UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Luis Alberto Silvestre do Nascimento

Você está em: Equipe > Corpo Discente > Doutorandos > Luis Alberto Silvestre do Nascimento

E-mail: lasn@acessa.com

Bolsista Capes

Currículo resumido

Doutorando em Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, concluiu o Mestrado em Educação no PPGE/UFJF em 2009 com a dissertação: “O Corpo da Experiência do Espaço e o Espaço da Experiência do Corpo – Cartografias de uma Escola em Mudança”. Graduado em Psicologia, Licenciatura em Filosofia, Especialista em Acupuntura. Tem formação e vários estudos em Antroposofia e suas terapias ligadas à pedagogia e à terapêutica antroposófica. Exerce trabalho como psicólogo clínico e acupunturista no Terapeuticum Santa Helena em Juiz de Fora e é docente em cursos de formação em Antroposofia em Juiz de Fora e Petrópolis. É pesquisador associado ao Núcleo de Educação em Ciência, Matemática e Tecnologia/NEC/FACED/UFJF onde investiga os temas Corpo e Espaço e atualmente as ressonâncias entre Corpo e Literatura na perspectiva da Filosofia da Diferença.

Resumo do projeto de tese

Orientadora: Drª Sonia Maria Clareto

O interesse da pesquisa visa ao possível pensamento da relação existente entre Corpo e Literatura sob a afetação da Filosofia da Diferença. Essa problematização deriva do percurso e repercussão da pesquisa de Mestrado que já trabalhava os temas Corpo, Espaço, Escola e contacto com a Literatura Africana. Nessa, especificamente a Poesia, apresenta-se repleta do prefixo DES, o que aponta para o sem lugar, para fora. Em Angola a literatura é muito armada, ou seja, é uma poesia de denúncia, ataque, política etc. Mais, a palavra para o poeta africano é mais que palavra – a marca da poesia africana é o corpo. É ele que entra escondido, clandestino pela letra, e a entrada na letra é com o corpo pela musicalidade, pelo movimento, pela ginga. Assim, a poesia (letra) africana é mais ouvida do que lida e, mais ainda, é para ser dançada. Então, na poesia africana tem-se uma experiência corporal-sinestésica com o texto – o texto é corpo e o corpo é texto. Desse modo, uma Literatura-Vida, Literatura-Corpo, mais que mera fruição e deleite estético. Então, um questionamento: Que relação pode existir entre Corpo e Literatura na escola que mormente é um Espaço/Lugar/Posto de e para uma escrita-produção de Verdade? A pergunta: Como é possível um Corpo/Texto/De-formação numa Educação com textos de formação num dispositivo de literatura? Então, visar-se-á cartografar, ou seja, mapear o coletivo de forças que perpassam e constituem o agenciamento Corpo com Literatura, as possíveis ressonâncias entre Corpo e Literatura, na relação e composição que um Corpo/Texto/De-formação opera com textos de/para formação, ainda, a aprendizagem e a constituição de conhecimento(s) que pode(m) ser produzido(s) nesse occursus – encontro.

Programa de Pós-Graduação em Educação