UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Paulo C. Coimbra

Você está em: PPGE > Corpo Acadêmico > Corpo Docente > Paulo C. Coimbra

Voltar

E-mail: pc.coimbra@gmail.com

Lattes

A presença de incerteza (no sentido de Frank Knight) pode dificultar as escolhas dos agentes (quer sejam escolhas individuais, escolhas sob iterações estratégicas ou escolhas de portfólios). Investigar os impactos da incerteza (ou ambigüidade) nas escolhas dos agentes é uma das áreas de pesquisa onde atua o Prof. Paulo C. Coimbra, que possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Santa Úrsula (USU), possui especialização em Teoria Econômica pelo ENSYC da Fundação Geulio Vargas (ENSYC/FGV-RJ), possui especialização, mestrado e doutorado em Economia pela Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Getulio Vargas (EPGE/FGV-RJ). Está em fase de conclusão da especialização em Métodos Estatísticos Computacionais (Estatística – ICE/UFJF) e está iniciando a especialização em Desenvolvimento de Sistemas com uso de Tecnologia JAVA (Ciências da Computação – ICE/UFJF). Atualmente exerce o cargo de Professor Adjunto na Faculdade de Economia da Universidade Federal de Juiz de Fora (FE/UFJF), atuando inclusive no Programa de Pós-Graduação em Economia (PPGE/UFJF) como professor, onde a partir de 2015 ministrará o curso de Apreçamento de Ativos, e como pesquisador, onde está envolvido envolvido na criação do Centro de Pesquisa de Economia Experimental (CPEE-PPGEA/UFJF). Sua experiência acadêmica inclui passagens pela Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Getulio Vargas (EPGE/FGV-RJ), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), IBMEC Business School (IBMEC-RJ) e FUCAPE Business School, lecionando diversos cursos de economia, matemática e finanças. Como pesquisador, as suas linhas atuais de pesquisa concentram-se nas áreas de economia, matemática e finanças, com ênfase em teoria econômica, economia matemática, finanças quantitativas, microeconomia aplicada, finanças aplicadas e economia experimental. Análise de dados amostrais complexos, avaliação de políticas sociais, organização industrial, outros temas em finanças (destacadamente finanças comportamentais, finanças corporativas e modelos de apreçamento com o uso de derivativos e implementações de modelos de finanças via linguagens de programação) e estimações de modelos de equilíbrio geral estocáticos dinâmicos (DSGE models) também fazem parte dos seus interesses de pesquisa.