UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

O que é EP?

Você está em: Sobre o Curso > O que é EP?

 

O que é Engenharia de Produção?


É senso comum que as diversas, ou a maioria das Modalidades de Engenharia, estão relacionadas a algo concreto (base tecnológica específica) ou a um ou mais artefatos que acabam por dispensar uma definição rigorosa sobre “o que é” e quais os seus objetivos, ou seja:

• Engenharia Civil → associada à construção de edificações, estradas, etc.

• Engenharia Elétrica → associada à geração, transmissão, distribuição de energia elétrica, etc.

• Engenharia Mecânica → associada a máquinas, motores, automóveis, etc.

• Engenharia de Minas → associada a jazidas, mineração, geologia, etc.

• Engenharia Metalúrgica → associada à transformação de minérios em metais, siderurgias, etc.

• Engenharia Industrial → associada ao “chão de fábrica” de fábricas de automóveis, geladeiras, tvs, etc.

• Entre outras.

 

E a Engenharia de Produção, se associa a que?


A Engenharia de Produção trabalha com 10 subáreas. Este conjunto, quando articulado dentro de uma organização de produção de bens ou de serviços, constitui a “base tecnológica” da Engenharia de Produção.

Se esta é a base tecnológica, o que estaria associado á Engenharia de Produção em termos de referência concreta?

Se aquele conjunto de subáreas se articula enquanto “base tecnológica” dentro de uma Organização, pode-se concluir que esta é a referência concreta da Engenharia de Produção.

A Organização de Produção de Bens ou de Serviços pode ser qualquer empresa (comercial, industrial, etc.), instituição (pública ou privada), etc. que seja dotada das quatro funções clássicas que as caracterizam: Pessoas, Finanças, Produção e Mercado.

 

Mas isto não pode ser suprido pela Administração de Empresas?


Pode ser suprido no que se refere ao que há de natureza de conhecimento com características mais sociais e de relações humanas nas organizações.

Ocorre que o grau de complexidade dos produtos (bens ou serviços) e as demandas atuais em termos de produtividade e competitividade, exigem mais do que isto. Faz-se necessário a presença de um profissional capaz de conceber, projetar, modelar, implantar, gerir, melhorar e descartar estes sistemas complexos, com base também em um conhecimento voltado para solução de problemas, que é próprio da Engenharia e que é baseado no chamado raciocínio lógico em cuja raiz está, principalmente, a matemática e a física, complementados por representação gráfica, química, materiais, mecânica, energia, computação, etc.

Este conhecimento próprio da Engenharia é o que permite ao profissional estruturar bens ou serviços ou organizações que ainda não existem (projetar) ou desestruturar o que existe, para resolver problemas ou implantar melhorias sobre os mesmos, a partir dos seus componentes mais primários.

O Engenheiro de Produção acrescenta à estas habilidades, que são próprias dos Engenheiros de uma maneira geral, a capacidade de “estruturar” e “desestruturar” com base no conjunto de subáreas que forma a base tecnológica da Engenharia de Produção o que o torna o Engenheiro da Organização.



Vanderlí Fava de Oliveira

Professor Associado III da UFJF (Engenharia de Produção)

Secretário de Avaliação Institucional da UFJF

Coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Formação e Exercício Profissional em Engenharia – NUPENGE



Veja mais em:

Veja também: Abepro, Subáreas da Engenharia de Produção, Laboratórios recomendados para o curso de Engenharia de Produção, Referências curriculares da Engenharia de Produção, Parecer sobre: Duração, Carga Horária e Integralização dos cursos de Engenharia de Produção.