UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

ANÁLISE ESTÁTICA DO CONTROLE COORDENADO DE TENSÃO

Você está em: Produção Bibliográfica > Dissertações > 2003: 13 dissertações > ANÁLISE ESTÁTICA DO CONTROLE COORDENADO DE TENSÃO

Download:

 

Área de Concentração:
Sistemas Elétricos de Potência

 

Resumo:
Este trabalho apresenta uma metodologia para determinação de uma estratégia de controle coordenado de tensão considerando o emprego de ferramentas já conhecidas na literatura especializada para análise estática de tensão. A seleção das barras piloto utiliza o fluxo de potência continuado e o estudo realizado pela análise modal ou vetor tangente no ponto de colapso do sistema. As fontes de reativo capazes de sensibilizar a tensão da barra piloto são obtidas através de curvas de sensibilidade traçadas com base nos diferentes cenários de carregamento fornecidos pela curva de continuação. Um fator de participação dado pela técnica da análise modal é empregado como complemento para aquisição dos grupos geradores associados a uma barra piloto. A obtenção das barras de carga com perfil de tensão descrito pela barra piloto é feita mediante a análise das curvas de continuação e o estudo das componentes do vetor tangente no ponto de colapso. De acordo com os resultados obtidos pelas metodologias apresentadas, uma estratégia de controle secundário de tensão (CST) pode ser simulada para qualquer sistema real. A modelagem adotada utiliza um programa de fluxo de potência convencional e continuado em coordenadas polares, onde as equações do problema de fluxo de potência na forma linearizada são aumentadas de tal modo a incorporar o modelo de controle secundário de tensão. No modelo do CST, as equações adicionais estão relacionadas com o fator de participação dos geradores. O chaveamento de bancos capacitores e a atuação de transformadores em fase também foram representadas na estratégia de controle adotada. Os resultados apresentados validam as metodologias propostas, podendo ser aplicados em estudos referentes ao planejamento operacional, definindo as ações de controle de tensão mais efetivas a serem tomadas, ou mesmo selecionando os melhores locais para a instalação de equipamentos de compensação de reativos.