UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

4. Estrutura Curricular do Curso

Você está em: Sobre o Curso > Projeto Curso > 4. Estrutura Curricular do Curso

4.1 Considerações Iniciais

 

Para atender às atuais diretrizes curriculares para o curso de engenharia, faz-se necessário dispor de uma grade curricular flexível e com uma carga horária de aulas, que seja compatível com a realização de atividades extracurriculares, o que exige a criação de mecanismos de orientação, de acompanhamento e de avaliação das mesmas. Além disso, devem “existir trabalhos de síntese e integração dos conhecimentos adquiridos ao longo do curso”, ou seja, além da formação geral, profissional e específica o esperado é que se forme também o profissional cidadão.

Os citados trabalhos de síntese são atendidos pelas disciplinas Contexto e Prática em Engenharia de Produção I, II e III, disciplinas criadas para serem colocadas em carga no 1o, 3o e 5o períodos do curso e complementadas pelo trabalho de curso da disciplina Engenharia de Produto II (7o período) e Trabalho de Final de Curso (10o período).

Quanto aos conteúdos, primou-se por organizá-los de forma que possibilitem uma abordagem compatível com a natureza da Engenharia de Produção, conforme dispõe a legislação atual e demais recomendações da ABEPRO. Neste sentido, além do formato e do sequenciamento das disciplinas, é importante que estas possam estar organizadas sob concepções e finalidades departamentais afins com as necessidades do curso.

Atendendo ainda a estas Diretrizes, nesta proposta de adequação curricular os conteúdos estão organizados em Núcleos de Conteúdos Básicos, Profissionalizantes e Específicos.

 

 

4.2 Integralização do Curso

 

O Curso de Engenharia de Produção pode ser integralizado dentro de um prazo mínimo de 4 anos ou 8 períodos letivos e um prazo máximo de 8 anos ou 16 períodos letivos. A duração média é de 5 anos ou 10 períodos letivos.

Para integralizar o curso o aluno deverá, obrigatoriamente, cursar o elenco de disciplinas obrigatórias constantes dos núcleos de conteúdos básicos, profissionalizantes e específicos e, ainda, mais 8  créditos opcionais.

Como complementos, o aluno ainda poderá cursar outras disciplinas na UFJF ou em outra Instituição de Ensino Superior. Estas disciplinas, exceto nos casos previstos na legislação em vigor, só poderão constar do histórico do aluno após autorização emitida pela Coordenação de Curso de Engenharia de Produção.

Pode constar do histórico do aluno as “Atividades Acadêmicas Curriculares” definidas na Resolução 018/2002 do CONGRAD (Conselho Setorial de Graduação) que “permite a implantação do processo de flexibilização dos currículos de um curso”. Estas “atividades” constam do histórico na forma estipulada pela legislação competente e, no que couber, conforme definido pelo Colegiado do Curso de Engenharia de Produção.

 

 

4.3 Núcleos de Conteúdos

 

A Resolução CNE/CES 11 prevê:

Art. 6º Todo o curso de Engenharia, independente de sua modalidade, deve possuir em seu currículo um núcleo de conteúdos básicos, um núcleo de conteúdos profissionalizantes e um núcleo de conteúdos específicos que caracterizem a modalidade.

Em seu livro História da Engenharia no Brasil, o Professor Telles (TELLES, P C S, 1994, História da Engenharia no Brasil: Século XX. 2 Ed. Rio de Janeiro, Clavero) registra que “a engenharia quando considerada como arte de construir é evidentemente tão antiga quanto o homem, mas, quando considerada como um conjunto organizado de conhecimentos com base científica aplicado à construção em geral, é relativamente recente, podendo-se dizer que data do século XVIII”. A École Polytechnique, fundada em Paris/França em 1795 por iniciativa de Gaspard Monge e Fourcroy, tem sido considerada como a “que se tornou modelo de outras escolas de engenharia pelo mundo afora. Esta Escola tinha o curso em três anos, cujos professores de alto nível (Monge, Lagrange, Prony, Fourrier, Poisson, etc.) ensinavam as matérias básicas de engenharia, sendo os alunos depois encaminhados a outras escolas especializadas: Ponts et Chausseés, École de Mines, etc.” (Telles, 1994). Este modelo, evidentemente, tem no seu bojo a concepção positivista de mundo, baseando-se principalmente nos trabalhos de Auguste Conte e seus demais autores da referida corrente filosófica positivista.

O modelo que fundou a Politécnica de Paris em 1795, separa as diversas ciências que compõem a formação do engenheiro e organiza o currículo da engenharia em blocos de básicas, básicas de engenharia e aplicadas de engenharia. Este modelo vem sendo conservado na organização dos cursos desde então e as atuais diretrizes curriculares não fugiram a ele. Apesar de uma suposta perenidade deste modelo, há diversas críticas ao mesmo e já há grupos de pesquisadores que vem buscando um modelo alternativo. Um dos grupos que atuam nesta direção é formado por docentes das Escolas de Engenharia da UFJF e da UFRJ e que se organizam no Encontro de Educação em Engenharia, evento anual que já se encontra em sua oitava versão.

 

 

4.3.1  Distribuição da Carga Horária Curricular

 

Núcleo de Conteúdos / Atividades Cirriculares

Cred

C H

%

Básico

106

1590

42

Profissionalizante

62

960

26

Específico

44

630

16

Total da Carga em Disciplinas Obrigatórias

212

3180

84%

Monografia (Trabalho Final de Curso)

 

210

5

Estágio Curricular Obrigatório

 

210

5

Disciplinas Opcionais

8

120

6

Total Geral

220

3720

100

O núcleo de conteúdos básicos do curso deve conter “cerca de 30% da carga horária mínima” de acordo com a CNE/CES 11/2002. No caso do curso da UFJF este núcleo perfaz 42% da carga total mínima.

Este núcleo de conteúdos básicos é o que funda a natureza do conhecimento de engenharia. Este conjunto de conhecimentos permite ao engenheiro desenvolver competências e habilidades para entender uma estrutura a ser criada ou já existente em termos de seus diversos componentes. Possibilita, ainda, que seja realizada uma decomposição da mesma, identificando os seus menores elementos, assim como, permite restabelecer as co-relações entre estes e os esforços que os sustentam, entre outros. Isto garante ainda que o engenheiro seja capaz de elaborar um modelo físico/matemático representativo com a finalidade de antecipar uma estrutura a ser criada ou de solucionar problemas em uma estrutura já existente. Esta pode ser a estrutura de um artefato, de um empreendimento ou de serviço, ou seja, de qualquer produto ou sistema organizacional de produção de bens ou de produção de serviços.

 

 

4.3.2  Núcleo de Conteúdos Básicos

 

Código

Denominação

Cred

CH

Pré-requisito

MAT154

Cálculo  I

4

60

 

MAT156

Cálculo II

4

60

MAT155 -MAT154

MAT57

Cálculo  III

4

60

MAT156

MAT029

Equações Diferenciais I

4

60

MAT156

MAT155

Geometria Analítica e Sistemas Lineares

4

60

 

MAT158

Álgebra Linear

4

60

MAT155

FIS073

Física I

4

60

 

FIS074

Física II

4

60

FIS073 – MAT154

FIS075

Física III

4

60

FIS073 – MAT156

FIS077

Laboratório de Física I

2

30

 

FIS078

Laboratório de Física II

2

30

FIS073 – FIS077

FIS079

Laboratório de Física III

2

30

FIS073 – FIS077

ICE002

Laboratório de Ciências

4

60

 

FIS081

Fenômenos de Transporte

4

60

FIS074 – MAT157

DDC119

Algoritmos

4

60

 

DCC120

Laboratório de Programação

2

30

 

DCC008

Cálculo Numérico

4

60

DDC119-DCC120 – MAT158 -MAT154

QUI125

Química Fundamental

4

60

 

QUI126

Laboratório de Química

2

30

 

EPD046

Representação Gráfica I

2

30

 

EPD047

Representação Gráfica II

2

30

EPD046

EST029

Cálculo de Probabilidade I

4

60

MAT156

EST024

Estatística Aplicada à Engenharia de Produção

4

60

EST029 -MAT158

DPR032

Noções de Direito Privado

4

60

 

MAC015

Resistência dos Materiais

4

60

MAT029

ENE077

Energia e Eletricidade

4

60

FIS075

ECO034

Economia

4

60

 

ANE040

Microeconomia

4

60

MAT154

CAD062

Gestão Estratégica de Operações

4

60

 

EPD065

Engenharia da Sustentabilidade I

4

60

EPD013

 

 

106

1590

 

4.3.3  Núcleo de Conteúdos Profissionalizantes

 

O núcleo de conteúdos profissionalizantes do curso deve conter “cerca de 15% da carga horária mínima” de acordo com a CNE/CES 11/2002. No caso do curso da UFJF este núcleo perfaz 26% da carga total mínima.

É importante destacar que as escolas de engenharia surgiram no mundo, tendo como uma das finalidades unir a teoria à prática, mas o que se observa é que na organização dos cursos esses aspectos mantiveram-se e se mantêm nitidamente separados. Basta observar que na grade dos cursos existem como disciplinas distintas, a teoria e a prática de um mesmo conteúdo. Outro aspecto que se observa, principalmente nas disciplinas básicas é a sua descontextualização, ou seja, até por serem oferecidas para diversos cursos, as disciplinas não se remetem a um contexto específico de aplicação.

Ao par disso e visando minorar os efeitos da separação entre teoria e prática e da descontextualização de diversos conteúdos do curso, foram criadas as disciplinas de Trabalho de Integração Curricular, que têm como objetivo principal levar os alunos a identificarem as necessidades dos conteúdos do curso em Organizações que aplicam Engenharia de Produção. Os trabalhos das disciplinas prevêem a coleta de dados nestas Organizações, a apresentação de relatórios, a estruturação de trabalhos em formato científico e a apresentação e defesa oral destes trabalhos. Isto permite oportunizar aos alunos um treinamento em metodologia de pesquisa e o desenvolvimento de habilidades em expressão oral e escrita.

Código

Denominação

Cred

CH

Pré-requisito

EPD011

Contexto e Prática em Engenharia de Produção I

2

30

 

EPD012

Contexto e Prática em Engenharia de Produção II

2

30

 

EPD013

Contexto e Prática em Engenharia de Produção III

2

30

 

EPD001

Introdução à Engenharia de Produção I

2

30

 

EPD010

Engenharia dos Materiais

4

60

QUI126 -QUI125

EPD054

Tecnologia da Informação I

2

30

DCC119 – DCC120

EPD054

Tecnologia da Informação II

2

30

EPD054

EPD017

Processos Produtivos em Engenharia de Produção

6

90

ENE077 – EPD010

EPD015

Pesquisa Operacional em Engenharia de Produção

4

60

DCC008 – MAT029

EPD069

Logística I

4

60

EPD015

EPD070

Logística II

4

60

EPD069

EPD021

Organização do Trabalho e Produção

6

90

 

EPD022

Planejamento e Controle da Produção

4

60

EPD021 – EPD015

EPD023

Projeto de Fábrica e Lay Out

4

60

EPD022

EPD016

Engenharia do Produto I

4

60

 

ESA011

Fundamentos de Segurança no Trabalho

2

30

 

EPD057

Ergonomia

4

60

 

EPD026

Planejamento Estratégico

4

60

CAD062 -EPD012

EPD072

Estágio em Engenharia de Produção

0

210

 

 

 

62

1140

 

4.3.4  Núcleo de Conteúdos Específico

 

O núcleo de conteúdos específicos do curso corresponde a aproximadamente 15% da carga total mínima prevista para o curso da UFJF. Ainda de acordo com a CNE/CES 11/2004:

O núcleo de conteúdos específicos se constitui em extensões e aprofundamentos dos conteúdos do núcleo de conteúdos profissionalizantes, bem como de outros conteúdos destinados a caracterizar modalidades. Estes conteúdos, consubstanciando o restante da carga horária total, serão propostos exclusivamente pela IES. Constituem-se em conhecimentos científicos, tecnológicos e instrumentais necessários para a definição das modalidades de engenharia e devem garantir o desenvolvimento das competências e habilidades estabelecidas nestas diretrizes.

Este conjunto de conteúdos específicos obrigatórios, aliados às disciplinas opcionais, permite ao aluno aprofundar-se em conteúdos com os quais tenha mais afinidade. Isto possibilita, além do que prescreve a legislação, que o estudante possa ir além do mínimo exigido para a modalidade Engenharia de Produção.

 

Código

Denominação

Cred

CH

Pré-requisito

EPD056

Tecnologia da Informação III

2

30

EPD055

EPD045

Engenharia do Produto II

4

60

EPD016 -EPD047

EPD042

Modelagem e Simulação em Engenharia de Produção

4

60

EPD015

EPD067

Engenharia da Qualidade I

4

60

EST024

EPD068

Engenharia da Qualidade II

4

60

EPD067

EPD058

Gestão da Inovação

2

30

EPD016

EPD059

Gestão do Projeto

2

30

EPD016

EPD053

Empreendedorismo

2

30

FIN013

EPD030

Automação da Produção

4

60

EPD017

EPD048

Contexto e Prática em Engenharia de Produção IV

2

30

EPD011 -EPD016

EPD049

Contexto e Prática em Engenharia de Produção V

2

30

EPD048

EPD066

Engenharia da Sustentabilidade II

4

60

EPD065

FIN013

Gestão Financeira em Engenharia de Produção I

4

60

ANE040

FIN014

Gestão Financeira em Engenharia de Produção II

4

60

FIN013

EPD071

Trabalho Final de Curso em Engenharia de Produção

0

210

EPD049

 

 

44

870

 

 

4.3.5 Disciplinas Opcionais do Departamento de Engenharia de Produção

 

Código

Denominação

Cred

CH

Pré-requisito

EPD005

Tópicos Especiais em Engenharia de Produção I

4

60

 

EPD006

Tópicos Especiais em Engenharia de Produção II

4

60

 

EPD032

Tópicos Especiais em Engenharia de Produção III

4

60

 

EPD033

Tópicos Especiais em Engenharia de Produção IV

4

60

 

EPD034

Seminários em Engenharia de Produção I

4

60

 

EPD035

Seminários em Engenharia de Produção II

4

60

 

EPD036

Seminários em Engenharia de Produção III

4

60

 

EPD037

Seminários em Engenharia de Produção IV

4

60

 

EPD060

Tópicos Especiais em Engenharia de Produção V

2

30

 

EPD061

Tópicos Especiais em Engenharia de Produção VI

2

30

 

 

Os Seminários e os Tópicos Especiais, cujas ementas são abertas, foram criados com a finalidade de flexibilizar a formação profissional dos alunos. Estas unidades permitirão a inserção de conteúdos novos ou para atender a grupos de alunos que desejem se apropriar de algum conteúdo específico não disponível em disciplinas do curso.

Outras disciplinas de outros departamentos poderão ser cursadas pelos alunos do curso. Na listagem acima constam apenas a que estão sendo criadas no Departamento de Engenharia de Produção.