UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Resistência em favor da clareza e transparência

Data: 12 de dezembro de 2011

Em 30/11/2011,  o Pró-reitor de Cultura, Sr. José Alberto Pinho Neves,  comunicou ao Coordenador do MAEA que o IPHAN estava determinando o fechamento do MAEA para inventariamento do acervo. A data estabelecida foi o dia 02/12/2011. Além disso,  os dirigentes da UFJF reiteram que o MAEA não existe, o que entendemos ser um contrasenso, pois foi formalmente criado por meio de Portaria interna da UFJF, e vinculado administrativamente Pró-reitoria de Educação e Pesquisa.

Essa medida possui um caráter ideológico e político, pois o foco dos estudos desenvolvidos pela equipe do MAEA é as minorias étnicas: indígenas e africanas. Atualmente a diversidade constitui expressão simbólica, presentes nas manifestações materiais e imateriais da cultura do País. Tal atitude por parte dos representantes da UFJF é contrária às políticas públicas que visam à proteção e promoção da diversidade cultural brasileira, conforme expresso no Plano Nacional de Cultura.

Considerando-se as incoerências e as arbitrariedades dos dirigentes da UFJF, os bolsistas e colaboradores do MAEA se mobilizaram no sentido de impedir o seu fechamento. O material arqueológico armazenado em duas salas do MAEA teve suas portas lacradas, com acompanhamento de um vigilante da UFJF, sob o argumento de que as vistorias deverão ser feitas com a presença dos membros do MAEA. A entrega das chaves está fora de cogitação, pois além permitir a continuidade das atividades, que possui cronogramas a cumprir, o grupo teme em ser responsabilizado por ações escusas perpetradas por outrem na sua ausência.  O grupo deixa evidente a sua posição de que estão abertos para quaisquer ações de investigação ou vistoria, mas que todo o processo deve ser feito de modo claro e transparente, obedecendo os princípios democráticos.

Museu de Arqueologia e Etnologia Americana