UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

1995

Você está em: Sobre o Programa > Dissertações e Teses Defendidas > Dissertações Defendidas > Área de Concentração em Teoria da Literatura > 1995

Mestrando(a)

CASSIA SEGREGIO DOS REIS

Título

“A REPRESENTATIVIDADE FEMININA E O SENTIMENTO AMOROSO EM POEMAS DE VINÍCIUS DE MORAES E PABLO NERUDA”

Orientador(a)

Profª. Drª. Nancy Campi de Castro

Ano da defesa

1995

Resumo

Este trabalho procura levantar o encontro entre textos das literaturas chilena e brasileira, buscado na obra Antologia poética, de Vinícius de Moraes, e 20 poemas de amor e uma canção desesperada, de Pablo Neruda, baseando-se nas teorias do intertexto, evidenciados no lirismo, através da presença feminina e do sentimento amoroso circundantes nas obras da literatura da América latina. Pela tessitura intertextual poética, vislumbra-se a representividade feminina e a visão de amor, através de diversos elementos detectados nos poemas de Vinícius de Moraes e de Pablo Neruda.

 

Mestrando(a)

CLAÚDIA PAIXÃO COUTINHO

Título

“A POESIA DE ADÉLIA PRADO: UM CANTAR MINEIRO”

Orientador(a)

Profª. Drª. Thereza da Conceição Aparecida Rodrigues

Ano da defesa

1995

Resumo

Vista como algo cultural, basicamente, como como um conjunto de traços formadores do povo habitante de Minas Gerais, pela Sociologia e Antropologia, a mineiridade, nos textos literários, caracteriza-se pelo amor que é demonstrado pela terra. Daí, sua expressão poética e sua identificação, teoricamente em um tema formado por diversos motivos. A obra de Adélia Prado, dentro dessa perspectiva, é possuidora de intensa mineiridade: no amor à família e às tradições; na profunda crença em Deus; no apego aos elementos da terra e muito mais.

 

Mestrando(a)

LUIS CARLOS LIMA CARPINETTI

Título

“CALIBAN E A FUNDAÇÃO DA LINGUAGEM: UMA LEITURA DE A TEMPESTADE”

Orientador(a)

Profa. Dra. Nancy Campi de Castro

Ano da defesa

1995

Resumo

Estudo dos Prefácios das peças de Jean Racine. Tradução dos prefácios das peças teatrais: La Thébaide ou les frères ennemis; Alexandre le grand; Andromaque; Les plaideurs; Britannicus; Bérénice; Bajazet; Mithridate; Iphigénie; Phèdre; Esther; Athalie. Elaboração de notas vinculadas aos textos dos Prefácios.

 

Mestrando(a)

MARIA DO CARMO LEÃO OLIVEIRA

Título

“A GRANDE ARTE: DO HIPOTEXTO LITERÁRIO AO HIPERTEXTO FÍLMICO”

Orientador(a)

Profª. Drª. Maria de Lourdes Abreu de Oliveira

Ano da defesa

1995

Resumo

Este trabalho busca, em tempos de dessacralização da arte, realizar um estudo do romance A grande arte de Rubem Fonseca, em sua dupla versão, do hipotexto literário ao hipertexto fílmico, conforme proposta de Yannick Mouren. Analisam-se as relações e trocas de influências entre os dois meios narrativos, a partir da escritura visual do romance. Todo o percurso crítico é realizado sob os olhos atentos de um “leitor-espectador-Mandrake” que, à luz de pressupostos teóricos da estética da recepção, sugeridos por Wolfgang Iser, tenta desvelar, detetivescamente, na magia dos textos, os vazios deixados pelo autor para melhor fruição da Arte.

 

Mestrando(a)

MARISE PIMENTEL MENDES

Título

“O JOGO DA MONTAGEM E DA INTERTEXTUALIDADE EM A FESTA, DE IVAN ÂNGELO”

Orientador(a)

Profª. Drª. Maria Lúcia Campanha da Rocha Ribeiro

Ano da defesa

1995

Resumo

O estudo da tragédia grega como raiz do gênero dramático ocidental nos remete ao conceito de arquigênero, de Gérard Genette configurado como um modelo ideal aberto às variações. Assim, a partir da Era Cristã, a afirmação do conceito de livre-arbítrio enfraquece a crença na fatalidade do destino do Homem. A tragédia inicia, então, um dos processos de metamorfose tomando dois caminhos: o da restauração do modelo aristotélico, como em Corneille e Racine; e o de sua transgressão, como em William Shakespeare, é Jean Anouilh, Jean Cocteau e, sobretudo, Bertold Brecht. Colocado no centro da atenção trágica, o herói também passa por transformações, que fazem desencadear a catástrofe em razão de uma falha no interior de seu caráter, como acontece em Shakespeare; ou mesmo, como na dramaturgia brechtiana, fazendo do texto e do espetáculo um instrumento de mudança social. Em sua estética, Brecht faz, ainda, como o veremos a inclusão de elementos épicos no cerne do contexto trágico, evidenciando a irreparável hibridez dos gêneros literários.

 

Mestrando(a)

MARTA CRISTINA DA SILVA

Título

“A BUSCA DA IDENTIDADE FEMININA EM CONTOS DE CLARICE LISPECTOR”

Orientador(a)

Profª. Drª. Maria de Lourdes Abreu de Oliveira

Ano da defesa

1995

Resumo

Este trabalho procura investigar a busca da identidade feminina empreendida pelas personagens de Clarice Lispector, com base na leitura de Laços de família e A bela e a fera. A análise dos contos tem como fio condutor algumas considerações básicas da crítica literária feminista. São focalizados os expoentes desta linha de abordagem, os objetivos principais e as várias fases evolutivas, com ênfase na sua proposta de mudança. À luz da crítica feminista americana e de teorias sobre a personagem de ficção, tenta-se verificar, no texto de Clarice, todos os aspectos que caracterizem essa busca de identidade, procurando-se trazer percepções diferentes ao estudo da obra clariceana. A pesquisa revela de que modo as personagens se insurgem contra as imagens estereotipadas da mulher e contra as limitações dos papéis sociais no seio da família patriarcal.

Voltar