UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

II Mostra de Cinema Africano

Você está em: Eventos > 2014 > II Mostra de Cinema Africano

Data: 04/06 a 06/06/2014

Horário: 

04/06 – 19h

05/06 – 17h

06/06 – 17h

Local: Anfiteatro do Antigo ICH – UFJF

 

A II Mostra de Cinema Africano exibirá na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) cinco filmes que compõem o cinema independente do continente. A abertura do evento acontece na próxima quarta-feira, 4, às 19h, no antigo Anfiteatro do Instituto de Ciências Humanas (ICH). A mostra é promovida pela Faculdade de Letras e pela Pós-Graduação em Estudos Literários, em uma parceria especial com a Universidade Queen Mary College, de Londres, e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Os participantes receberão certificados e as inscrições devem ser feitas presencialmente na secretaria da Faculdade de Letras, no campus universitário.  

A produção cinematográfica africana tem grande comprometimento com questões culturais e de identidade nacional. Para a professora catedrática da Universidade de Londres (Queen Mary College) e  atual e professora visitante do exterior no Programa de Pós-Graduação em Letras da UFJF, Else Vieira, os cineastas mais representativos, por sua vez, refletem, em suas obras, questões de grande relevância para países que vivem o impacto de momentos históricos marcantes, como os movimentos de independência, a independência em si (predominantemente em 1975), a  construção de uma  nação, as guerras civis subsequentes e a reconstrução nacional pós-guerras. “A reconstrução retratada não se dá apenas em termos  da economia e da infraestrutura, mas também em torno das identidades e das estruturas psíquicas.”

 

A mostra trabalha com filmes de países da África de língua portuguesa. Segundo a professora Else, é importante que uma Universidade abra outras portas e torne conhecidos aqueles que as circunstâncias históricas e econômicas não favoreceram. “Especificamente com relação ao cinema lusófono-africano, é importante que os brasileiros o  conheçam,  minimante pela língua que compartilhamos”, destaca ela.

 

 

PROGRAMAÇÃO