UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

MODELAGEM DE DISPOSITIVOS DE CONTROLE EM FLUXO DE POTÊNCIA SEGUNDO UMA FORMULAÇÃO DE INJEÇÃO DE CORRENTE

Você está em: Produção Bibliográfica > Dissertações > 2000: 5 dissertações > MODELAGEM DE DISPOSITIVOS DE CONTROLE EM FLUXO DE POTÊNCIA SEGUNDO UMA FORMULAÇÃO DE INJEÇÃO DE CORRENTE

Download:

 

Área de Concentração:
Sistemas Elétricos de Potência

 

Resumo:
Este trabalho descreve uma metodologia genérica de representação de dispositivos de controle, utilizando uma formulação matemática de solução do problema de fluxo de potência, na qual são utilizadas equações de injeção de corrente expressas em termos das coordenadas retangulares da tensão. Esta metodologia consiste em incorporar as equações que modelam os dispositivos de controle ao problema básico de fluxo de potência, gerando um conjunto aumentado de equações e propiciando desta forma, uma grande flexibilidade quanto à inserção e retirada destes dispositivos durante o processo iterativo de solução. O elenco de dispositivos de controle sob estudo inclui o controle de tensão em barras remotas, controle de tensão por variação automática de tap, compensadores estáticos de reativo, compensação série controlada, controle sencundário de tensão, tratamento de limites em barras de geração e controle do fluxo de potência ativa via transformadores defasadores. A implementação dos modelos matemáticos referentes a estes dispositivos, bem como de toda a estrutura de solução do fluxo de potência básico, foi realizada utilizando-se a linguagem de programção C++. A formulação desenvolvida é flexível à incorporação de dispositivos FACTS e controles de diversos tipos. Funções de controle definidas pelo usuário, envolvendo a participação de diversos dispositivos, podem ser diretamente introduzidas como dados de controle do fluxo de potência. O estudo realizado propicia uma análise mais criteriosa das características básicas dos dispositivos de controle, especialmente para altos níveis de carregamento do sistema,o que é de grande valia, face ao crescente aumento de demanda de energia elétrica e conseqüente operação dos sistemas muito próxima de seus limites.