrir o Ramo convidando o aluno Erick Delvízio para participação como vice-presidente e o aluno Octavio Guilherme de Souza Castelloes para participação como presidente. Na época, o tesoureiro foi Leonardo Nunes e o Secretário foi Leonardo Cruz. Essa formação de alunos se manteve até 1999, sem muita experiência com o IEEE e com pouca ajuda efetiva por parte de professores e voluntários. Alguns destaques da época foram colaborações em palestras da própria Universidade e um projeto desenvolvido pelo Octavio Castelloes através do Ramo baseado em tecnologia PWM para controle remoto.

E essa foi a Reativação do Ramo Estudantil IEEE UFJF.

 

No ano de 1999 iniciou-se o processo de estruturação do Ramo Estudantil.
Depois de muita luta conseguiu-se uma sala, nas dependências da Faculdade de Engenharia, para melhor coordenação das atividades e projetos do Ramo; também foram adquiridos acessórios importantíssimos para sua organização, como computador, impressora, estante e revistas do IEEE (que ficavam antes na biblioteca da universidade).
Além disso, esta época foi fundamental para o estabelecimento de um apoio político através de várias reuniões com o diretor da Universidade da época, Luiz Carlos Tonelli e demais professores consagrados. Este apoio fortaleceu a atuação do Ramo Estudantil, que já trabalhava sem muitas limitações dentro de Faculdade, passando a ter reconhecimento da instituição para organização de muitos eventos.

 E essa foi a estruturação do nosso ramo.

 

Foi também em 1999, quando Erick Delvízio assumiu a presidência, que as coisas mudaram de forma mais efetiva. Com uma estrutura bem mais sólida e uma maior experiência por parte dos dirigentes, os alunos já entendiam a função do Ramo na Universidade. Esse entendimento permitiu uma maior participação de estudantes no ramo para realizações de atividades.
Através do IEEE e fundamental ajuda do Professor Henrique, Erick foi premiado com uma viagem para a Argentina, em Rosário, no 3o RRR da Região 9 no ano 2000. Neste evento tudo era novo e as informações sobre o IEEE eram inúmeras. Erick representava o único Ramo Estudantil do IEEE em atividade no Brasil.
Ao retornar ao Brasil com toda aquela experiência, foi bem mais fácil o gerenciamento do Ramo. Nesta fase, o vice-presidente era o Ronan Gustavo Carvalho Furtado, a secretária a Carolina Gomes de Souza, e o Leonardo Nunes passou a ser o tesoureiro. Continuaram desenvolvendo de apoio à faculdade. Fizeram mini-cursos de Matlab, C++, PSpice e outros com colaborações dos estudantes de Mestrado da UFJF. Também promoveram algumas reuniões sociais, como churrascos e idas a restaurantes.
Uma grande idéia que surgiu na época foi a formação do Capítulo “Power Systems” e o Grupo de Afinidade da Women Engineering. Os responsáveis pela formação desses capítulos foram o Erick e a Carolina. As atividades relacionadas a esses grupos estavam sempre ligadas às do Ramo, e eles eram mais uma forma de atração de membros.

 E assim nosso ramo se consolidou!