UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Plano de Ensino

Disciplina: 212037 - HISTÓRIA E FILOSOFIA DA CIÊNCIA E ENSINO

Créditos: 4

Departamento: DEPTO DE QUIMICA /ICE

Ementa Fundamentos historiográficos e epistemológicos para a pesquisa em História da Ciência. As principais correntes historiográficas em História da Ciência. Pesquisa em História da Ciência no Ensino de Ciências. A interdisciplinaridade e a convivência entre as diferentes áreas do saber a luz da História da Ciência. Dimensões historiográficas, filosóficas e culturais da História da Ciência.
Conteúdo 1. Fundamentos historiográficos e epistemológicos para a pesquisa em História da Ciência.
2. As principais correntes historiográficas em História da Ciência.
3. Tendências historiográficas para as próximas décadas.
4. A Natureza e a especificidade da História da Ciência em campos correlatos: da sociologia, da psicologia e da filosofia da ciência no ensino.
5. Pesquisa em História da Ciência no Ensino de Ciências.
6. A interdisciplinaridade e a convivência entre as diferentes áreas do saber a luz da História da Ciência.
7. Crise e humanização das Ciências: aspectos éticos, culturais e políticos.
8. Análise da História da Ciência Moderna sob o enfoque epistemológico dos paradigmas científicos segundo as teorias de Thomas Kuhn.
9. A iatroquímica e os paracelsistas.
10. Os compósitos renascentistas.
11. A Revolução Copernicana e as Origens da Ciência Moderna.
12. A química do oxigênio: os estudos da combustão e os processos da industrialização nos séculos XVI e XVII.
13. A teoria da evolução de Darwin e as idéias de herança no século XIX.
14. Origens e institucionalização da História da Ciência nos séculos XIX e XX.
15. A institucionalização das ciências no Brasil: a Universidade e a modernização do país.
Bibliografia 1. AGRICOLA, G. De Re metallica. Trad ingl. da edição de 1556, notas e comentários de H.C. Hoover & L.H. Hoover. Reimp. New York, Dover, 1990.
2. ALFONSO-GOLDFARB, Ana Maria. O que é História da Ciência. São Paulo, Brasiliense, 1994.
3. ALFONSO-GOLDFARB, Ana Maria; MAIA, Carlos A. (Orgs). História da ciência: o mapa do conhecimento. Rio de Janeiro/São Paulo, Expressão e Cultura/Edusp, 1995.
4. BELTRAN, Maria Helena Roxo; ALFONSO-GOLDFARB, Ana Maria (Orgs). Escrevendo a história da ciência: tendências, propostas e discussões historiográficas. São Paulo. EDUC/FAPESP, 2004.
5. ALFONSO-GOLDFARB, Ana Maria; FERRAZ, M. H. M. As possíveis origens da química moderna. Química Nova, 16: 63-68, 1993.
6. ALFONSO-GOLDFARB, Ana Maria; FERRAZ, M. H. M. A Química Flogística no Século XVIII Francês. Enlaces 2:19-26, primavera de 1995.
7. ALMEIDA, J. R. P. História da instrução pública no Brasil. São Paulo/Brasilia, EDUC/INEP, 1989.
8. AZEVEDO, F. de (Org). As ciências no Brasil. São Paulo, Melhoramentos, 1954, 2 vols.
9. BACHELARD, G. A Formação do Espírito Científico. Rio de Janeiro, Contraponto, 1996.
10. BELTRAN, Maria Helena Roxo; SAITO, Fumikazu; TRINDADE, Laís dos Santos Pinto (Orgs). História da Ciência: tópicos atuais. São Paulo: LF Editorial, 2010.
11. BENSAUDE-VINCENT, Bernadette; SIMON, Jonathan. Chemistry: the impure science. London, Imperial College Press, 2010.
12. BIRINGUCCIO, V. The Pírotechnia of Vannoccio Binnguccio, The Classic Sixteenth Century Treatise on Metals and Metallurgy. Trad ingl. e notas por Cyril Stanley Smith & Martha Teach Gnudi. New York, Dover, 1990.
13. CHALMERS, A. F. O Que é Ciência Afinal? São Paulo: Brasiliense, [1982]1995.
14. DEBUS, A. G. The significance of the history of early chemistry. Cah. Hist. Mond., 9: 39-58, 1965.
15. DEBUS, A. G. Alchemy and Chemistry in the Seventeenth Century. Los Angeles, William Andrews Clark Memorial Library, University of California, 1966.
16. DEBUS, A. G. El Hombre y la Naturaleza en el Renacimiento. México, D.F., Fondo de Cultura Económica, 1996.
17. DEBUS, A. G. A chemical key to the scientific revolution. Em: Patricia Aceves Pastrana (org.), Farmacia, Historia Natural y Química lntercontinentales. México, D. F., Univ. Autónoma Metropolitana,1996, pp. 17-33.
18. DOBBS, B. J. T. The Foundations of Newton¿s Alchemy or The Hunting of the Greene Lyon. New York, Cambridge University Press, 1984.
Bibliografia (continuação) 19. DONOVAN, A. L. Antoine Lavoisier: science, administration, and revolution. Oxford, UK, Cambridge.
20. CANGUILHEM, G. Ideologia e racionalidade nas Ciências da Vida. Trad. port. de Emilia Piedade. Lisboa. Edições 70, [s.d.].
21. COBERN, W. W.; LOVING, C. C. Defining science in a multicultural world: implications for science education. Science Education, 85, p. 50-67, 2001.
22. COLEMAN, W. Biology in the Nineteenth Century: problems of form, function and transformation. Cambridge: CUP, 1990.
23. DRIVER, R.; LEACH, J.; MILLAR, R.; SCOTT, P. Young Peoples¿ Images of Science. Buckingham: Open University Press, 1996.
24. FEYRABEND, P. Contra o Método: esboço de uma teoria anárquica da teoria do conhecimento. Trad. brasileira de Octanny S. da Mota. 3. ed. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1989.
25. FREITAS-REIS, Ivoni. Uma breve leitura da Iatroquímica em Rychard Bostocke. In: Ciências da Vida: estudos filosóficos e históricos. Campinas: Associação de Filosofia e História da Ciência do Cone Sul (AFHIC), 2006.
26. FREITAS-REIS, Ivoni. Um mapa da medicina antiga: entre a cura através dos contrários e a cura através dos semelhantes. Revista de historia de la medicina y epistemologia medica (Buenos Aires) Departamento de Humanidades Médicas, v. I, p. 01-14, 2009.
27. HALL. A. R. A revolução na ciência. 1500-1750. Trad. portuguesa Maria Teresa Louro Pérez, Lisboa, Edições 70, 1988.
28. HENRY, J. A revolução científica e as origens da ciência moderna. Trad. bras. de Maria Luiza X. A. Borges, rev. tec. Henrique Lins de Barros. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1998.
29. JACOB, F. O Jogo dos Possíveis: ensaios sobre a diversidade do mundo vivo. Trad. port. de Norberto S. de Almeida, José d¿Encarnação e Margarida S. Correia. Lisboa, Gradiva, [s.d.].
30. KUHN, T. A estrutura das revoluções científicas. 5.ed. São Paulo: Perspectiva, 1997. (Debates Ciência).
31. KUHN, T. A Tensão Essencial. Trad. portuguesa de Rui Pacheco. Lisboa: Edições 70, 1977, (Biblioteca de Filosofia Contemporânea. Volume 10).
32. MARTINS, Lílian A. C. Pereira; REGNER, Anna Carolina; LORENZANO, Pablo (Orgs). Ciências da Vida: estudos filosóficos e históricos. Campinas: Associação de Filosofia e História da Ciência do Cone Sul ¿ AFHIC, 2006.
33. PARACELSO. A Chave da Alquimia. São Paulo: Editora três, 1973.
34. PARTINGTON, John R. A History of Chemistry. 4 vols. London, McMillan, 1961 ¿ 1970.
35. MUTUS LIBER ¿ O livro mudo da alquimia. Ensaio introdutório, comentários e notas de José Jorge de Carvalho. São Paulo: Attar Editorial, 1995.
36. Artigos científicos da literatura, a serem discutidos em aula.
Bibliografia complementar
Voltar

Pós-Graduação em Química