UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Residência Multiprofissional

Você está em: Residência Multiprofissional

 A Universidade Federal de Juiz de Fora oferece desde a década de 1970 programas de especialização lato sensu na modalidade de residência, quando ocorreu a criação dos programas de residência médica em 1975 contemplando 4 (quatro) especialidades.

Em 1979, foi criado pelo departamento de Patologia da Faculdade de Medicina a Residência em Análises Clínicas, uma das poucas experiências dessa modalidade de especialização em serviço no país.

As fortes mudanças ocorridas nas políticas de saúde nos anos 1980/90, com a criação do SUS, refletiram no campo da educação em saúde, considerando que “ao sistema único de saúde compete, além de outras atribuições, nos termos da lei: […] III –ordenar a formação de recursos humanos na área de saúde”, segundo a Constituição Federal de 1988 (BRASIL, 2012, p. 118).

Esse contexto fortaleceu o processo da implementação das residências no Brasil, estimulando a inclusão de outras profissões para esta modalidade de formação especializada em serviço. Assim, em 1998 a Faculdade de Serviço Social, propôs a criação da Residência em Serviço Social constituindo-se como experiência única nas Instituições Federais de Ensino Superior.

Nesta mesma lógica de mudanças e incentivos para a formação em saúde, em 2001, teve início as atividades da Residência em Enfermagem na Saúde do Adulto do HU/UFJF, cujo programa foi pioneiro em Minas Gerais em âmbito hospitalar, como também na iniciativa de adoção de um programa desvinculado do modelo médico que fragmenta os indivíduos pelas especialidades da clínica, tendo, portanto, uma abordagem norteada pelos níveis de complexidade da assistência. 

No processo de fortalecimento da atenção básica da saúde, o Ministério da Saúde passou, a partir de 1996 a incentivar as equipes de Saúde da Família como estratégia principal na reorientação do modelo assistencial.

Esse novo cenário impôs a necessidade de uma qualificação adequada dos profissionais de saúde para intervir na atenção primária e na realidade sócio-epidemiológica local. Foi, portanto, no momento de expansão da Estratégia de Saúde da Família no país, bem como no contexto de integração entre a Universidade e a rede de assistência local (UFJF / Prefeitura de Juiz de Fora) e regional (sudeste mineiro), que se impulsionou o desenvolvimento da Residência em Saúde da Família em Juiz de Fora. Em resposta a toda essa conjuntura e ao estímulo do Ministério da Saúde à formação de especialistas na área de saúde da família, é que surge a Residência em Saúde da Família, em 2002, de caráter multidisciplinar, incluindo enfermeiros, odontólogos e assistentes sociais (BUSTAMANTE-TEIXEIRA et al., 2006). 

Com base nas iniciativas anteriores e, sobretudo, do incentivo dos coordenadores dos projetos de residência já atuantes, foi criado em 2003, a Residência em Psicologia Hospitalar e da Saúde e, em 2010 a Residência em Farmácia, no mesmo contexto nacional de criação da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGETES), pelo Ministério da Saúde (MS).

No ano seguinte, em 2004, o Ministério da Saúde lançou a Portaria n° 198/GM/MS, instituindo a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde como uma estratégia do SUS para a formação e o desenvolvimento de trabalhadores para o setor.

Face a este cenário a Universidade Federal de Juiz de Fora aprova a criação do programa de residência em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial (2009) no formato uni profissional para egressos do curso de Odontologia e o programa em Gestão Hospitalar destinada a egresso dos cursos de Administração e Ciências econômicas (2008).

Na continuidade, o HU/UFJF, mediante a mobilização dos serviços existentes das unidades acadêmicas, de representantes do gestor local e regional do SUS, do Conselho Municipal de Saúde, e ainda, considerando as experiências consolidadas pelos Programas de Área Profissional existentes, a UFJF propôs a criação do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde do Adulto. Este, com ênfase para as doenças crônico-degenerativas, tendo em vista o perfil epidemiológico loco regional que se expressam pelas demandas do SUS de Juiz de Fora enquanto Polo Macrorregional. A proposta encaminhada ao MEC pela UFJF foi aprovada, sendo disponibilizadas 12 (doze) bolsas para início do programa. Assim, ao final de 2009 ocorreu o primeiro processo seletivo para esse programa, considerado como pioneiro na modalidade de Residência Multiprofissional, englobando sete profissões das áreas da saúde, com atividades em oito áreas de formação a saber: Enfermagem, Educação Física, Farmácia (incluindo Análises Clínicas), Fisioterapia, Nutrição, Psicologia e Serviço Social.

Em 2014, foi construída a proposta de Residência Integrada Multiprofissional em Atenção Hospitalar do HU/UFJF, incluindo sete áreas profissionais, na qual foram contempladas as cinco áreas de programas tradicionais da UFJF: Enfermagem, Farmácia (incluindo Análises Clínicas), Psicologia e Serviço Social acrescidas das áreas de Fisioterapia e Nutrição. A proposta estava apoiada na necessidade de avançarmos no processo de formação dos profissionais de saúde, de modo a atendermos as demandas de maior complexidade, para a atenção hospitalar numa perspectiva multidisciplinar.

Nesta mesma lógica de mudanças e incentivos para a formação em saúde, em 2015, ocorre a proposta de criação do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental, contemplando três áreas profissionais: Enfermagem, Psicologia e Serviço Social. A criação foi aprovada pelo MEC com a liberação de 9 (nove) bolsas.

A proposta de criação da Residência Multiprofissional em Saúde Mental busca fortalecer as atividades no âmbito da pós-graduação lato sensu desenvolvidas pelo CAPS HU-UFJF em uma perspectiva interdisciplinar e integral. Os processos que envolvem o adoecimento psíquico incluem fatores de diferentes ordens demandando abordagens ampliadas, centradas nos usuários e em suas necessidades de saúde. Considerando toda a complexidade que envolve o processo saúde/doença de indivíduos e coletividades, torna-se extremamente importante a formação de profissionais nas diferentes áreas da saúde com competências e habilidades para a construção do trabalho em equipe e, do cuidado integral e intersetorial, fortalecendo os princípios e diretrizes do SUS.               

Veja também: Membros, Formulários residentes, Regimento Interno, Legislação CNRMS, Editais COREMU, Programas de Residência.