UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Projetos

Você está em: Projetos

 

AMBULATÓRIOS DE ACUPUNTURA: Este projeto objetiva fornecer atendimento clinico no tratamento de enfermidades utilizando a milenar técnica de acupuntura que encontra hoje suporte em estudos dos mais renomados centros de pesquisa do mundo. A acupuntura é uma terapêutica de baixo custo e de resultados bastante significativos em diversas patologias, inclusive naquelas que ainda hoje desafiam a medicina ocidental. Ela também é um método eficaz em substituição a terapias medicamentosas, como no uso de analgésicos e corticosteróides, uma vez que é capaz de promover a liberação de substancias endógenas capazes de atuar de forma semelhante aos fármacos em determinadas manifestações clinicas. O atendimento é gratuito e tem como alvo a população geral, em especial aquelas portadoras de patologias crônicas.

 

AMBULATÓRIOS DE ANTROPOSOFIA: Este projeto objetiva fornecer atendimento clínico aos pacientes por meio desta terapia integrativa e complementar. Tem como preceptor um médico antroposófico, que orienta o acadêmico de medicina sobre como proceder na consulta médica antroposófica. As receitas são manipuladas na Farmácia Universitária da UFJF, a partir de uma lista básica de insumos dinamizados na escala Decimal (D). Os atendimentos são realizados na Clínica Médica Antroposófica Vivenda Sant´Anna (Juiz de Fora), conveniada com o PROPLAMED/TNC, e estes funcionam como um programa integrador para o acadêmico que querem ampliar seus conhecimentos desta prática médica.

 

AMBULATÓRIOS DE FITOTERAPIA: O uso de plantas medicinais é uma forma de tratamento muito antiga, relacionada aos primórdios da medicina e fundamentada no acúmulo de informações por sucessivas gerações, sendo o que muitas comunidades têm como alternativa viável para o tratamento de doenças ou manutenção da saúde. Com os avanços científicos, esta prática milenar cedeu espaço aos medicamentos sintéticos, entretanto, o alto custo destes fármacos e seus efeitos colaterais contribuíram para o ressurgimento da fitoterapia, o que despertou interesses de comunidades científicas internacionais para o estudo destes recursos. Sabe-se que a fitoterapia é uma importante arma no combate a doenças, sendo uma alternativa significativa no tratamento da saúde em diversos países, especialmente onde os medicamentos industrializados são muito caros e os sistemas de saúde pública são ineficientes. Sendo assim, este projeto tem como objetivo levar atendimento gratuito e de qualidade aos seguimentos mais carentes das comunidades que constituem o entorno do campus da UFJF, utilizando como alternativa terapêutica a fitoterapia, através de medicamentos acessíveis e baratos, e com alto potencial terapêutico. Além disso, permite também a integração Universidade-Sociedade, abrindo campo de trabalho para acadêmicos e levando informações adquiridas na faculdade para os demais profissionais da área de saúde como fora recentemente preconizado pelos gestores do SUS, que determinam a implantação da fitoterapia bem como de outras terapias não convencionais do âmbito da atenção primária.

 

AMBULATÓRIOS DE HOMEOPATIA: A Homeopatia se baseia no princípio similia similibus curantur (semelhante pelo semelhante se cura), ou seja, o tratamento se dá a partir da diluição e dinamização da mesma substância que produz o sintoma num indivíduo saudável. O tratamento homeopático consiste em fornecer a um paciente sintomático doses extremamente diluídas de compostos que são tidos como causas em pessoas saudáveis dos sintomas que pretendem contrariar, mas supostamente potencializados, através de técnicas de diluição, dinamização e sucussão que liberariam energia. A homeopatia é uma das práticas terapêuticas estimuladas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para ser implantada em todos sistemas de saúde do mundo, em conjunto com a medicina oficial. Sendo assim, o objetivo deste projeto é proporcionar aos acadêmicos da área de saúde o contato com esta especialidade médica, que não está inserida nas grades curriculares dos mesmos. Os acadêmicos, além do contato com a população, por meio do acompanhamento de profissionais especializados na área em ambulatório, têm um maior contato com esta prática médica, seus objetivos, doutrinas e conceitos; tomam conhecimento dos principais medicamentos homeopáticos e para que servem, além de serem inseridos no campo da pesquisa científica nesta área.

 

AS TERAPIAS NÃO CONVENCIONAIS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA: Este projeto propõe a inserção das mais diversas terapias não convencionais como complementares às terapias utilizadas tradicionalmente na atenção primária. Ele pretende estimular a interdisciplinaridade e a busca de novas alternativas terapêuticas pelos profissionais de saúde ao mesmo tempo que realiza um trabalho junto a população oferecendo a oportunidade de participar gratuitamente de grupos de terapias como ioga, relaxamento, aromoterapia, cromoterapia, entre muitas outras.

 

AS TERAPIAS NÃO CONVENCIONAIS EM GERIATRIA: O Projeto Terapias Não Convencionais em Geriatria é realizado por acadêmicos do curso de Medicina, em parceria com o Abrigo Santa Helena, que é uma instituição filantrópica, na qual residem cerca de 150 idosos. O projeto tem por objetivo promover uma integração entre os estudantes e os idosos asilados, contribuindo para uma formação mais humanizada. O trabalho realizado no asilo consiste em visitas periódicas com a realização de técnicas terapêuticas ocupacionais (Arterapia), em atividades integrativas aproveitando datas especiais como Dia das Mães, Natal, Festa de São João, dentre outros. Além disso, buscamos promover momentos fora do ambiente asilar, como em passeios direcionados. Outra iniciativa do grupo, são convites para que grupos musicais (banda da 4ª Brigada de Infantaria Motorizada, sanfoneiro, corais, entre outros) se apresentem para os idosos e promovam momentos de lazer e integração entre os mesmos.

 

EDUCAÇÃO EM SAÚDE: UMA VISÃO EM PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES: Educação em saúde é um campo multifacetado, para o qual convergem diversas concepções das áreas tanto da educação quanto da saúde, as quais espelham diferentes compreensões do mundo, demarcadas por distintas posições político-filosóficas sobre o homem e a sociedade. O projeto é interdisciplinar, envolvendo acadêmicos das diversas áreas da saúde e também da área social. Uma educação em saúde ampliada inclui políticas públicas, ambientes apropriados e reorientação dos serviços de saúde para além dos tratamentos clínicos e curativos, assim como propostas pedagógicas libertadoras, comprometidas com o desenvolvimento da solidariedade e da cidadania, orientando-se para ações cuja essência está na melhoria da qualidade de vida e na “promoção do homem”. Neste sentido este projeto aborda a educação em saúde como um método para estabelecer esta junção de circunstâncias, que possibilitem a promoção e manutenção da saúde para que os indivíduos possam adquirir condição de realizar escolhas que favoreçam seu autocuidado.

 

FARMÁCIAS VIVAS – UM NOVO PARADIGMA EM MEDICINA POPULAR: O projeto Farmácias Vivas atua no cultivo e na coleta, no processamento e distribuição de plantas medicinais, bem como na elaboração de certas formas farmacêuticas populares a serem distribuídas gratuitamente à população com dois objetivos específicos: difundir o uso de medicamentos fitoterápicos e melhorar o acesso à saúde nas comunidades da área de atuação do projeto. O projeto ocorre por meio da implantação, em algumas instituições afiliadas, de laboratórios onde se faz a ressecção e o processamento de certas plantas que constituem a principal indicação para as patologias mais prevalentes nas áreas de atuação, obtidas através de um questionário aplicado a população.

 

FEIRAS DE SAÚDE: Este projeto tem como objetivo a promoção de experiências e vivências em saúde nas comunidades periféricas e de maior vulnerabilidade social da cidade de Juiz de Fora e municípios vizinhos. Busca desenvolver atividades de promoção à saúde e estabelecer noções de trabalho em equipe multidisciplinar. Por meio da oferta à população de amplo atendimento, tanto de caráter clínico como preventivo, ele busca informar e sensibilizar a comunidade quanto à melhoria da qualidade de vida a partir da prevenção, orientando para a mudança de hábitos de vida e diagnosticando precocemente as doenças, com o objetivo de orientar seu tratamento e cura. Durante a realização do evento são ofertados serviços de aferição de pressão arterial; exames de acuidade visual; avaliação do índice de massa corporal (IMC) e cintura pélvica; orientações a respeito de atividades físicas e posturais; orientações quanto à escovação e higiene dos dentes e gengivas, além de promoção da conscientização a respeito do câncer de boca e distribuição de quites contendo escova e creme dental a todos os participantes. São realizadas palestras sobre hipertensão arterial, câncer de pele e mama, doenças sexualmente transmissíveis, tabagismo e alcoolismo, planejamento familiar, orientação sobre o uso correto de medicamentos e utilização de plantas medicinais.

 

FISIOTERAPIA HUMANIZADA: Nas últimas duas décadas, estudos estatísticos demonstram uma mudança importante no quadro de doenças com o aumento na incidência das doenças crônicas e degenerativas (CORRÊA, 1995). Estas mudanças no perfil epidemiológico da população se devem, principalmente, ao aumento da expectativa média de vida da população. O envelhecimento da população é um dos maiores desafios das últimas décadas. Embora a velhice não seja sinônimo de doença, com a idade, o risco de comprometimento funcional e perda de qualidade de vida aumenta. A fisioterapia então apresenta uma missão primordial, de cooperação, mediante a nova realidade de saúde que se apresenta, através da aplicação de meios terapêuticos físicos, na prevenção, eliminação ou melhora de estados patológicos do homem, na promoção e na educação em saúde. Com isso, este projeto objetiva levar o conhecimento e a prática da fisioterapia para os atendimentos de saúde à população, por meio de orientações domiciliares em pacientes portadores de enfermidades crônicas e/ou degenerativas;  desenvolvimento de atividades físicas e culturais para a terceira idade, para que o idoso consiga realizar suas atividades diárias de forma independente, melhorando sua qualidade de vida e prevenindo as complicações decorrentes da idade avançada; orientação da família ou responsável quanto aos cuidados com o idoso ou paciente acamado; atuação de forma integral às famílias, através de ações interdisciplinares e intersetoriais.

 

(INATIVO) HORTAS ESCOLARES E/OU COMUNITÁRIAS: Este projeto objetiva orientar o cultivo em hortas escolares e ou comunitárias de plantas com propriedades nutricionais reconhecidas que podem ser de grande valia no combate a doenças. Orienta a população e as cozinheiras das instituição que por exemplo a adição de couve ao leite é uma forma eficiente de prevenir e tratar os quadros de anemia ferropriva e a hipocalcemia, bem como a mistura de farinha da semente moída de abóbora é um potente vermífugo e a casca de vegetais que geralmente são jogadas fora constitui fontes nutricionais importantes que podem ser empregadas na prevenção e tratamento de avitaminoses. Isso tudo constitui a chamada alimentoterapia, uma terapêutica em ascensão, muito acessível e altamente eficiente na prevenção e na cura de doenças.

 

(INATIVO) HORTO MEDICINAL: Este projeto visa a construção dos jardins medicinais utilizando plantas ornamentais com propriedades medicinais para fins educativos, decorativos e terapêuticos. Ele atua junto a escola e instituições não governamentais, orientando a construção de jardins medicinais determinando a disposição dos canteiros, as plantas a serem cultivadas, a forma de cultivo e os cuidados com as plantas: faz a identificação de cada planta e administra aos alunos visitas que estimulam o interesse dos mesmos pelas plantas e os alertam para o perigo que a toxicidade de certas plantas representa.

 

LABORATÓRIO DE FITOTERAPIA: PREPARAÇÕES FITOFARMACOLÓGICAS: A Fitoterapia tem como finalidade a utilização de plantas medicinais, com o objetivo de tratar algumas patologias de atenção primária a saúde. Este projeto visa resgatar a cultura popular através de ações educativas no processo de orientação a respeito de doenças comuns do dia-a-dia da população e do uso correto das plantas medicinais como prevenção ou tratamento das mesmas, podendo contribuir para a melhoria do nível de saúde da população. O uso de plantas medicinais com propriedades terapêuticas, cientificamente comprovadas, se justifica pelo baixo custo, a eficácia comprovada, a facilidade de acesso, a aceitação cultural, e conscientizar a população na prevenção de algumas doenças, através de um trabalho educativo associado com o uso de fitoterápicos. As plantas Medicinais, Aromáticas e Condimentares e suas formas derivadas são a base para diversos usos: terapêuticos, cosméticos e alimentação. O projeto visa realizar ações educativas acerca do uso de plantas medicinais e alimentação saudável como forma de prevenção de doenças e manutenção da saúde, além de gerar informações sobre as plantas e seus diversos usos objetivando ampliar a sua utilização de forma correta, com qualidade e sua valorização. Além disso visa permitir a pesquisa e produção de medicamentos fitoterápicos na UFJF e com isso possibilitar o acesso as plantas medicinais e aos medicamento fitoterápicos pela populaçãopopulação para o uso correto das preparações caseiras com plantas medicinais em escolas, comunidades, etc.

 

NATUROPATIA: Este projeto visa o emprego de práticas totalmente naturais na compreensão, tratamento e diagnóstico de doenças. Entre elas estão a alimentação, as massagens, as meditações, a aromaterapia, entre outras. Visa também o aprofundamento nos mecanismos etnogênicos do processo saúde-doença buscando atuar na prevenção das enfermidades e dos agravos a saúde, refletindo diretamente na melhoria da qualidade de vida e na prevenção de agravos a saúde. Ele se dá por meio de palestras educativas, orientação nutricional em entidades assistenciais e governamentais, empregos de práticas constituintes de terapias milenares como shiatsu, concentração, ioga, grupos de massagens e terapias corporais, medicina ortomolecular, aromaterapia, entre diversas outras ciências, que aplicam praticas embasadas na interação homem-natureza.

 

TERAPIAS CORPORAIS EM GERIATRIA: Este projeto busca levar o conhecimento e a prática das Terapias Corporais para os atendimentos de saúde à população. São realizadas orientações domiciliares em pacientes portadores de enfermidades crônicas e/ou degenerativas, pacientes acamados ou impossibilitados. São desenvolvidas também atividades físicas e culturais para a terceira idade, para que o idoso consiga realizar suas atividades diárias de forma independente, melhorando sua qualidade de vida e prevenindo as complicações decorrentes da idade avançada. Os acadêmicos buscam também orientar a família ou responsável, quanto aos cuidados com o idoso ou paciente acamado; encaminhando ao serviço de maior complexidade, quando julgar necessário. Eles atuam de forma integral junto às famílias, através de ações interdisciplinares e intersetoriais, visando assistência e inclusão social dos portadores de deficiências, incapacitados e pessoas desassistidas. Os acadêmicos devem identificar as melhores formas de estabelecer diagnóstico, prognóstico e selecionar intervenções mais eficazes frente aos desfechos clínicos de interesse, especialmente, ao verificarem o impacto das doenças ou condições de saúde sobre a vida das pessoas, tanto no acometimento de órgãos e sistemas do corpo, dificuldades nas atividades e tarefas do cotidiano, quanto nas desvantagens da participação social.

 

TERAPIAS NÃO CONVENCIONAIS E ACOMPANHAMENTO CLÍNICO EM ONCOLOGIA: O câncer é uma doença que causa alterações físicas e emocionais que provocam um grande impacto na vida das pessoas. Sabe-se que esta doença apresenta recidiva e complicações, sendo de difícil cura e controle, sendo o tratamento um processo lento e gradual. Infere-se a partir disso que os pacientes necessitam de atenção especial, a fim de se evitar possíveis intercorrências e de garantir uma melhor qualidade de vida para os pacientes assistidos; é o que este projeto visa, a partir de um diagnostico realizado e uma terapêutica em andamento, fazer um acompanhamento clínico dos pacientes assistidos pela instituição e proporcionar atendimento por meio de práticas terapêuticas não convencionais, proporcionando uma melhor qualidade de vida e minimizando possíveis danos relacionados ou não com o diagnóstico. Além disso, os pacientes atendidos pelo projeto terão um momento onde possam expressar sobre sua própria qualidade de vida.

 

TERAPIAS NÃO CONVENCIONAIS EM MEDICINA COLETIVA E SOCIAL: Este projeto, interdisciplinar e interinstitucional, envolve acadêmicos das diversas áreas da saúde e área social e tem como objetivo geral a promoção de experiências e vivências através das TNC (psicanálise clínica, psicologia, filosofia clínica, terapias ocupacionais, etc.) na promoção da qualidade de vida de pacientes com doenças crônicas, terminais, geriátricos e adolescentes usuários de drogas, nas comunidades periféricas de maior vulnerabilidade social, na cidade de Juiz de Fora (MG) e em municípios vizinhos. O desenvolvimento do trabalho em equipe multidisciplinar apresenta-se como um dos grandes diferenciais deste projeto, uma vez que permite uma relação próxima com as diversas profissões da saúde e do serviço social, colocando os acadêmicos em situações-problemas, em que a capacidade de cooperação e complementação da equipe como um todo é fundamental para o sucesso da tarefa. Além desses aspectos, o desenvolvimento de ações de promoção e educação em saúde são atividades essenciais almejadas na formação do profissional, que precisa ter uma visão mais integralizada do processo saúde – doença, direcionado ao desenvolvimento de um sistema de saúde universal, justo e integral.

 

TERAPIAS OCUPACIONAIS: A MUSICOTERAPIA E A ARTETERAPIA COMO AUXILIARES NA PROMOÇÃO DA SAÚDE E MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA.: A Musicoterapia é o uso de música e de seus elementos – som, ritmo, melodia e harmonia – para a reabilitação física, mental e social de indivíduos ou grupos. O musicoterapeuta pesquisa a relação do homem com os sons para criar métodos terapêuticos que visem a restabelecer o equilíbrio físico, psicológico e social do indivíduo. Ele utiliza instrumentos musicais, canto e ruídos para tratar portadores de distúrbios da fala e da audição ou com deficiência mental. A Arteterapia é o uso da arte como terapia. Embora seja uma atividade milenar, se desenvolveu há cerca de 60 anos. Consiste na criação de material sem preocupação estética e sim apenas de expressar sentimentos. Esta catarse é muito sadia e faz com que o indivíduo se reorganize internamente. A arte é por si só uma atividade regeneradora; é um canal para um nível não verbal de percepção que leva ao processo de individuação. A Arteterapia é então uma terapia que através da estimulação da expressão e do desenvolvimento da criatividade, favorece: a liberação de emoções, de conflitos internos, de imagens perturbadoras do inconsciente; o contato com ansiedades, conteúdos reprimidos e medos; a coordenação motora; e o equilíbrio físico/ mental/ espiritual. Este projeto visa, então, promover a difusão da musicoterapia e da arteterapia é benefício para o corpo e a mente, liberando criatividade e bem estar, num diálogo constante acolhedor entre paciente e terapeuta. Os pacientes são agendados em uma consulta de 1 hora de duração, 2 vezes por semana na instituição, sendo estimulados a utilizarem tanto a arteterapia como a musicoterapia para tratamento de suas comorbidades.

 

USO DE FITOTERÁPICOS EM MEDICINA POPULAR: A fitoterapia há muito constitui uma importante arma no combate a doenças, e vem sendo transmitida ao longo das gerações. Este programa alia o saber popular ao conhecimeto cientifico orientando e incentivando a aplicação da fitoterapia em medicina popular, para tal são realizadas palestras e cursos para ensinar o modo correto de uso das plantas medicinais, bem como a distribuição gratuita das plantas ressequidas para utilização domiciliar das mesmas na terapêutica de certas patologias.

 

USO E ABUSO DE DROGAS – O MAL QUE ELAS CAUSAM: Este projeto visa proporcionar ao publico alvo um melhor conhecimento acerca do uso de drogas lícitas e ilícitas. Através de atividades educativas objetiva-se conscientizar e auxiliar o  desenvolvimento biopsicossocial, promovendo  a socialização do conhecimento da própria população sobre as diversas drogas. Procura-se, desta forma, ampliar o conhecimento da população acerca das diversas drogas, bem como diferenciar drogas licitas e ilícitas e as consequências do seu uso e abuso. A partir disso, pretende-se possibilitar o interesse dos participantes do projeto pelo tema, para que eles sejam formadores de opinião, conscientizando sua família/comunidade e oferecendo orientação aos pais e responsáveis, professores e demais funcionários das escolas sobre o uso de drogas entre os adolescentes.

Programa de Plantas Medicinais e Terapias Não-convencionais

Novas instalações no antigo prédio do ICH, primeiro bloco, segundo piso, sala 1703.


Acessos desde 25/06/2010: