UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

2002

Você está em: Sobre o Programa > Dissertações e Teses Defendidas > Dissertações Defendidas > Área de Concentração em Teoria da Literatura > 2002

Mestrando(a)

ANDERSON BASTOS MARTINS

Título

“UMA NOVA VELHA HISTÓRIA: A LITERATURA POLÍTICA DA NADINE GORDIMER”

Orientador(a)

Profª. Drª. Rachel Esteves Lima

Ano da defesa

2002

Resumo

Esta dissertação procura abordar as possibilidades e limitações de se narrar a alteridade que são encontradas no interior do romance My son’s story de Nadine Gordimer, publicado em 1990. Do interior de sua posição específica no espectro da literatura pós-colonial sul-africana , este livro serviu como via de entrada para mais amplos temas que interessam à produção e à crítica literária como um todo. O fio principal que permeia este trabalho pode ser nomeado uma política de conhecimento, que permite, ou não, que o outro, enquanto um ou muitos, seja convertido em objeto do discurso alheio. Numa tentativa de suplantar os eventuais obstáculos à comunicação entre os indivíduos e/ou grupos provenientes de diferentes contextos e formações, empregaram-se importantes conceitos oriundos dos campos da teoria e da crítica literária e cultural, tais como negociação, restituição e estratégia, de maneira a analisar a contribuição da literatura a este tema.

 

Mestrando(a)

BÁRBARA INÊS DOS SANTOS RIBEIRO SIMÕES

Título

“FANTASMAS NA CONSTRUÇÃO – UMA LEITURA DE BELOVED, DE TONI MORRISON, E A MENINA MORTA, DE CORNÉLIO PENNA”

Orientador(a)

Profª. Drª. Maria Luiza Scher Pereira

Ano da defesa

2002

Resumo

Este trabalho propõe uma leitura comparativa de Beloved, de Toni Morrison, e A menina morta, de Cornélio Penna,tendo em vista a questão da presentificação da memória traumática no interior de casas assombradas. A partir de A construção, de Kafka, procurou-se estudar o espaço como motivador e artifício dos resgates de memória que se dão nas duas obras citadas, bem como a desestabilização que a memória traumática traz consigo. Nesse sentido, foi investigada a presença do fantasma enquanto elemento estruturante da narrativa e enquanto personagem dos dois romances, em uma perspectiva de subalternidade. Explorou-se, ainda, a possibilidade de fala e de representação do subalterno dentro desses locais, e a forma como ele desconstrói em sua errância o espaço das casas, das construções, fazendo de Beloved e de A menina morta alegorias no sentido benjaminiano, ou seja, como linguagem, representações de identidade precárias e problemáticas.

 

Mestrando(a)

CÁSSIO LUÍS MOREIRA DE ASSIS

Título

“NÉVOA TROPICAL – UMA LEITURA DE A NEBULOSA, DE JOAQUIM MANUEL DE MACEDO”

Orientador(a)

Profª. Drª. Terezinha Vânia Zimbrão da Silva

Ano da defesa

2002

Resumo

O presente trabalho tem por finalidade contribuir para uma investigação de cunho acadêmico acerca de uma parte marginal da produção literária do Romantismo no Brasil.Aqui se pretende investigar as relações existentes entre a literatura gótica européia e um texto pouco estudado da literatura romântica brasileira: A Nebulosa, de Joaquim Manuel de Macedo – corpus principal a ser confrontado com outros.O “abrasileiramento” da literatura gótica, a “tradução” local do elemento cultural estrangeiro, a sua “aclimatação” para os trópicos serão os temas estudados nesta dissertação.

 

Mestrando(a)

JOSÉ MÁRCIO CAMARGO

Título

“VERDADE E NOMADISMO: LEITURA DE QUATRO CONTOS DE TUTAMÉIA, DE JOÃO GUIMARÃES ROSA”

Orientador(a)

Prof. Dr. Evando Batista Nascimento

Ano da defesa

2002

Resumo

Leitura de quatro contos de Tutaméia (“Desenredo”, “Faraó e a água do rio”, “O outro ou o outro” e “Zingaresca”), de João Guimarães Rosa, numa abordagem da questão da verdade na Metafísica ocidental, a partir do entrecruzamento de textos filosóficos de Friedrich Nietzsche, Jacques Derrida, Gilles Deleuze e Michel Foucault, dentre outros. Trata-se de pôr em relevo os deslocamentos ficcionais operados pela escrita rosiana sobre a tradição, tais como uma revisão radical do amor e das relações éticas entre os indivíduos. Análise, igualmente, da questão cigana nos textos do autor mineiro e suas articulações com o pensamento nômade. Nesse sentido, interpretam-se os efeitos desconstrutores e intensivos da cultura cigana sobre a ordem falogocênctrica, bem como sobre a linguagem articulada historicamente pelo poder.

 

Mestrando(a)

MARA ALICE SENA FELIPPE

Título

“LITERATURA E(M) COMPUTADOR: O LEITOR ENTRE LIVROS E BYTES”

Orientador(a)

Prof. Dr. Evando Batista Nascimento

Ano da defesa

2002

Resumo

O trabalho aborda o papel da literatura na atualidade, no momento em que explodem as novas tecnologias da computação e em que se estreita relação entre a escrita e a informática – principalmente o cruzamento entre o texto impresso e o hipertexto eletrônico. Consideram-se questões e conceitos que estão em discussão no cenário da teoria e da crítica literária contemporânea: modernidade e pós-modernidade; globalização; identidade cultural e Interdisciplinaridade.

 

Mestrando(a)

MARA CONCEIÇÃO VIEIRA DE OLIVEIRA

Título

“A SAGRAÇÃO DA CRÍTICA DO DISCURSO RELIGIOSO NO ALTAR DA POESIA”

Orientador(a)

Profª. Drª. Geysa Silva

Ano da defesa

2002

Resumo

Esta dissertação procura analisar a estrutura do discurso religioso institucionalizado, apontando criticamente para as maneiras como ele se organiza e os impasses que provoca no sujeito de fé, mas reflexivo. Se percorrida a história das religiões, ver-se-á que, por detrás da ordem que determinava as crenças e as doutrinas, havia uma outra ordem – a do Estado, da “política”. Esta ordem que atravessa o discurso ou vice-versa, e ainda se faz motivo poético dentro de uma outra estrutura discursiva, é o interesse deste trabalho, ou seja, o discurso literário-religioso. Para tanto, serão usadas, como suporte teórico, posições filosóficas de Michel Foucault, Jacques Derrida, Don Cupitt, Immanuel Kant e Friedrich W. Nietzsche, ilustradas em Murilo Mendes e Gianni Vattimo.

 

Mestrando(a)

MARCO ANTÔNIO GASPARETTO

Título

“SOBRETUDO BRASIL, EM LEITURAS POSSÍVEIS ATRAVÉS DE VIDAS SECAS E CENTRAL DO BRASIL”

Orientador(a)

Profª. Drª. Therezinha Maria Scher Pereira

Ano da defesa

2002

Resumo

Estudo baseado na obra literária de Graciliano Ramos – Vidas Secas – e na obra cinematográfica de Walter Salles Júnior – Central do Brasil – com o objetivo de se fazer uma comparação entre o Brasil do segundo modernismo e o Brasil que aqui convencionamos chamar de pós-moderno. Através da relação entre o cinema e a literatura pretende-se refletir sobre as questões relativas à identidade e subalternidade ressaltadas através de discursos alegóricos como possibilidades de leitura dos múltiplos brasis.

 

Mestrando(a)

MARCO ANTÔNIO GASPARETTO

Título

“SOBRETUDO BRASIL, EM LEITURAS POSSÍVEIS ATRAVÉS DE VIDAS SECAS E CENTRAL DO BRASIL”

Orientador(a)

Profª. Drª. Therezinha Maria Scher Pereira

Ano da defesa

2002

Resumo

Estudo baseado na obra literária de Graciliano Ramos – Vidas Secas – e na obra cinematográfica de Walter Salles Júnior – Central do Brasil – com o objetivo de se fazer uma comparação entre o Brasil do segundo modernismo e o Brasil que aqui convencionamos chamar de pós-moderno. Através da relação entre o cinema e a literatura pretende-se refletir sobre as questões relativas à identidade e subalternidade ressaltadas através de discursos alegóricos como possibilidades de leitura dos múltiplos brasis.

 

Mestrando(a)

TEREZA CRISTINA BELLOSI

Título

“A ANGÚSTIA DA MODERNIDADE: O MUNDO ALUCINADO DE REINALDO ARENAS”

Orientador(a)

Profª. Drª. Terezinha Maria Scher Pereira

Ano da defesa

2002

Resumo

Reinaldo Arenas (1943-1990) é considerado um dos escritores latino-americanos mais polêmicos de seu tempo. Sua obra literária está marcada por um legado de subversão textual, de rebeldia, de fúria e de homoerotismo como resposta ao mundo em que ele viveu. O constante desafio que identifica sua literatura é um ataque demolidor contra todo arquétipo imaginável; pulsão destrutiva, porém genuína, que Arenas assume em toda sua envergadura. É um discurso desgarrado e atroz onde ressalta um compromisso indelével do escritor com sua história, sua verdade. A literatura converteu-se na possibilidade de insurreição, pois constituiu-se para Arenas em arma necessária para combater qualquer dispositivo de controle que o marginalizara, para fora de um sistema totalitário ou de convenções da sociedade. Mais que um contra-revolucionário cubano, foi um autor que sentiu toda a angústia da modernidade.

Voltar