UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Funcionários aprendem a combater incêndios

Data: 20 de fevereiro de 2013

Treinamento contou com atividades teóricas e práticas

Durante a manhã desta quarta-feira,20, funcionários do Hospital Universitário participaram de um “Treinamento de Prevenção Contra Incêndio”. O curso foi promovido pelo Serviço de Segurança do Trabalho (SEST) e ministrado pelos profissionais Rogério Rodrigues e Paulo Santos.

O treinamento, realziado no auditório Gilson Salomão, contou com uma parte teórica. Nessa primeira etapa do curso, os presentes aprenderam sobre os elementos de combustão necessários para provocar o fogo (Calor, Combustível e Comburente), as classificações dos diferentes tipos de incêndios (A,B,C e D), os tipos de extintores que devem ser utilizados em cada um dos casos (Água, CO2 ou PQS) e a maneira correta de manuseá-los. Todas as explicações foram feitas de maneira simples com exemplos de situações do cotidiano. “Procuramos fazer algo simples e não muito técnico para que todos entendam e possam aplicar em situações que venham a ocorrer no dia a dia. É um erro as pessoas acharem que sem treinamento vão conseguir combater o fogo”, ressalta Rogério. “É preciso lembrar que ensinamos a combater o princípio de incêndio. Em caso de incêndio é necessário acionar os bombeiros e abandonar o local”, complementa Paulo.

Funcionários aprenderam princípios básicos

Em seguida, teve início a segunda parte do treinamento, realizada no pátio do Hospital. Nessa fase foi simulado um princípio de incêndio e os participantes tiveram que utilizar os extintores para apagá-lo. Nessa parte prática do curso também foi ensinado como retirar o lacre dos extintores, segurá-los e utilizá-los corretamente. “Não é tão difícil. No próprio extintor tem informações descrevendo como usá-lo e em que tipo de incêndio. É só ficar atento”, explica Paulo.

Para o funcionário do setor de endoscopia, Thales Corrêa, o treinamento foi muito importante e deveria ser feito por todos: “Para mim tudo foi novidade. Trabalhamos prestando assistência a saúde e no caso de uma eventualidade precisamos saber intervir”.

Aprenda mais

Classificação dos Incêndios

Classe A: Combustíveis sólidos como madeiras, papel, tecido, borracha, etc. Caracterizado pelas cinzas e brasas que deixam como resíduos, sendo que a queima se dá na superfície e em profundidade.

Classe B: Líquidos inflamáveis, graxas e gases combustíveis como gasolina, acetona, éter, álcool e gás de cozinha. Caracterizado por não deixar resíduos e queimar apenas na superfície exposta.

Classe C: Materiais e equipamentos energizados. Caracterizado pelo risco de vida que oferece para o combatente.

Classe D: Metais combustíveis como magnésio, selênio, antimônio, lítio, potássio, alumínio fragmentado, zinco, titânio,etc. Caracterizado pela queima em altas temperaturas e por reagir com agentes extintores comuns.

Métodos de extinção

Isolamento: Consiste na retirada do material combustível

Resfriamento: Retirar o calor. É o método mais utilizado. Consiste em diminuir a temperatura do material combustível que esta queimando, diminuindo, consequentemente, a liberação de gases ou vapores inflamáveis. Abafamento: Cortar o comburente. Consiste em impedir ou diminuir o contato do comburente com o material combustível.

Extinção química. Consiste na utilização de certos componentes químicos, que lançados sobre o fogo, interrompem a reação em cadeia.

Tipos de extintores


Objetivo foi esclarecer as principais dúvidas de combate ao princípio de incêndio


Extintor com água
: Age por resfriamento é indicado para incêndios de classe A

Extintor com gás carbônico (CO2): Age por abafamento e resfriamento. Eficiente para incêndios de classe B e C. Pouco eficiente em incêndios de classe A.

Extintor com pó químico seco (PQS): Age por abafamento. Eficiente para incêndios de classe B e C. Pouco eficiente em incêndios de classe A.

Extintor com pó químico especial: Age por abafamento. Eficiente para incêndios de classe D.

Como proceder em casos de incêndio

1- Acionar o alarme.

2-Chamar os bombeiros (193)

3-Desligar a eletricidade

4-Combater o fogo no início

5-Utilizar o equipamento correto

6- Salvar sua vida, não seus objetos.

7- Acalmar os outros

8- Não usar elevadores

9- Usar lenço molhado no nariz

10- Caminhar abaixado

11-Não abrir portas com a maçaneta muito quente

12- Não trancar as portas

13- Livrar-se de tudo que possa queimar

14-Molhar a roupa

15- Manter a calma

“Todos esses procedimentos devem ser feitos dentro do possível. O mais importante é acionar os bombeiros e deixar o local”, enfatiza Paulo Santos.

Por Thaís Lawall – Bolsista de Comunicação Social

Supervisionado por AscomHU

Compartilhe:

Hospital Universitário