UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Linhas de pesquisa

Você está em: O Programa > Linhas de pesquisa

 

Cultura, Democracia e Instituições

Reúne investigações e disciplinas interessadas no desvelamento da cultura política brasileira, suas vinculações ao tema da democracia e às instituições sociais necessárias a uma vida democrática entre nós. Os pesquisadores nela agrupados desenvolvem uma acentuada preocupação teórica, que se materializa pela discussão das teorias clássicas, modernas e contemporâneas da democracia, em busca de um horizonte teórico capaz de compreender os novíssimos processos que desafiam a nossa tradicional imaginação democrática, e que nos obrigam a uma profunda redefinição da questão democrática, de suas exigências e instituições. Entrelaçados a essa preocupação de cunho teórico, seus projetos estão orientados para o exame, sob perspectivas variadas, das possibilidades e limites de uma vida democrática na formação social brasileira, sob duas estratégias: uma de caráter mais histórico, acerca dos fundamentos de nossa tradição, a nossa forma histórica de modernização; a outra voltada aos problemas da sociedade brasileira no presente, sobretudo as questões da cidadania e da democracia.

 

Políticas Públicas e Desigualdade Social

Articula investigações relativas à desigualdade social no Brasil, à estrutura do Estado brasileiro e à formulação e implementação de políticas públicas. A desigualdade social e os processos de destituição que a ela se associam estão entre os mais sérios problemas enfrentados pela sociedade brasileira. A amplitude desta percepção contrasta com a limitação dos diagnósticos oficiais e dos meios que têm sido utilizados para interferir nos seus mecanismos geradores e reprodutores. A desigualdade existe em um espaço relacional multidimensional, em que os desequilíbrios de dotações de recursos sociais valiosos e de capacidades estruturadas para ação transformam-se em desigualdades de resultados. Estabelecem-se na sociedade desigualdades duráveis, que se mantém de uma interação social para a outra, persistem nas histórias das instituições, trajetórias dos grupos e tempos de vida das pessoas. De um lado, o tema da desigualdade é enfrentado pela necessidade de sua mensuração objetiva, em especial na realidade brasileira, de outro, é investigado numa perspectiva que valoriza a própria percepção subjetiva de populações excluídas ou desfavorecidas. Agrega, assim, estudos que visam contribuir para a elucidação das trajetórias de montagem e materialização das políticas públicas, bem como do impacto que têm sobre diversos segmentos, considerada a estrutura de desigualdade presente na ordem social brasileira, além das percepções sobre elas desenvolvidas pela população beneficiária.

 

Diversidade e Fronteiras Conceituais

Explora um certo “jogo de categorias”, como dizia Marcel Mauss: a assimilação, o deslocamento e a alteração de conceitos através dos quais se torna possível experimentar determinadas realidades, a princípio, inteiramente alheias. O objetivo dos pesquisadores nela reunidos aponta para a descrição de processos e técnicas em diferentes sistemas, voltados à seleção e à manipulação de conceitos oriundos de seu exterior (outra sociedade, outra classe social, outra instância ideológica ou outra cosmologia religiosa). Neste caso, torna-se crucial proceder a um inventário das formas conceituais a partir das quais os nativos, e também os antropólogos, não apenas observam, mas operam efetivamente um conjunto heteróclito de representações e de práticas sociais em que se envolvem. Em particular, são privilegiados os seguintes campos etnográficos: povos indígenas, frentes pioneiras e de imigração; missões; movimentos religiosos e novas religiosidades; práticas civilizatórias em saúde; políticas públicas e movimentos sociais; vanguardas políticas, cenários juvenis, deslocamentos espaciais, viagens e turismo. Fundamentalmente, trata-se de compreender os processos de intercâmbio nos quais se negociam as fronteiras culturais e, conseqüentemente, os seus significados, um processo complexo e criativo que inclui a dinâmica de interpretação e de reinterpretação dos discursos e das práticas.