UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

2015 – Março

Você está em: Eventos > SEMINÁRIOS DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA > 2015 > 2015 - Março

Dia 05/03 – Prof. Dr. Amarildo Melchiades da Silva (Depto de Matemática – UFJF)

 Título: O Mestrado Profissional em Educação Matemática

 Modalidade: Palestra

 Resumo: Palestra de recebimento dos alunos ingressantes em 2015, assim como levar ao conhecimento de todos o Programa do Mestrado Profissional em Educação Matemática da UFJF.

 

Dia 12/03 – Prof. Dr. Marco Aurélio Kistemann Jr  (Depto de Matemática-UFJF)

 Título: Uma breve introdução à Educação Financeira

 Modalidade: Conferência

Resumo: Neste seminário objetiva-se apresentar o tema da Educação Financeira como área de pesquisa, bem as propostas de Grupos de Pesquisa e de entidades governamentais e financeiras que permeiam o cenário brasileiro.

 

Dia 19/03 – Prof. Dr. José Eduardo Ferreira da Silva (Colégio João XXIII – UFJF)

 Título: Micromundo Hipertextual em Educação Matemática

 Modalidade: Conferência

 

Dia 26/03 – Prof. Dr. Flavio de Souza Coelho (CMJF)

 Título: O que se mostrou em uma investigação acerca da licenciatura em Matemática, na modalidade EaD, oferecida pela UFJF

 Modalidade: Conferência

Resumo: O propósito deste seminário é apresentar o que se mostrou em uma investigação, pela qual buscamos compreender a Licenciatura de Matemática, efetuada à distância, oferecida pela Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, acontecendo na atualização do seu Projeto Pedagógico. A indagação condutora foi assim exposta: Que Licenciatura de Matemática à distância é essa, a oferecida pela UFJF? A pesquisa, de âmbito qualitativo, segundo uma abordagem fenomenológica. Valemo-nos, principalmente de estudos de obras do filósofo Edmund Husserl. Fomos aos sujeitos significativos e entrevistamos o coordenador do curso, professores e tutores à distância. O Polo de Apoio presencial de Timóteo (MG) mostrou-se significativo e, nele, entrevistamos as coordenadoras, a tutora presencial, alunos exitosos, alunos desperiodizados e alunos desistentes. Perguntamos aos entrevistados: “Como você se inseriu na EaD? ”  Como você se vê nessas atividades: no momento, com lembranças de movimentos havidos no passado e como se percebe no futuro?”. Procedemos às interpretações/compreensões hermenêuticas dos ditos. O Curso apresentou-se em aberturas, pelas vivências que possibilitaram a atualização de seu projeto. Apresentou-se, também, em fechamentos, pelas vivências em que os sujeitos relataram desistindo, evadindo-se do curso; ou seja, há pessoas para as quais o projeto não se atualizou.

 Palavras-chave: Educação à Distância; Educação Matemática; Fenomenologia.