UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Histórico

Você está em: Histórico

Breve Histórico

Em 1994, um grupo de professores do Departamento de Matemática da Universidade Federal de Juiz de Fora, sentiu a necessidade de reunir professores e discentes do Curso de Matemática em torno de estudos ligados a uma comunidade científica emergente no Brasil: a Educação Matemática. A proposta obteve adesão imediata de vários professores e alunos da Licenciatura em Matemática.

Nas primeiras reuniões do grupo chegou-se a conclusão que deveria ser criado um espaço que representasse um microcosmo de estudos, divulgação e de produção científica no interior da UFJF.
Com esta ação esperava-se tocar em três pontos que foram entendidos como prioritários: Primeiro, divulgar a Educação Matemática que se encontrava, pelo menos na cidade de Juiz de Fora, restrita a esfera acadêmica. Segundo, reunir em um mesmo espaço, professores pesquisadores, professores em exercício da docência e estudantes. Considerando que até aquele momento os projetos voltados para a formação de professores e para os processos de ensino e aprendizagem da Matemática eram desenvolvidos de maneira isolada. E, por último, constituir um grupo de pesquisa que se envolvesse com os problemas ligados à área de Educação Matemática em Juiz de Fora e região.

Naquela ocasião, a recém criada Pró-Reitoria de Pesquisa (Propesq), em atendimento à política do MEC, promovia no interior da universidade, o cadastramento dos grupos de pesquisa já existentes e aqueles que estavam em formação denominando-os de núcleos de pesquisa.

Em 21 de outubro de 1994, foi enviada a Propesq a solicitação de cadastramento do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática (NEPEM), consolidando a sua criação.
O núcleo foi constituído por professores do Departamento de Matemática da UFJF, do Departamento de Desenho Técnico e Projetivo, do Departamento de Matemática do Colégio de Aplicação João XXIII e por discentes da Licenciatura em Matemática da UFJF.

A primeira formação do NEPEM teve os seguintes nomes:

Carlos Roberto Araújo Zacaron – Departamento de Matemática
Maria Aparecida Bessa Montes – Departamento de Matemática
Amarildo Melchiades da Silva – Departamento de Matemática
Adlai Ralph Detoni – Departamento de Desenho Técnico Projetivo
José Eduardo Ferreira da Silva – Colégio de Aplicação João XXIII
Daniela Motta – Colégio de Aplicação João XXIII
Frederico José Andries Lopes – Discente
Glauco Henrique O. Santos – Discente
Renata Pereira Miranda – Discente
Pricilla Cristina M. Cerqueira – Discente
Kely Zampier – Discente
Ney Gomes dos Santos – Discente
Marco Aurélio Kistemann Junior –  Discente
Sérgio Renato Pereira – Discente
Cristiane Coppe de Oliveira – Discente
Gilmar P. Oliveira – Discente
Josiane V. Peres – Discente
Paula c. Castro – Discente
Margareth C. Pereira – Discente
Alexandre Giraldelli – Discente
Vânia H. Santos – Discente
Silvia T.N. Mendonça – Discente
José O. Barquette – Discente
Eduardo G. Santos – Discente
Alexandre A.G. Azevedo – Discente
Silvia Terezinha N. Mendonça – Discente
João Marcos C. de Souza – Discente

As primeiras ações do núcleo foram: i) a criação de um seminário semanal de Educação Matemática no Instituto de Ciências Exatas/ICE, como espaço de encontro e de divulgação da Educação Matemática como área de pesquisa; ii) promover um encontro de Educação Matemática na UFJF com o objetivo de caracterização de um grupo de pesquisa dentro da instituição; iii) busca de caminhos para o desenvolvimento de pesquisa em Educação Matemática.

Como conseqüência, o seminário veio agregar as pessoas envolvidas com o projeto, mas não teve grande adesão da comunidade externa à esfera acadêmica.

O encontro promovido pelos membros do núcleo acabou tendo a importante função de articular a Fundação da Regional de Minas Gerais da Sociedade Brasileira de Educação Matemática/ SBEM que aconteceria dois anos depois na Universidade Federal de Ouro Preto a pedido da Profª Marger da Conceição Ventura Viana, em ocasião da criação da Graduação em Matemática naquela instituição. Tal pedido de articulação foi feito naquele momento pelo então presidente da sociedade, Prof. Romulo Campos Lins (UNESP/Rio Claro).

A proposta de se desenvolver pesquisa no interior do núcleo levou os professores a buscarem capacitação nos programas de Pós-Graduação em Educação Matemática. E a saída desses docentes, para a inserção definitiva no universo da pesquisa na área levou, de modo gradativo, à paralisação das atividades do grupo no período de 1999 a 2004.

A partir de 2004, os membros do grupo foram retornando após a capacitação e as atividades foram sendo retomadas.

Em 05 de setembro de 2006, o grupo de pesquisa foi novamente cadastrado no CNPq como Núcleo de Investigação, Divulgação e Estudos em Educação Matemática – NIDEEM.
Os objetivos primeiros foram mantidos e as metas do grupo foram ampliadas.

Em 2006, os membros do núcleo promoveram a primeira edição de um evento denominado Colóquio de Matemática, retomando a proposta de divulgação da pesquisa em Educação Matemática.
No mesmo ano teve início, através da disposição dos membros do núcleo, uma Especialização em Educação Matemática com ênfase em Educação Geométrica para atender uma demanda de formação continuada dos professores da região de Juiz de Fora. (Veja o site www.ufjf.br/ppgem)

Em 2008, os membros do núcleo com doutorado em Educação Matemática convidaram diversos pesquisadores, entre eles, professores dos departamentos de Matemática, Ciência da Computação e do Instituto de Artes e Design para participarem da proposta de elaboração de um programa de mestrado profissional em Educação Matemática, que foi submetido a CAPES em março de 2008.

Em agosto de 2008, a agência credenciou o programa que teve início em março de 2009. (Veja o site www.mestradoedumat.ufjf.br)

Atualmente os membros dos NIDEEM buscam ampliar suas frentes de trabalho na direção de produzir pesquisas, divulgar a área e promover formação continuada de professores de Matemática.

Núcleo de Investigação, Divulgação e Estudos em Educação Matemática