UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Enade

Você está em: Sobre o Curso > Enade

O que é o ENADE?

O Exame Nacional de Desempenho Estudantil ENADE é parte do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES – que é composto por:

 

Observação: As comissões de Avaliadores são constituídas por docentes das IES que se candidatam e são treinados pelo INEP para a Avaliação de Cursos e de Instituições. Asos inscrições dos candidatos a avaliador podem ser feitas no site do E-MEC (http://emec.mec.gov.br/) no link Regulação/Avaliação na aba Avaliador/Técnico.

 

Especificamente, o ENADE é um exame periódico, aplicado nacionalmente de 3 em 3 anos (o ciclo avaliativo do SINAES é trienal) em cada curso. O exame constitui-se de uma “prova” aplicada aos estudantes ingressantes e concluintes de cada curso e que deve permitir comparabilidade no que se refere aos conhecimentos adquiridos e competências desenvolvidas pelos estudantes. A diferença de desempenho entre ingressantes e concluintes deve permitir verificar o quanto cada curso contribuiu para a formação dos seus alunos.

 

O aluno habilitado para participar do ENADE deve preencher um Questionário que tem por objetivo levantar o perfil dos estudantes das IES e coletar informações sobre aspectos gerais de cada curso relacionado à organização acadêmica, projeto do curso, infraestrutura e corpo docente. O coordenador do curso também deve preencher um questionário sobre os mesmos aspectos do curso. As respostas a estes questionários são tabuladas e consideradas na atribuição do Conceito do Curso.

 

O ENADE é obrigatório?

Todas as IES (Instituições de Educação Superior) do Sistema Federal de Educação Superior (Público e Privado) são obrigadas a participar do ENADE. Para as IES dos Sistemas Estaduais, como é o caso de São Paulo (USP, UNICAMP e UNESP) a participação é opcional. Minas Gerais tinha um Sistema Estadual que “federalizou-se” em 2010.

O ENADE é componente curricular obrigatório, sendo condição necessária para o aluno colar grau:

Esclarece-se que a nota individual do aluno não é divulgada. Nem a IES tem acesso a essa nota, só o aluno pode consultá-lo através de senha fornecida ao aluno pelo INEP.

Os resultados do ENADE juntamente com os as respostas dos Questionários respondidos pelos alunos e coordenador de curso e os dados sobre o curso que constam do E-MEC, são tabulados e constituem o CPC (Conceito preliminar do Curso) que varia de 1 a 5.

 

Quem participa do ENADE?

Para o ENADE 2011, os alunos dos cursos habilitados a fazer a prova ENADE como Ingressantes, são TODOS aqueles que ingressarem no curso este ano e não tenham feito o ENEM 2010. Os que fizeram o ENEM 2010, ficam dispensados. Como Concluintes, farão o Enade TODOS os alunos que tenham concluído pelo menos 80% da carga horária obrigatória do curso ou que tenham expectativa de concluir o curso em 2011. Ficam dispensados os que colarem grau até 31 de agosto de 2011.

 

A seleção dos cursos é por área:

Em 2014 inicia-se novo ciclo avaliativo repetindo a seqüência acima.

 

Quais cursos serão avaliados em 2011?

Em 2011 farão o ENADE os alunos dos seguintes cursos PRESENCIAIS E EAD:

 

Considerações finais

Inicialmente deve-se esclarecer que o ENADE não é uma política de “governo” é de “estado”, ou seja, é decorrência de lei e tem que ser aplicado trienalmente em cada curso independentemente da vontade do governante. É importante ressaltar também que a Educação é direito de todos e dever do Estado e da família (Constituição Federal), portanto, o estado deve prestar contas à sociedade sobre o sistema Educacional. A forma dessa “prestação de contas” prevista em lei (Lei 10.861 – SINAES) é avaliar todo o sistema educacional (instituições, cursos e alunos) para verificar se estão sendo atendidos parâmetros considerados como mínimos de qualidade.

 

Um dos principais resultados do sistema Educacional é a formação de pessoas nas mais diversas áreas que serão oficialmente habilitadas a exercerem profissões de responsabilidade social, política e técnica, envolvendo vidas, meio ambiente e segurança, entre outros. Isso reforça a necessidade do estado avaliar o Sistema Educacional o que, pela legislação atual, se dá através do ENADE e da avaliação das condições de funcionamento dos cursos e das Instituições educacionais.

 

No que se refere ao aluno é importante que este obtenha um bom resultado no Enade A nota do ENADE incide no resultado trienal de avaliação do curso. Se o conceito do curso ficar abaixo de 3 fica sujeito a uma avaliação in loco que pode acarretar em diligências, diminuição de vagas e até mesmo encerramento de atividades se tal conceito se mantiver após essa visita.

 

É importante alertar também que o resultado das avaliações, entre elas o ENADE, já vem sendo utilizado para acesso dos cursos a determinados fomentos ou convênios e pelo chamado “mercado de trabalho”. Existem convênios que só são celebrados com cursos que tenham conceito 4 ou 5, como é o caso da candidatura à mobilidade no sistema Arco-Sul. Embora não de forma explicita, mas já há cursos de pós-graduação e empresas que consultam o resultado do ENADE e de avaliação do curso para recrutar seus candidatos.

 

 

 

Vanderli Fava de Oliveira

Professor Associado III da UFJF (Engenharia de Produção)

Secretário de Avaliação Institucional da UFJF

Coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Formação e Exercício Profissional em Engenharia – NUPENGE