UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Hans Christian Oersted

Você está em: Ciência: uma construção humana > Mentes Brilhantes > Hans Christian Oersted

Por Pablo Rafael

 

Hans Christian Oersted**

Hans Christian Oersted nasceu em Rudkobing, Dinamarca, em 14 de agosto de 1777. Quando jovem adquiriu uma ótima formação básica, aprendeu a ler e escrever em dinamarquês e alemão com seus vizinhos, grego e latim com um estudante de teologia, francês e inglês com o delegado da província. Aos 17 anos Oersted foi aceito na Universidade em Copenhagen onde se formou farmacêutico e em 1799 terminou seu doutorado em Filosofia.

Trabalhou no ano de 1800 em uma tradicional farmacia de Copenhagen “Farmácia do Leão”. Nesse mesmo ano tornou-se farmacêutico adjunto da Faculdade de Medicina. Entre 1801 e 1803 visitou, por meio de uma bolsa de estudos no exterior, Alemanha, Holanda e França, onde estabelera grandes e importantes contatos pessoais com cientistas e intelectuais.

Em 1804 retornou à Dinamarca e passou a lecionar Física na Universidade, em 1806 tornou-se professor extraordinário e em seguida professor ordinário em 1817. Em 1915 foi nomeado secretário vitalício da Academia de Ciências de Copenhagen, pouco depois foi nomeado pelo rei como cavaleiro da Ordem de Danneborg. Fundou na Dinamarca uma Sociedade para o Desenvolvimento do Estudo da Ciência, em 1828 foi nomeado Conselheiro do estado e em 1829 fundou a Escola Politécnica de Copenhagen em que se tornou o diretor da instituição. Oersted faleceu em Copenhagen em 9 de março de 1851.

Oersted viveu em uma época em que o eletromagnetismo ainda estava engatinhando, nessa época nem existia tal termo. Desde os gregos a eletricidade e o magnetismo vinham se desenvolvendo ao longo da historia por estradas distintas, mais tarde com a descoberta de Galvani que inspirou Alessandro Volta a construir a pilha eletroquímica o que possibilitou a realização de estudos mais detalhados sobre corrente elétrica. A sociedade científica buscava a todo custo entender os fenômenos elétricos e magnéticos e já existia nessa época a ideia ou pelo menos a semente das ideias sobre a relação entre essas duas ciências, mas até então não se haviam realizado experimentos que mostrassem sem sombra de dúvida tal interação.

1820 foi o ano que marcou a evolução das ideias a cerca da eletricidade e magnetismo vindo a desembocar na união dos dois fenômenos. Oersted ao preparar uma conferência sobre eletricidade e magnetismo onde falaria sobre as possibilidades de se produzir fenômenos magnéticos a partir da eletricidade. Ao posicionar uma bússola próximo a um fio percorrido por uma pequena corrente elétrica a agulha da bússola sofria uma pequena perturbação. Em julho de 1820 Oersted ao utilizar uma aparelho galvânico muito mais poderoso percebeu o mesmo fenômeno com muito mais clareza e após vários experimentos estabeleceu a lei fundamental do eletromagnetismo que o campo magnético criado pela corrente elétrico posiciona-se ao redor do fio condutor. A partir dessa descoberta surge uma nova ciência nascida da união entre a eletricidade e o magnetismo, o eletromagnetismo.

Além dessa grande e importante descoberta, Oersted realizou trabalhos importantes como a descoberta da piperina – alcalóide da pimenta – e foi pioneiro na preparação do alumínio metálico.

 

 

Referências

ROSA, Carlos Augusto de Proença. História da ciência: o pensamento científico e a ciência no século XIX / Carlos  Augusto de Proença. ─ 2. ed. ─ Brasília : FUNAG, 2012.

ROCHA, José Fernando. Origens e Evolução das ideias da Física. ─ 1. ed. ─ UFBA, 2002.

MARTINS, Roberto de Andrade. Oersted e a descoberta do eletromagnetismo. Cadernos de História e Filosofia da Ciência (10): 89-114, 1986.

Breve História do eletromagnetismo, disponível em: < http://www.ispgaya.pt/eventos/brevehistelectrom/BreveHistElectrom.pdf >. Acesso em: 24 jan. 2014.

**Disponível em: <http://www.guldalder.dk/Image/h_c_orsted.jpg>. Acesso em: 24 jan. 2014.

 

 

 

 

 

Voltar

Compartilhe:

    Projeto Física e Cidadania


    Acessos desde 02/04/2013: 425,368