UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Histórico

Você está em: Sobre os Cursos > Histórico

A Escola de Engenharia de Juiz de Fora foi fundada em 17 de agosto de 1914 e formava, inicialmente, Engenheiros Civis e Geógrafos. Mais tarde passou a formar Engenheiros Agrimensores, Civis e Eletrotécnicos. Seus primeiros tempos foram ligados à Academia de Comércio passando depois para um prédio situado na Avenida Barão do Rio Branco número 2040. Em 1960, passou a funcionar na Rua Visconde de Mauá, onde hoje situa-se o Colégio de Aplicação João XXIII da UFJF. Naquele mesmo ano, a partir da Lei 3858 de 23 de dezembro de 1960, a escola passou a integrar a recém-criada Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), sob a denominação de Faculdade de Engenharia da UFJF. Em 1963 se iniciou a divisão dos Cursos em Engenharia Civil e Engenharia Elétrica, sendo que a primeira turma de engenheiros eletricistas se formou em 1968.

Nos últimos 10 anos, a Faculdade de Engenharia ampliou a gama de formação com a criação dos cursos de graduação em Arquitetura e Urbanismo, em Engenharia Sanitária, em Engenharia Computacional e em Engenharia Mecânica. Além disso, foram criados os cursos de pós-graduação stricto sensu em Engenharia Elétrica (mestrado e doutorado) e em Modelagem Computacional (mestrado). Além disso, a Faculdade de Engenharia estimula a formação continuada através dos cursos de pós-graduação lato sensu em Análise Ambiental, em Segurança do Trabalho e em Gerenciamento de Obras. Tais movimentos visam sustentar a atitude vanguardista que inspirou a criação desta intituição há quase um século.

Desde a sua implantação, o Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia da UFJF sofreu algumas reformulações no seu currículo e projeto de curso. A primeira delas implantada no primeiro período letivo de 1978, em atendimento à Resolução de 27/04/1976 do Conselho Federal de Educação (CFE) que fixou os mínimos de conteúdo e duração dos Cursos de Graduação em Engenharia e, também, definiu as áreas e habilitações. Outra reestruturação profunda no currículo foi implementada em dezembro de 1984 após três anos e meio de estudos através da Resolução 44/1984 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) da UFJF. Uma terceira modificação importante foi implementada em 1996 após amplo debate com outras instituições de ensino e com empresas significatias do cenário nacional. No ano de 2000, o Curso de Engenharia ampliou o número de vagas disponíveis de 60 (30 para o primeiro semestre e 30 para o segundo semestre) para 90 vagas anuais (30 para o primeiro semestre diurno, 30 para o segundo semestre diurno e 30 para o primeiro semestre noturno).

Em 2008, o Governo Federal iniciou a implantação do programa REUNI (Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão da Universidades Federais). A proposta de Engenharia Elétrica é ampliar o número de vagas disponíveis das 90 vagas anuais atuais para 270 vagas anuais. Estas 180 novas vagas seriam distribuídas da seguinte forma:

Por isto, os professores, funcionários e alunos do Curso de Engenharia Elétrica estão atualmente participando de um amplo processo de discussão para promover uma nova reforma curricular através da construção de um novo Projeto Pedagógico do Curso. Nos debates promovidos, percebe-se o senso comum de que o Curso deve permanecer único, ou seja, as 270 vagas sejam abertas para o Curso de Engenharia Elétrica. Os 270 alunos ingressantes poderiam escolher entre modalidades distintas dentro da grande área de conhecimento da Engenharia Elétrica, sendo que uma delas seria a área de Energia. No entanto, as discussões se estenderão durante o primeiro semestre de 2009. E a participação de toda a comunidade acadêmica irá ser fundamental para a construção dos próximos parágrafos deste histórico de sucesso do Curso de Engenharia Elétrica.