UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Graciele Fernandes Ferreira Mattos

Você está em: Equipe > Corpo Discente > Doutorandos > Graciele Fernandes Ferreira Mattos

email: graciele_fernandes@yahoo.com.br

Lattes

Currículo resumido

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2003). Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2005). Atualmente é professora do Curso de Especialização em Educação e Diversidade da Universidade Federal de Juiz de Fora, coordenadora pedagógica da rede de ensino municipal de Juiz de Fora/MG e professora do Ensino Fundamental desta mesma rede, lecionando em uma escola de Educação em Tempo Integral. Tutora à distância no Curso de Pedagogia da UAB/ Universidade Federal de Juiz de Fora. Integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Educação e Diversidade – Projetos de pesquisa  Tempos na Escola

Resumo do projeto de tese

Orientadora: Drª Luciana Pacheco Marques 

Este texto, elaborado para o meu primeiro Exame de Qualificação do Doutorado em Educação, apesar de sua incompletude e descontinuidade, configura-se como a apresentação da minha trajetória acadêmica e profissional e das questões teórico-metodológicas que venho construindo ao longo deste caminhar que culminaram com minha questão para esta tese que é problematizar a escola enquanto espaçotempo de diferentes saberesfazeres tecidos e partilhados pelos docentes que praticam o cotidiano escolar. Em quais problematizações sobre os saberesfazeres estão mergulhados os docentes que atuam no cotidiano de uma escola de educação em tempo integral do município de Juiz de Fora? Para além do arcabouço teórico produzido e legitimado cientificamente, por entre os muros dessa escola, quais serão os momentos de criação de conhecimentos, os momentos de práticas emancipatórias e transformadoras que, devido à forma legitimada de produção de conhecimento do paradigma da ciência moderna (SANTOS, 2007), não são compreendidos enquanto saberesfazeres legítimos. Tomando a escola enquanto um todo complexus, um fractal configurado por milhares de fragmentos, a investigação será alicerçada pelo paradigma da complexidade (MORIN, 1996), o qual defende que para melhor compreender a escola faz-se necessário mergulhar em seu cotidiano (ALVES, 2001), visualizando-a enquanto um espaçotempo de criação de conhecimentos, ou seja, de saberesfazeres diferenciados, táticas praticadas pelos sujeitos ordinários (CERTEAU, 1994) como possibilidades de não somente repetição e reprodução, mas também como inovação, criação e transformação.

Palavras-chave: saberes docentes – complexidade – pesquisa com o cotidiano.

Programa de Pós-Graduação em Educação