UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Os Superfluidos

Data: 4 de agosto de 2014

por: Deborah S. Franco

Você já ouviu falar em superfluido? Esse nome é dado aos fluidos que apresentam características especiais, características essas muito diferentes da que encontramos no nosso refrigerante ou suco. Antes de entrar mesmo nesse assunto, é preciso entender o que é um fluido, pois nos prendemos muito a ideia de líquido, e fluido é toda aquela substancia que pode se deformar e fluir, logo um gás também é um fluido. 

 Os estudos acerca dessas substâncias se iniciaram no começo do século XX. Pode-se observar que em temperaturas muito muito baixas (cerca de 2 graus acima do zero absoluto, ou seja – 270 ºC)  certas substâncias se comportavam de maneira anormal. Nessa temperatura, temos que a maioria dos líquidos se acomoda num padrão regular, ou seja, se tornam um sólido. Mas com os superfluidos é muito diferente, quando diminuímos a temperatura o líquido fica bem calmo, não existem ali turbulências e o liquido pode se mover sem perda de energia, logo ele pode deslizar e subir sobre as paredes do recipiente, desafiando assim a gravidade.

 Um superfluido muito estudado é o Hélio liquido. O Hélio (He) é uma substancia presente na nossa vida em forma de gás, mas ao ser colocado a temperaturas baixas (como a apresentada acima) se comporta como um superfluido.  Esse comportamento foi observado pelo físico holandês Heike Kamerlingh Onnes em 1911. O Hélio tem átomos tão leves e fracamente atraídos pelos outros que, quando sujeito a baixa temperatura, seus átomos vibram e não cessam, logo ele nunca forma um sólido como os demais, ele continua um líquido, porém com as propriedades alteradas.

  Você pode ver no vídeo abaixo um pouco o fenômeno ocorrendo, o Hélio é  resfriado e se torna um superfluido, subindo pela parede do recipiente como se nenhuma gravidade o prendesse ao fundo.

 ]É importante salientar que tal estado da matéria foi descoberto com essa temperatura crítica, mas existem substâncias que apresentam tal comportamento à temperaturas um pouco mais altas.

 Essa sentença está dando a entender que para tornar o hélio superflúido deve-se apenas abaixar a temperatura, o que está errado, pois na verdade deve ser feitos procedimento envolvendo aplicação de campos magnéticos fazendo com que o hélio vire um condensado de Bose, aí nesse caso se comporta como um superfluido.

 

Voltar

Compartilhe:

    Projeto Física e Cidadania


    Acessos desde 02/04/2013: 439,259