IMG-20180207-WA0011

Dayanne durante as pesquisas que resultaram na dissertação “Efeito do hipoclorito de sódio na viabilidade celular e na capacidade de mineralização das células tronco de dentes decíduos extraídos” (foto: arquivo pessoal)

Com o intuito de desenvolver um método de preservação de células-tronco coletadas por meio da polpa de dentes de leite, a mestranda Dayanne Neto dos Santos desenvolveu a sua dissertação de mestrado na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). O estudo foi apresentado no do Programa de Pós-Graduação em Clínica Odontológica.

A mestranda explica que as contaminações de muitas células no local onde são armazenados os tecidos e as células coletadas, foi o que contribuiu na escolha do tema de pesquisa. “Pensamos, então, como poderíamos intervir nessa contaminação, e logo questionamos a utilização do hipoclorito de sódio, devido a suas atividades antimicrobianas já comprovadas. Conversamos com o professor Cláudio Gualupo, da microbiologia da UFJF, sobre o assunto e fizemos um levantamento na literatura sobre o hipoclorito de sódio e encontramos resultados promissores”, conta Dayanne.

 O professor da Faculdade de Odontologia  e orientador,  Antônio Márcio Resende do Carmo, explica que as células são retiradas a partir da polpa dos dentes de leite e são armazenadas em placas em uma temperatura de menos 196 graus. Nesse processo, o hipoclorito de sódio é utilizado de forma diluída, mantendo as células vivas e sem contaminação.

IMG-20180207-WA0009

Dayanne e o professor orientador Antônio Márcio Resende do Carmo (foto: arquivo pessoal)

A mestranda  destaca, ainda, que os resultados da pesquisa são promissores na recuperação em procedimentos clínicos de vascularização de dentes permanentes imaturos. Ela acrescenta que os estudos são uma grande conquista para a obtenção e armazenamento das células. “Uma vez que estabelecemos o protocolo, vamos poder receber um número maior de amostras, processar, organizar e armazenar criteriosamente sem que haja perda das funções e mantendo a viabilidade celular.”  

Ética e as células-tronco

O professor orientador ainda chama atenção para um problema ético atualmente discutido no uso de células tronco de terceiros em pacientes. Antônio Márcio ressalta que o uso de material com carga genética de outra pessoa pode causar incompatibilidade, rejeição e mutação celular, o que seria resolvido se o material genético utilizado fosse da própria pessoa. “Nós estamos trabalhando o processo de obtenção e preservação das células-tronco, porque se no futuro um determinado paciente precisar, ele não vai depender de que alguém produza por ele.”

Contatos:
Dayanne Neto dos Santos (mestranda)
day_nsantos@yahoo.com.br

Antônio Márcio Resende do Carmo (orientador – UFJF)
antoniomarcio.resende@ufjf.edu.br

Banca Examinadora:
Prof. Dr. Antônio Márcio Resende do Carmo
Prof. Dr. Carlos Magno da Costa Maranduba
Prof. Dr. Élton Geraldo de Oliveira Góis
Prof. Dr. Sergio Luiz Mota Júnior

Outras informações: (32) 2102-3881 – Programa de Pós-Graduação em Clínica Odontológica